Urologia oncologica

Urologia oncologica

Urologia Oncológica

Prof. Alessandro Prudente Julho/2010

Urologia Oncológica

Ca Renal Ca de PróstataCa de TestículoCa de Pênis

Ca Trato

Urinário Ca Bexiga

CÂNCER DE PRÓSTATA 3

Incidência

Estimativas RondôniaPorto Velho

270 CN

80 CN 36,98/105 hab

Diagnóstico

PSA Diagnóstico

Até4 ng/mlnormal 4-10 ng/mlHPB ou Ca? > 10 ng/mlCa

>50 ng/mlMetástase

Toque RetalPSA

Assintomático!

Diagnóstico USGTR + BX

Indicações -Toque Retal alterado

Diagnóstico Gleason

Estadiamento Estadiamento

Estadiamento

Localizado Localmente

Avançado Metastático

T1 –T3aT3b / N1M1

Estadiamento USGTRRM Próstata

Estadiamento Cintilografia

Clinicamente Localizado Muito Baixo Baixo Intermediário Alto

Prostatectomia Radical

Vantagens

-“Ressecção” do tumor -Controle PSA

Desvantagens e Complicações

-Incont. Urinária

-Disf. Erétil -Estenose Uretra

- Sangramento intraop

Prostatectomia Radical

Videolaparoscópica Robótica

Radioterapia

Vantagens

-Evita Cirurgia -Recuperação rápida

Desvantagens e Complicações

- Cistite

- Retite -Produz PSA

- Dificulta Salvamento

Seguimento Vigiado

Vantagens

-Evita Cirurgia -Ausência de Morbidade

Desvantagens e Complicações

- Impacto Psicológico

- Possível progressão

-Impossibilitar cirurgia

ErcoleB, et al. J urol, 2008

Bloqueio Androgênico

Vantagens -Otimiza Rxt

-Evita Qxt

Desvantagens e Complicações

-Perda Libido e DE

- Cardiovascular

- Osteoporose 18 Análogo LHRH = Orquiectomia

Clinicamente Localizado

Risco Baixo + EV < 10a

Seguimento

Vigiado

Risco Baixo + EV > 10a

Seguimento

Vigiado Rxtou Bxt

Prostat.

radical

Clinicamente Localizado

Radioterapia + BA 6mProstatectomiaradical

Risco Intermediário

Clinicamente Localizado

Risco Alto

Rxt+ BA 2 –3 aProstatectomiaradical Relação Dose-Resposta!

Localmente Avançado T3b / T4

Rxt+ BA 2–3 a Prostatectomia

radical

Bloqueio Androgênico

Metastático N1

Rxt+ BA 2–3 a Bloqueio

Androgênico

Bloqueio Androgênico

Quimioterapia

CÂNCER RENAL 24

Ca Renal

Sinônimos:

Carcinoma de Células Renais

Adenocarcinoma Renal Hipernefroma

Epidemiologia:

Ca Renal

Fatores de Risco

• Tabagismo •Cádmio / Chumbo

• Irradiações

•D. Von Hippel-Lindau

Quadro Clínico

Tríade:

Dor Lombar (30%)

Tumoração palpável (30%)

Paraneoplásica:

Anemia / Eritrocitose

HAS ↑ Função Hepática / ↑ Ca

Diagnóstico

Doppler RM

Biópsia Renal?

Exceções

Rim Único

Lesão Bilateral IRC

Não!

Tipos Histológicos

Carcinoma de

Células Claras

Carcinoma

Papilífero

Carcinoma Cromófobo

Estadiamento

T1 –Limitado ao rim < 7 cm

T2 –Limitado ao rim > 7 cm

T3 –Invade Gordura Peri Renal ou Veias

T4 –Invade estruturas adjacentes

Tratamento

Cirurgia!

- Nefrectomia Parcial -Tu < 4 cm

- Nefrectomia Radical -Tu > 4 cm

- Convencional - VLP

- Robótica

Metástase

Interferon Alfa

Interleucina 2

Terapia de Células Alvo

Inibidor de Tirosina Kinase (Sunitinib)

Cistos Renais Classificação Bosniak

I –Simples

I –Alterações leves

I- Alterações Grosseiras IV –Sólido-Cistico

CÂNCER DE PÊNIS 35

Ca de Pênis

2% das neoplasias em homens

+ Comum: N e NE

CN: 4637

Morte: 295 36

Localização 37

Ca de Pênis

Fatores de Risco

•Não Circuncisão •Má-Higiene

Apresentações

Ulcerada Vegetante Auto- Amputação

Disseminação

Linfática Inguinal / Pélvica

Hematogênica

Pulmão Fígado

Diagnóstico

Biópsia Incisional

Tipo Histológico -Ca Epidermóide

Estadiamento 42

Tratamento

Penectomia

Parcial (2cm) Total

Linfadenectomia Inguinal Bilateral

Linfadenectomia Bilateral

Modificada Radical

CÂNCER DE BEXIGA 46

Introdução

2º + comum do TGU

6,2% de Todos Tu

Tipos Histológicos

CCT Tabagismo

Infecção Crônica S. Haematobium

Adenocarcinoma Úraco / Extrofia Vesical

Ca de Bexiga

Fatores de Risco

•Tabagismo (↑4x) •Aminas aromáticas

•Cistite Crônica

• Ciclofosfamida

•Irradiação Pélvica

Quadro Clínico

Hematúria Macro

Sintomas Miccionais Irritativos

Diagnóstico

TC Cistoscopia

Comentários