Apostila Medicina Legal

Apostila Medicina Legal

(Parte 5 de 6)

"É a síntese de todos elementos que concorrem para a formação mental de uma pessoa, de modo a comunicar-lhe fisionomia própria"(Porot).

3.2 Elementos formadores da personalidade :

A figura abaixo representa o esquema clássico da relação entre os elementos formadores e a personalidade:

INCLUDEPICTURE "http://geocities.yahoo.com.br/leis_codigos/med_legal/tt_tm_c.gif" \* MERGEFORMATINET

De acordo com a figura, a personalidade se constrói a partir de 3 contribuições (formação personalista):

TT (tipo temperamental ou constituição psíquica): é a natureza psicológica de cada um - uns são mais calmos, outros mais agitados, uns com maior facilidade de raciocínio, outros com maior facilidade de comunicação, dentre outros.

TM (tipo morfológico ou constituição física): são as feições da pessoa, sua estatura, musculatura e os demais detalhes de seu corpo, incluindo problemas de formação, que influenciam decisivamente a personalidade.

C (caráter ou experiência de vida): quando o indivíduo interage com o meio externo ele toma conhecimento de fatos que contribuem para a formação de sua personalidade. A interação com o meio externo é a forma sob a qual nos desenvolvemos, e a forma desta interação se reflete na formação de nosso caráter.

3.3 Critério biopsicológico (3 escolas) :

Frutos de diversas pesquisas realizadas ao longo dos anos por cientistas que buscaram descrever da melhor forma como se dá a interação entre estes três elementos que resulta na personalidade humana. O critério biopsicológico representa, na verdade, as duas primeiras componentes (TT e TM), sob as quais se dará a formação do caráter. Em tese, conhecidas as condições externas e a ação condicionante do ambiente externo, é possível prever a personalidade resultante. Daí a existência de tantos estudos sobre o assunto.

1.Kretschmer: cientista alemão que desenvolveu uma caracterização integrada por características somáticas (bio) e psicológicas.

Tipos somáticos de Kretschmer: quanto ao físico, podemos ter quatro elementos (3):

- pícnico: baixo, gordo, sem pescoço. Pessoa corpulenta, de cabeça larga e pentagonal, com pescoço curto, tórax amplo, abdome avantajado e com gordura, membros curtos e largos, tende a ser calvo.

- atlético: São as pessoas normais!!! dotado de esqueleto grande, musculatura bem desenvolvida, tórax largo e imponente, face oval.

- leptossômico: alto, magro, rosto fino, pouca massa. Pessoa esquálida, com manifesto crescimento longitudinal, combro estrito, musculatura pouco desenvolvida, mãos largas e ossudas, etc...(Marco Maciel).

- displásico:pessoa com desproporção de membros, devido à problemas endócrinos. A desproporção pode ser mãos e pés grandes, ou excesso de gordura e hipogenitalismo, ou infantil (esse tipo ele não deu na aula!!!)

Ainda falando da escola de Kretschmer, quanto ao tipo psicológico podemos ter mais três espécies:

- ciclotímico: pessoas que oscilam da depressão à euforia facilmente, e vice-versa. Caracterizam-se pela sociabilidade, bom humor, calma e tranqüilidade.

- esquizotímico:pessoas introvertidas, que variam da extrema frieza à hipersensibilidade com facilidade. Caracterizam-se pela timidez, insociabilidade, nervosismo e apatia.

- enequético: pessoa de reação explosiva, que se torna por vezes perigosa. Caracteriza-se por grande tenacidade e capacidade de trabalho, reação colérica e explosiva durante crises, detalhismo e minuciosidade.

2. Classificação segundo Jung (2a. Escola!!!)

extrovertido: pessoa voltada para o meio externo. Alegre, altamente sociável, capaz de se relacionar com um grande número de pessoas. Tende mais à realização e a prática.

introvertido:pessoa voltada para seu mundo interior, de personalidade mais contemplativa, com grande dificuldade de convívio social.

3) Classificação segundo Sheldon(3a.):

Sheldon também usa a divisão entre características somáticas e psicológicas:

3 Tipos somáticos:

Endomorfo: Baixo e gordo.

Mesomorfo: Normal

Ectomorfo: Alto e magro

Ele também dividiu as características psicológicas em 3 grupos: viscerotônico, somatônico e cerebrotônico. Cada um destes grupos tinham dezenas de subgrupos, assim como os 3 tipos somáticos. Cada um destes subgrupos correspondia a um número, em uma escala tríplice, resultando em 3 números para as características somáticas, e três para as características psicológicas, representando o numerador e denominador de uma fração que daria uma estimativa da personalidade. Uma viagem.

3.4 Outros critérios de classificação da personalidade :

Critério Filosófico:Baseia-se no valor prevalente. político, teórico, estético, social, religioso... etc...

Critério Sociológico:Fundamenta-se na atitude social e nos valores sociais. o santo, o sábio, o herói, o guru, o artista.(Ex: o santo, pessoa cujo interesse baseia-se em fatos celestes ou do além, etc... .....)

Critério Jurídico: Definido no código civil e penal. Juridicamente, a personalidade é a medida da capacidade de uma pessoa. Entretanto, o conceito médico sobre a personalidade tem grandes implicações na capacidade da pessoa. Logo, o conceito médico de capacidade vincula uma série de conseqüências jurídicas, na verdade, praticamente todas.

Sigmund Freud também desenvolveu uma teoria interessante sobre personalidade: ele compreendia o papel do instinto na formação da personalidade. Assim, teríamos 3 elementos: o ego, responsável pelos nossas vontades, o superego, que representa a nossa auto-censura a estas vontades e desejos, e o id, responsável por nossos instintos.

A partir destes elementos, ele trabalhava com possíveis fatores determinantes sobre o equilíbrio, justificando diversos complexos comuns na natureza humana, como o complexo de Édipo, o significado de símbolos fálicos e sua importância para a auto-afirmação dos homens, teorias que, dentre outras, o tornaram uma espécie de guru da Psiquiatria.

Tema 4 – Oligofrenia / Demência

4.1 Oligofrenia :

4.1.2 Conceito:

Insuficiência congênita do desenvolvimento da inteligência com atraso mental em relação as outras pessoas. É a pessoa que é portadora de deficiência mental desde criança.

4.1.2. Causas.

- drogas durante a gravidez: existe um número relativamente grande de substâncias que, quando ingeridas durante a gravidez, interferem no processo de desenvolvimento do feto. Algumas, como o cigarro, causam mesmo dependência no feto, que depois de concebido sente falta da droga.

- complicações de parto (vagina estreita): pode provocar lesões no corpo ainda frágil do bebê, em outros casos levar a baixa oxigenação do cérebro da criança.

- abalos morais durante a gravidez:o estado psicológico da mãe também exerce influência no desenvolvimento do feto.

4.1.3. Manifestações:

São um conjunto de indícios que podem ser interpretados como sinais de debilidade mental da criança ainda em idade precoce.

dificuldade de sucção:a criança apresenta dificuldades para mamar no peita da mãe (ou na mamadeira).

Desenvolvimento retardado: a criança demora para começar a andar, começar a falar, demora mais que as demais crianças para apresentar sinais de desenvolvimento típicos de seu ciclo de vida.

Atraso escolar: a criança não consegue acompanhar o ritmo de evolução de seus colegas de classe.

Anti-social: a criança tem dificuldades de se relacionar com seus colegas, tendendo ao ostracismo.

4.1.4. Quadro clínico:

O nível de desenvolvimento mental é aferido a partir do chamado QI (quociente de inteligência).

QI = 100 x Im/14 Icr, onde:

Im = Avaliação psicológica, realizada a partir de testes que visam avaliar a capacidade de raciocínio da pessoa.

Icr = Idade cronológica, ou seja, a idade da pessoa, em anos.

De acordo com o resultado do teste de QI, podem-se atribuir os seguintes graus de capacidade mental:

Gênio

maior que 140

Inteligência muito superior

120-140

Inteligência superior

110-120

normal

90-110

fronteira da debilidade mental

70-90

débil mental

50-70

imbecil

25-50

idiota

menor que 25

4.1.5.Interesse Jurídico:

Na esfera penal,o Art 26 estabelece critérios de pena com base na capacidade de discernimento e grau de desenvolvimento mental do agente.

No âmbito civil, são incapazes os "loucos de todo gênero"(art. 5), portanto, impedidos de exercer, sem representação, os atos da vida civil que afetem seu patrimônio, por exemplo.

4.2 – Demência :

4.2.1 - Conceito:

É um enfraquecimento mental progressivo, global e incurável, segundo Seglas. Ocorre comprometimento da personalidade, vida social e capacidade de trabalho do portador.

4.2.2 - Classificação:

De acordo com o Prof. Zigomar, classifica-se em precoce, primária, etc... Acho que tem a ver com o estágio de deterioração da capacidade intelectual (não tem no livro!)

4.2.3. Quadro Clínico:

esquizofrenia (ele colocou na lousa, mas falou depois que é uma espécie de psicose, vou colocar lá!!!)

trauma cerebral: devido a acidentes, que podem causar lesões aos tecidos nervosos, comprometendo o intelecto.

arteriosclerose cerebral: É uma síndrome que provoca transtornos de memória, pensamento e afetividade. Os estados perturbacionais ocorrem principalmente à noite, caracterizando-se por apresentar intervalos de lucidez. Ocorre preferencialmente a partir dos 40 anos.(arteriosclerose = entupimento das veias por placas de gordura).

demência senil:começa a partir dos 70 anos, com o desgaste das fibras motoras

(Parte 5 de 6)

Comentários