Relatório sobre as visitas aos laboratórios

Relatório sobre as visitas aos laboratórios

(Parte 1 de 6)

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA

RELATÓRIO SOBRE AS VISITAS AOS LABORATÓRIOS DE

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

Curso: Ciências Biológicas

Disciplina: Construção do Conhecimento Científico em Biologia

Docente: Enio Antunes Rezende

Autor (a): Tatiane dos Santos Dias

Relatório UEFS

Relatório (parcial/final) sobre explanações de pesquisas laboratoriais na Universidade Estadual de Feira de Santana iniciados em 06 de Abril de 2010 e finalizados em 25 de Maio 2010, como parte de registro avaliativo exigido.

LAMIV

LABORATÓRIO DE MICROMORFOLOGIA VEGETAL

LABORATÓRIO DE PALINOLOGIA

Paulino - Mestrado em Palinologia

Geslene - Pós-doutorada no estudo de abelhas solitárias

MATERIAS/REAGENTES

Manta aquecedora

Lâminas

Microscópio

Capela de exaustão de gases

Centrifuga

Tubo de ensaio

Gelatina (incolor)

Lupas

MÉTODO/METODOLOGIA

Os grãos de pólen são coletados. Posteriormente são depositados no tudo de ensaio juntamente com água destilada. Seguirão para centrifuga onde ocorrerá a acetólise, processo de separação dos conteúdos do s grãos. A parte liquida é descartada, utilizando-se somente os resíduos sólidos, que por sua vez serão selados com uma espécie de gelatina incolor e postos nas lamínulas.

Segui-se a análise microscópica. Através da exina (parede do grão de pólen) se baseará previamente a classificação, uma vez que esta parede diferencia visualmente os vários tipos de grãos. Outro fator levado em conta é a característica nutricional, já que cada grão possui origens florais distintas. A identificação desses caracteres se faz necessárias para reconhecimento da planta e conseqüentemente caracterização do ambiente.

Depois de classificadas as lamínulas contendo os grãos são postas na palinoteca (coleção de lâminas).

Caso haja a necessidade de uma revisão ou consulta posterior, a instituição deverá dispor do Voucher (testemunho da planta).

LABORATÓRIO DE ANATOMIA VEGETAL

Joseane - estudante de Mestrado sobre Fisiologia Vegetal

MATERIAS/REAGENTES

Lâminas

Corantes

Resina

Bisturi

Lupa

Microscópio

Micrótomo

MÉTODO/METODOLOGIA

Depois das folhas, caules ou raízes serem coletadas passam por um processo de lavagem. Segue-se a utilização de corantes para realçar uma ou mais estruturas vegetais especificas e preservar sua coloração.

Após o processo de coloração há montagem de lâminas. Estas podem ser realizadas de duas maneiras: por emblocamento (em resina) com corte no micrótomo, ou corte a mão-livre com bisturi. Segui-se a análise microscópica das estruturas.

LAPEM

LABORATÓRIO DE PESQUISA EM MICROBIOLOGIA

LABORATÓRIO DE MICROBIOLOGIA

João - estudante de Mestrado em Microbiologia

MATERIAIS/REAGENTES

Autoclave

B.O. D

Microscópio Eletrônico de Varredura

Estufa de secagem

Agitadores

Filtro de osmose reversa

Cabine de segurança nível um

Cabine de segurança nível dois

MÉTODO/METODOLOGIA

Depois de coletados os microorganismos são postos em recipientes individuais em agitadores ou no B.O. D, onde se multiplicam sobre condições especificas. Posteriormente são analisados microscopicamente.

Este laboratório lida com produtos quimicamente instáveis, série de microorganismos altamente contagiosos além da extração de peçonha, tendo sempre em vista o treinamento de bio-segurança.

LAFIC

LABORATÓRIO DE FICOLOGIA

Kátia – Bióloga

MATERIAIS/REAGENTES

Capela de exaustão de gases

Capela de fluxo laminar

Germinadores

Formol

Lupas

Espátula

Rede de plâncton

Papel manteiga e cartão

MÉTODO/METODOLOGIA

(Parte 1 de 6)

Comentários