Apostila Medicina Legal

Apostila Medicina Legal

(Parte 6 de 6)

cerebrais: sendo caracterizada pela redução de todas as funções psíquicas, evoluindo gradativamente para um quadro de demência completa. São características modificações de caráter, desinibição e irritabilidade.

4.2.4. Interesse Jurídico:

Vale o que foi dito para oligofrenia, com a adição do Direito do Trabalho, e Previdenciário, onde a demência pode ser provocada, por exemplo, por um trauma cerebral em serviço, que acarretará na sua aposentadoria por invalidez, ou até sua interdição (se for o caso).

4.3. Diferenciação entre oligofrenia e demência :

Ambos são termos que dizem respeito à capacidade de intelecto, entretanto, a oligofrenia se manifesta logo nos primeiros momentos de nosso desenvolvimento, enquanto que a demência geralmente sobrevém após um período de desenvolvimento mental normal, ocorrendo preferencialmente na idade adulta.

Tema 5 - Psicose / Neurose

5.1 – Conceito :

É um distúrbio do TT (tipo temperamental), vindo a causar um comprometimento global da personalidade.(vale a pena colocar a figura, indicando TT!!!) São pessoas portadoras de deficiência psíquica, que não conseguem viver em sociedade.

5.2 – Causas :

- Herança constitucional: o transtorno pode ser suas origens na constituição genética. É o conceito de herança psicogenética.

- Tóxicos, alcoolismo

- doenças venéreas

- trauma craniano

5.3- Evolução :

A psicose não tem cura definitiva. A ingestão de remédios provocam a estabilização da doença que, entretanto, pode voltar a se manifestar, em surtos de cada vez maior intensidade.

A psicose é marcada por fases de delírios e alucinações,(estágios lúcidos/críticos) durante os quais a pessoa pode desenvolver estados de dupla personalidade inconscientemente, ou seja, a própria pessoa não sabe que tem esta dupla personalidade. Quem conhece o filme, vale a pena comentar!!!

5.4 - Interesse Jurídico :

Valem as mesmas considerações sobre capacidade penal e civil feitas no tema oligofrenia.

5.5 – Esquizofrenia :

Particularidade ou espécie da psicose que ocorre quando existe um transtorno na parte psíquica (TT). Um exemplo de esquizofrênico é o altista.

5.6 – Espécies :

catatônico: sintomas motores. Dor no corpo é o sintoma predominante quando começam as crises.

hebefrênico:condutas imprevisíveis.

Paranóide:delírios e alucinações

simples:herança ou distúrbio. A característica marcante é a afetividade.

Neurose:

5.7 – Conceito :

É a desordem personalística gerando angústias e inibindo suas condutas. É um conflito intra-psíquico.

5.8 – Sintomas :

insatisfações gerais

excesso de mentiras, manias

problemas relacionados ao sexo (sexo solitário, sexo sujo...)

pessoas fáceis, volúveis, sem conteúdo.

5.9 - Classificação das neuroses :

Angústia:crises de choro, depressões, suicidas potenciais, problemas psicossomáticos como gastrite e úlcera.

Fóbica:um objeto é a razão da angústia. Gostam de sexo sujo e anal, o cheiro é o estímulo, tem fixação pelo objeto, e manias de perseguição.

Obsessiva Compulsiva:Pessoa sistemática, metódica, com mania de limpeza. Não quer ser o que é (é o "certinho", que no fundo, no fundo, queria estar na farra!!!)

Histérica:pessoas emotivas ao extremo, fúteis e voláteis.

5.10 - Distinção entre neurose e psicose :

Na neurose o indivíduo sabe que é neurótico e consegue distinguir seus desvios, ou seja, tem consciência deles, mas não consegue evitá-los. Já o psicótico não é capaz de tal discernimento, confundindo-se quanto à ele mesmo. Um caso típico de neurose é o kleptomaníaco, ou seja, a pessoa que não consegue controlar sua compulsão por realizar furtos (fûrtu).

5.10 - Psicodinâmica (vale para neurose e psicose) :

Nos desenvolvemos a partir de uma dada constituição genética, herdada de nossos pais. A partir desta constituição, postos no mundo, vamos nos desenvolvendo.

Entretanto, em algum estágio deste desenvolvimento, podemos ser levados à uma regressão, ou seja, uma involução. São diversas as causas que podem desencadear esta regressão: drogas, traumas psíquicos, dentre outros.

A regressão se dá a partir de uma alteração no mecanismo do ego do cérebro, que é uma capacidade mental que existe para que a pessoa não fique desconpensada mentalmente.

Dependendo da intensidade do conflito e da resistência do ego, desenvolve-se a neurose (maior resistência) ou a psicose (menor resistência).

Tema 6 - Alcoolismo (transtornos mentais)

6.1 – Conceito :

"Alcoólatras são bebedores excessivos, cuja dependência do álcool chega a ponto de acarretar-lhes perturbações mentais evidentes, manifestações afetando a saúde física e mental, suas relações individuais, seu comportamento sócio-econômico ou pródromos de perturbações desse gênero e que, por isso, necessitam de tratamento". Este é o conceito da Organização Mundial de Saúde (OMS) de alcoolismo.

6.2 – Requisitos :

É necessária a presença de dois requisitos para que se caracterize o alcoolismo: o hábito e a dependência.

Hábito: a pessoa deve ingerir a droga (álcool) com constância e em intervalos relativamente curtos de abstinência.

Dependência: Quando se fala em dependência, seja ela física, química ou psíquica, trata-se da relação entre um organismo vivo e a droga, que é caracterizada pela compulsão por ingerir a droga, de forma contínua ou periódica, e pelo surgimento de uma crise de abstinência, que se manifesta quando o organismo sente falta da droga.

6.3 – Classificação :

Os alcoólatras classificam-se segundo o gênero de bebida que consomem. De acordo com esta classificação, são três os tipos de alcoólatras:

enolistas, que bebem bebidas fermentadas, como a cerveja e o saquê;

etnistas, que bebem bebidas destiladas, como o whiskey e a vodka;

absentistas, que bebem bebidas aromáticas, como licores e menta;

6.4 – Personalidade :

Seja qual for o grau de dependência do alcoólatra, ele sempre procura no álcool uma forma de ajuste social, que é, em última análise, o objetivo de todo alcoólatra. São três também as classes de personalidades apresentadas pelos alcoólatras:

sintomático: é aquele que inicialmente bebe, ou seja, é a pessoa experimenta a droga;

primário: é aquele que, após experimentar a droga, passa a fazer uso regular dela,

consumindo regularmente doses da bebida;

secundário: é a pessoa que bebe excessivamente;

6.5 – Fisiopatologia :

Fisiopatologia diz respeito ao caminho que o álcool percorre em nosso organismo, sendo este caminho dividido em três etapas: absorção, metabolismo e excreção.

1- absorção: Via de regra, se dá pelas vias digestivas, podendo, entretanto, se dar por outras vias: respiratória (intoxicações profissionais), cutânea (desprezível) e intravenosa (medidas terapêuticas ou anestésicas).Do estômago, passa rapidamente ao sangue através do mecanismo da difusão.

Um pouquinho sobre difusão: - A difusão é um processo presente também em nosso cotidiano: quando aquecemos a ponta de uma colher, ela toda tende a se aquecer, devido a alta taxa de difusão do calor no metal. É a difusão térmica. No caso do estômago, trata-se da difusão química, onde estão envolvidas, ao invés de diferenças entre temperaturas, diferenças entre concentrações de álccol. O álcool chega à circulação como se atravessasse uma membrana que separa as duas diferentes taxas de concentração.

2,3- Metabolismo e excreção: Uma vez na circulação, alcança praticamente todos os órgãos (Ex: cérebro, glândulas genitais, pulmão), vísceras (fígado, rins), tecidos e humores (líquido cefalorraquidiano). Mais de 90% do álcool é oxidado no interior do organismo, em uma reação na qual se dá o consumo de glicose. Outras parcelas menores são eliminadas por secreções e excreções (leite, saliva, esperma, urina), pelos rins e pelo aparelho respiratório(através da difusão!!!).

6.6 - Embriagues simples :

 A curva metabólica do álcool, ou seja, o tempo de permanência do álcool no organismo, segundo desenho do Prof. Zigomar.

É a intoxicação resultante da ingestão do álcool (exceto em casos crônicos). Classicamente é dividido em três períodos:

1- Fase eufórica (primeiro período):os centros de controle nervosos são intoxicados, provocando desinibição,bem como sensações de euforia, excitamento, erotismo. Paralelamente, ocorre diminuição da capacidade de julgamento, do tempo de reação (reflexo) e do poder de concentração.

2- Fase agitada (período médico-legal): Alteração das funções psicossensoriais, intelectuais e motoras.

A debilidade das funções motoras faz o indivíduo perder o equilíbrio, cair sozinho, andar de forma descoordenada. Com a alteração das funções intelectuais, ocorre a perda da crítica, e o indivíduo pode provocar atos anti-sociais, como acidentes de trânsito, se envolver ou protagonizar atos de violência e vandalismo. Outras faculdades, como a memória e o poder de concentração também são comprometidos.

3- Fase comatosa (terceiro período)

Inicialmente há sono e o coma se instala progressivamente. Depois ocorre a anestesia profunda, abolição total dos reflexos, paralisia e hipotermia, sucessivamente, podendo inclusive levar à morte. Quando há exposição ao frio, a probabilidade de morte é aumentada.

6.7. Diagnóstico clínico :

"Delirium tremens": complicação característica do alcoolismo crônico. Geralmente ocorre após períodos de abstinência, traumatismos ou infecções, sendo, entretanto, também encontrado em bebedores normais. O quadro clínico é sudorese (suor), febre, anorexia e hipotermia, além do tremor.

Dipsomania: É quando a pessoa tem impulsos periódicos de consumir a droga. Ocorre o uso desordenado, compulsivo, com grande intoxicação, ao que sobrevém um período de abstinência, que pode persistir por semanas ou meses, reiniciando-se o ciclo.

Síndrome de Korsakoff: caracteriza-se por uma particular e intensa amnésia, ou seja, é a perca da memória durante um certo intervalo de tempo.

6.8. Quadro Clínico :

EEG e ECG:ocorrem alterações no eletroencefalograma e eletrocardiograma com alteração na freqüência e amplitude dos sinais, de forma mais acentuada nos casos de embriagues completa.

Líquido cefalorraquidiano (líquido da espinha): ocorre a elevação da taxa de albumina e redução da de globulina.

Atrofia das fibras cerebrais: a capacidade intelectual tende a declinar com o uso prolongado da droga.

Psicotestes: técnicas de diversos pesquisadores buscando esclarecer o tipo de personalidade dos bêbados (psicóticos ou neuróticos). Os casos crônicos são enviados para tratamento psiquiátrico, ao passo que os casos agudos são geralmente os que dão ensejo à ocorrência policiais.

6.9 - Técnicas de dosagem :

Bafômetro, exame de sangue: ambas são técnicas de avaliar a dosagem de álcool no sangue. No bafômetro, esta dosagem é calculada a partir da concentração de álccol no ar dos pulmões. Sabendo-se a taxa de difusão, calcula-se a concentração no sangue (o aparelho faz na hora). No exame de sangue, coleta-se o próprio sangue, que tem sua dosagem de álcool quantificada por uma técnica experimental padronizada.

==================== F I M =======================

41

(Parte 6 de 6)

Comentários