Tuberculose

Tuberculose

É uma doença crônica causada pelo micobacterium tuberculosis ( bacilo de Koch), bacilo álcool - acido resistente não formador de esporos, sem flagelos e que não produz toxinas, sendo um microorganismo aeróbio estrito, necessitando de oxigênio para crescimento e multiplicação.

  • É uma doença crônica causada pelo micobacterium tuberculosis ( bacilo de Koch), bacilo álcool - acido resistente não formador de esporos, sem flagelos e que não produz toxinas, sendo um microorganismo aeróbio estrito, necessitando de oxigênio para crescimento e multiplicação.

  • O bacilo pode ser identificado nas secreções broncopulmonares (escarro )através de microscopia direta (baciloscopia) e/ou cultura que exige 2 a 6 semanas de incubação.

  • Normalmente a fonte de infecção é o individuo com a forma pulmonar da doença, o qual elimina bacilos para o meio ambiente.

Doença grave, transmitida pelo ar, que pode atingir todos os órgãos do corpo, em especial nos pulmões.

  • Doença grave, transmitida pelo ar, que pode atingir todos os órgãos do corpo, em especial nos pulmões.

  • O indivíduo que entra em contato pela primeira vez com o bacilo de Koch não tem, ainda, resistência natural. Mas adquire.

  • Se o organismo não estiver debilitado, consegue “matar” o microorganismo antes que este se instale a doença. É, também, estabelecida a proteção contra futuras infecções pelo bacilo.

Com o tempo e sem o tratamento, o avanço da doença começa a provocar sintomas mais graves. De pequenas lesões, os bacilos cavam as chamadas cavernas tuberculosas, no pulmão, que costumam inflamar com freqüência e sangrar. A tosse, nesse caso, não é seca, mas com pus e sangue. É a chamada hemoptise.

  • Com o tempo e sem o tratamento, o avanço da doença começa a provocar sintomas mais graves. De pequenas lesões, os bacilos cavam as chamadas cavernas tuberculosas, no pulmão, que costumam inflamar com freqüência e sangrar. A tosse, nesse caso, não é seca, mas com pus e sangue. É a chamada hemoptise.

assintomática nas fases iniciais e em grande número de casos

  • assintomática nas fases iniciais e em grande número de casos

  • tosse, febre, emagrecimento em indivíduos de baixo nível sócio-econômico

  • dor nas costas, hemoptise, sudorese noturna

  • dispnéia, cansaço, fraqueza, falta de apetite, escarro com sangue

  • história familiar de tuberculose ( doença do pulmão)

1/3 da população mundial está infectado com o bacilo da tuberculose;

  • 1/3 da população mundial está infectado com o bacilo da tuberculose;

  • 45 milhões de brasileiros estão infectados;

  • 5% a 10% dos infectados contraem a doença;

  • 30 milhões de pessoas no mundo podem morrer da doença nos próximos dez anos;

  • 6 mil brasileiros morrem de tuberculose por ano.

pesquisa de bacilo álcool-ácido resistente (BAAR) por baciloscopia de escarro ou lavado gástrico

  • pesquisa de bacilo álcool-ácido resistente (BAAR) por baciloscopia de escarro ou lavado gástrico

  • cultura de escarro ou lavado gástrico

  • baciloscopia de urina, liquor, líquido pleural ou ascítico

  • Rx de tórax pode revelar lesões cavitárias nos ápices

  • Broncoscopia

  • Aplicação de prova tuberculínica (PPI)

  • Buscar comunicantes

vacinação com BCG

  • vacinação com BCG

  • Acompanhamento através do Programa Nacional de Controle a Tuberculose.

A prevenção usual é a vacina BCG, aplicada nos primeiros 30 dias de vida e capaz de proteger contra as formas mais graves da doença.

  • A prevenção usual é a vacina BCG, aplicada nos primeiros 30 dias de vida e capaz de proteger contra as formas mais graves da doença.

  • Se houver a contaminação, o tratamento consiste basicamente na combinação de três medicamentos: rifampicina, isoniazida e pirazinamida.

  • O tratamento dura em torno de seis meses. Se o tuberculoso tomar as medicações corretamente, as chances de cura chegam a 95%. É fundamental não interromper o tratamento, mesmo que os sintomas desapareçam.

Atualmente, consiste na principal preocupação mundial em relação à doença.

  • Atualmente, consiste na principal preocupação mundial em relação à doença.

  • O abandono do tratamento faz com que os bacilos tornem-se resistentes aos medicamentos e estes deixam de surtir efeito.

  • A tuberculose resistente pode desencadear uma nova onda da doença virtualmente incurável em todo o mundo.

Isolamento respiratório em pacientes com menos de 48 horas de tratamento,

  • Isolamento respiratório em pacientes com menos de 48 horas de tratamento,

  • manter isolamento respiratório por precaução até sair o resultado do teste de escarro,

  • observar sinais de insuficiência respiratória, tais como má perfusão periférica, esforço respiratório,

  • usar equipamentos de proteção, principalmente máscaras,

  • administrar corretamente antibioticoterapia e atentar para a saturação de O2, através de oxímetros e gasometria arterial.

Comentários