(Parte 2 de 7)

Concorrido

Com a atual crise financeira que abalou muitos países, as empresas estão buscando treinamento a distância para capacitação profissional de seus funcionários com custos reduzidos. Diante desse cenário, as instituições que oferecem estes cursos foram beneficiadas. Este é o caso da ECID - Educação Continuada Internacional @ Distância, localizada em São Paulo, que oferece mais de 50 cursos e-learning - via internet. Segundo a diretora de e-learning da ECID, Magali Fernandes nos últimos 60 dias a busca pelos cursos foi três vezes maior.

Mercado Português

Pesquisas realizadas pelo Dieese e pela Fundação Seade apontam que a taxa de desemprego em seis regiões metropolitanas caiu de setembro para outubro deste ano. Em São Paulo, Distrito Federal, Salvador, Belo Horizonte, Recife e Porto Alegre aproximadamente 2.968 mil pessoas estão desempregadas, 141 mil a menos que na pesquisa anterior. A taxa de desemprego diminuiu de 14, 1% (setembro) para 13,4% (outubro). Não existem ainda dados mais atualizados, pós-crise.

Dados mostram pela USP (Universidade de São Paulo) revelaram que o curso de Audiovisual é o 5º procurado entre os 10 mais concorridos do vestibular. A relação candidato/vaga ficou em 3,86 este ano, ficando atrás de profissões tradicionais como Medicina e Jornalismo.

E-learning

a sua revista de inteligência e sucesso

A Whirpool, fabricante de eletrodomésticos, procura 10 pessoas portadoras de necessidades especiais, física, motora ou auditiva, para atuar em São Paulo, nas regiões do Brooklin Novo e Via Anchieta. O salário varia de acordo com a vaga e grau de escolaridade. Mais informações em w.whirpool.com.br

Oportunidade

Verde

Seguindo a tendência adotada por empresas preocupadas com o meio ambiente, o McDonald’s inaugurará este mês em Bertioga, litoral norte paulista, seu primeiro restaurante verde. A nova unidade privilegiará o emprego da energia limpa, fontes de grande eficiência energética, reutilização e consumo consciente de água, além do uso de materiais naturais, renováveis e reciclados. Haverá a redução de 50% do consumo de água potável e 14% do consumo de energia com as novas instalações. O dia da inauguração ainda não foi confirmado.

Trainee

O Hospital Nove de Julho, de São Paulo, está com inscrições abertas para o seu programa de Trainee em Enfermagem. O público-alvo do programa são os recémformados nas principais faculdades de enfermagem do Brasil (entre dezembro de 2006 e dezembro de 2008), com bons conhecimentos de informática, proatividade para as demandas da área e perfil de cuidador profissionalizado. Os interessados podem se inscrever pelo site do Hospital (w.h9j.com.br), no link Trabalhe Conosco (cargo pretendido: enfermeiro). O processo de seleção para as 14 vagas oferecidas é dividido em 6 etapas, todas eliminatórias.

w.revistasermais.com.br 12

+para ser mais por Julyana Rosa

Coaching para todos

Como os programas de orientação podem ser aplicados em grandes empresas com sucesso

Ser M ais d i n â m i c o

a sua revista de inteligência e sucesso 13 o ouvir a notícia de que um dos maiores bancos do país conseguiu encorajar e melhorar a produtividade de seus funcionários, em pouco tempo e dipersos por todo território nacional, algumas pessoas ficariam espantadas. Como uma grande organização, que busca a excelência e deseja cativar mais clientes, pode mobilizar, treinar e motivar quase dois mil funcionários, obtendo resultados satisfatórios? Existe uma alternativa, aplicar o Coaching em larga escala. Para contextualizar os que não estão lembrados, ou não leram a edição anterior da Ser Mais, que destrinchou o assunto, o Coaching é uma espécie de “treinamento” para atingir resultados, em que o coach (treinador) permanece com a pessoa até ela atinja seus objetivos. No case de sucesso comentado acima, o Banco Real conseguiu, juntamente com os coaches do Instituto EcoSocial, entidade voltada para desenvolvimento humano, capacitar lideranças para que os seus objetivos fossem alcançados em larga escala. A idéia era criar experiências educativas que facilitassem o desenvolvimento dos potenciais de liderança dos indivíduos, fortalecendo o papel dos mesmos como engajadores. O Programa de Desenvolvimento de Lideranças foi desenvolvido, de modo que seguisse os princípios do banco, mostrando o ser humano como o protagonista de um mundo sustentável.

Estruturação

O Pograma de Desenvolvimento de Lideranças (PDL) foi dividido em etapas presenciais e telefônicas, em que os funcionários, primeiramente participaram de workshops em grupo, tiveram encontros individuais com seus coaches e, depois, deram continuidade à orientação por telefone. Você deve estar pensando, mas e a interação, o contato, o olho-no-olho? Essa primeira necessidade foi suprida pelos encontros, no começo do programa. Imagine mandar coaches todos os dias para diversas regiões do país e que orientarão uma pessoa diferente a cada duas horas, isso durante um ano. Para atender a demanda do banco e para resolver este problema, foram escolhidas quatro capitais para realizar a primeira parte do processo. Os gerentes se deslocaram para São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Recife. Enfrentaram as etapas presenciais, continuaram as orientações por telefone e, em 12 meses, estavam preparados para influenciar e mobilizar funcionários, desenvolver pessoas, planejar suas vidas e carreiras, e enfrentar dilemas. Um dos participantes do PDL, no caso a segunda edição do programa, que contou com 1.284 colaboradores, foi Edvaldo Reis, gerente comercial da Agência Banco Real de Bragança Paulista. Na época, sua agência estava entre as últimas colocadas das gincanas promovidas pelo banco (sede) para motivar funcionários. Após receber a orientação de coaches e participar do programa, conseguiu motivar seus colaboradores e saiu da estaca zero. Sua agência passou para a primeira posição do ranking e, nas últimas Olimpíadas, foi para a China, viagem ganha em uma das ações de incentivo do banco. “Mudei completamente após o Programa de Desenvolvimento de Lideranças, aprendi a orientar melhor meus funcionários assumindo a postura de coach. Dei abertura para mais diálogos, mostrei alguns caminhos, que eles mesmos decidiram seguir. Além da melhora na agência, consegui emagrecer dez quilos, cuidar melhor da minha saúde e família.”, comentou. Para o gerente, um dos principais a sua revista de inteligência e sucesso

w.revistasermais.com.br 14 para quem precisa. É o caso de Ana Passarela, que trabalha com Coaching Educacional há oito anos em escolas de idiomas. Seu dia-a-dia é ajudar pessoas que não conseguiram proficiência e atingiram metas, relativas ao aprendizado de uma nova língua, alcançarem seus objetivos. “Instrumentalizo o aluno para que ele siga por conta-própria, faço todo um trabalho de desbloqueio para o aprendizado de idiomas”, explica. Em alguns casos, a coach disse que os alunos não precisam mais frenqüentar escolas, passam a ser autodidatas, aprendem sozinhos+

Ser M ais d i n â m i c o ganhos do programa foi aprender a conciliar melhor seus horários, conseguindo o equilíbrio entre vida pessoal e profissional. “Percebi que eu estava fazendo tudo errado. Trabalhava o dia todo e ainda levava muito serviço para casa. Não tinha tempo para ficar com a família. Hoje consigo ficar com eles e ainda trabalho um pouco em casa, estabelecendo limites, existe hora para cada tarefa”. O programa continua dando frutos no banco e o intuito é atingir cinco mil colaboradores até a sua última edição.

Treinamento na Universidade e até no aprendizado de idiomas

Não existem barreiras para o Coaching, dos grandes conglomerados aos estabelecimentos de ensino, há sempre alguém que já ouviu falar do método, ou sabe que estes lugares são propícios para o seu desenvolvimento. Alguns dos motivos podem ser citados de antemão. Para os coaches, as Universidades são os grandes celeiros de seus futuros disseminadores, onde é preciso ter muita resiliência e orientação para enfrentar as adversidades. Nas empresas os quesitos conflito e insatisfação falam mais alto e, por isso, existe espaço. Vicki Escudé, coach americana, com mais de vinte anos de profissão, é um exemplo que atua nas universidades da terra do Tio Sam. Pessoalmente e por telefone, ajuda estudantes entrarem nos eixos, escolhendo o próprio caminho. É uma das pioneiras do método e possui a mais alta certificação da Federação Internacional de Coaches (International Coach Federation). Segundo ela, os resultados alcançados com o coaching em estudantes são muito satisfatórios, a ponto da orientação ajudar os que estavam perdidos, iam mal nos estudos, concluírem seus cursos. Nas empresas, ela já assessorou e orientou executivos dos mais altos postos como Siemens, Mary Kay, entre outros. Os resultados alcançados, apesar de dificilmente mostrados em números, para Vicki, muitas vezes, ultrapassam grandes barreiras. “O coaching pode ser aplicado em empresas de qualquer porte e costuma atingir resultados que extrapolam a corporação, melhorando as relações pessoais e até a vida espiritual de quem passa pelo processo”, comenta. Se existem grandes ganhos, nos mais diferentes âmbitos da vida de uma pessoa, ao passar por um processo de Coaching, porque o método ainda é pouco difundido? Segundo os coaches e estudiosos da área, ainda é preciso vencer principalmente a do preconceito. Aqui no Brasil, por exemplo, são poucos os profissionais credenciados ao órgão máximo internacional que certifica os coaches, tanto que o mesmo há pouco tempo disponibilizou uma página em português, ainda em endereço estrangeiro, intitulada Chapter Brazil, ou seja, capítulo Brasil (w.icfbrasil.org). Ainda que sejam grandes as dificuldades para disseminar o Coaching no país, existem pessoas determinadas a levar orientação

“Percebi que eu estava fazendo tudo errado. Trabalhava o dia todo e ainda levava muito serviço para casa.” para ser mais por Julyana Rosa

a sua revista de inteligência e sucesso 15

w.revistasermais.com.br 16

Ser M ais c o m u n i c a t i v o stakeholders fundamentais para as empresas. Durante os últimos três anos pudemos acompanhar os avanços da responsabilidade social corporativa baseados em estudos que desenvolvemos ao longo deste período. Em um universo de 330 empresas de diversos segmentos e setores da economia brasileira, obtivemos números que nos permitiram desenhar um panorama da visão do mercado brasileiro no campo da sustentabilidade. Para se ter uma idéia, 58% das empresas ouvidas nas pesquisas, entendem que a responsabilidade social corporativa ou a publicação de relatórios de sustentabilidade, são formas de governança e têm de estar inseridos no planejamento estratégico das empresas.

para ser mais por Patrícia Centeno Fronteiras da Responsabilidade cada ano que passa podemos»constatar o quanto o assunto responsabilidade social corporativa ganha mais aderência e visibilidade no cotidiano das empresas brasileiras, seja na consciência ou no modo de atuação de seus gestores. Esses líderes, com o passar do tempo, mostram-se mais envolvidos e preocupados com os diversos segmentos que fazem parte do tema, considerando-o importante instrumento para a tomada de decisão. É uma mudança cultural. Antes, havia apenas a prestação de contas para os acionistas, através das demonstrações contábeis, hoje existem os relatórios de sustentabilidade. Aos poucos, a postura de confidencialidade das informações em outras áreas, que não a financeira, foi se alterando a partir da cobrança dos stakeholders por mais transparência e responsabilidade em relação aos impactos causados por ações das empresas. Atualmente, existem corporações que destinam parte do seu orçamento para a preservação e manutenção do desenvolvimento sustentável da sociedade. Empresas que se preocupam com as gerações futuras respeitando as desigualdades sociais e a diversidade. A preocupação com a melhoria no ambiente de trabalho vem se mostrando como fator de grande importância no meio corporativo. Essa constatação é o reconhecimento de que o público interno é um dos w.revistasermais.com.br

a sua revista de inteligência e sucesso 17 gestores e investidores do mundo todo. Alguns empresários defendem que nenhuma corporação deve ficar de fora das ações de responsabilidade social. O foco de todas as empresas será o econômico, mas sempre há como equilibrar os resultados econômicos com o fator ambiental e social, com ética e transparência. Isso é ser socialmente responsável

Fronteiras da Responsabilidade

Patrícia Centeno

+ é gerente sênior e especialista da Área de Sustentabilidade da BDO Trevisan. E-mail: patricia.centeno@bdotrevisan.com.br

A harmonia entre os pilares econômico, ambiental e social é de extrema importância para o contínuo sucesso das empresas, o que torna cada vez mais necessário que a responsabilidade social corporativa passe a ser incorporada ao planejamento estratégico de cada empresa. O esforço para que o relacionamento entre a empresa e os seus diversos stakeholders seja aprimorado e, cada vez mais, transparente é de suma importância para que as necessidades e expectativas possam ser conhecidas e entendidas, objetivando que as ações e metas sejam traçadas da melhor maneira para atender a estas necessidades, tendo como finalidade a sustentabilidade. Os constantes problemas ambientais, o efeito estufa, as alterações climáticas constantes têm sido responsáveis pelo engajamento de muitas empresas preocupadas em investir parte de seus recursos em ações que, além de beneficiar o que está ao seu entorno, poderão garantir a sustentabilidade e perenidade dos negócios. Esta visão está cada vez mais clara entre os

w.revistasermais.com.br 18

+para ser mais por Julyana Rosa ostergar prazeres imediatos para atingir metas. Esta é uma das atitudes das pessoas comprometidas, atualmente em falta nas diversas esferas do relacionamento humano. Tanto no trabalho, como na vida pessoal, há sempre alguém reclamando da falta de comprometimento, no serviço e no namoro. Este quadro, apesar de soar contemporâneo, não é novo. Desde que o homem existe, ele tenta suprir primeiro os seus desejos, deixando o dos outros para depois. Trabalhar é seguir a vontade de uma outra pessoa, realizando tarefas para as quais se é remunerado e que, algumas vezes, não se encaixam nos principais desejos do ser humano. Muitos empresários, chefes e presidentes, quando são questionados sobre o que desejam em seus colaboradores, respondem, mais comprometimento. Com as pessoas, ao perguntar o que mais sentem falta em seus relacionamentos, a resposta é a mesma. Tais dados são fruto de anos de pesquisa e consultoria da Antrhopos Consulting, empresa pioneira na utilização da Antropologia no estudo e desenvolvimento empresarial.

Mercado e relacionamentos precisam de pessoas comprometidas

Ser M ais c o m p r o metidoConheça as atitudes de quem realmente tem disciplina P

a sua revista de inteligência e sucesso 19

Comprometer-se é ter foco e seguir adiante, concluindo aquilo ao que se propõe. Para isso, é preciso ter disciplina, saber dominar as vontades. “A vida oferece à todas as pessoas muitas opções. Quase sempre sabemos o que devemos fazer. O problema é a disciplina para fazer e permanecer fazendo, com foco, durante o tempo necessário para se obter resultado”, explica Luiz Marins, presidente da Antrhopos Consulting. Controlar os próprios desejos depende da utilização da Inteligência Emocional. Este tipo de inteligência é um conjunto de aptidões, utilizadas no processamento e conhecimento das informações relacionadas à emoção. Quem possui um bom autocontrole, não tem problemas em se comprometer+

w.revistasermais.com.br 20

Ser M ais d i n â m i c o para ser mais por Leila Navarro

Por que a confiança é importante para a carreira ocê está a caminho do trabalho, dirigindo sossegadamente seu carro, quando de repente tem um insight brilhante para a solução de um complicado problema da empresa. O que acontece depois? 1. Super entusiasmada, compartilha a idéia para os colegas mais próximos assim que chega ao escritório. 2. Pede uma reunião com seu superior para falar da solução e não comenta absolutamente nada até lá. Vai que algum espertinho “rouba” sua idéia... Eu não me surpreenderia que você tenha escolhido a segunda alternativa. As empresas são ambientes altamente competitivos, onde o colega da mesa ao lado é, em última análise, um concorrente em potencial ao cargo que você almeja. Sendo assim, por que entregar de bandeja uma idéia sensacional para alguém que poderia usá-la para levar algum tipo de vantagem sobre você, não é mesmo? Pelo mesmo motivo, você talvez preserve só para si certas “informações estratégicas” que possui e conhecimentos e experiências que adquiriu com muito esforço. Compartilhar aquilo que você tem de mais precioso significaria anular seu “diferencial competitivo”, certo? Pois é. Talvez você, como aliás muita gente, pense assim. Mas não é assim que as coisas deveriam ser. Deveria haver mais confiança entre as pessoas. É verdade que, neste mundo competitivo e cheio de ameaças à nossa segurança, ninguém é desconfiado porque quer. As circunstâncias nos levam a estar sempre na defensiva para não ser prejudicadas. Mas você já parou para pensar o quando a falta de confiança pode afetar sua carreira? Garanto a você que afeta, não só a carreira como a vida em geral. Esse é o tema de meu mais novo livro, Confiança – A Chave para o Sucesso Pessoal e Empresarial, em co-autoria com o consultor espanhol José María Gasalla, da Integrare Editora. Hoje, as empresas precisam que as pessoas interajam intensamente, troquem informações e compartilhem conhecimentos. Isso é uma das condições necessárias para a construção do aprendizado contínuo e do ambiente favorável à inovação, fatores decisivos para o sucesso no mundo dos negócios. Agora, se você vive de pé atrás com as pessoas e não interage plenamente com elas, o quanto participará desse intercâmbio? O quanto poderá se desenvolver com ele, já que intercâmbio é por definição uma via de mão dupla, na qual a gente dá e também recebe? Você talvez esteja questionando: “Mas por que eu tenho de confiar enquanto o resto do mundo desconfia? Serei eu a ovelha no meio dos lobos?” Esse raciocínio tem lá a sua lógica, mas é por causa dele que ninguém ousa confiar mais. Um não confia no outro por achar que o outro não confia no um, e assim se vai. Mas se ninguém quebrar esse círculo vicioso, jamais sairemos dele. Que tal encarar o desafio de confiar mais? Comece a fortalecer vínculos de confiança aos poucos, com pequenas coisas, com pessoas mais próximas. Abra-se cada vez mais para compartilhar o que sabe e colaborar com os outros. Tenha certeza de que muitas pessoas retribuirão essa atitude e passarão a confiar mais em você, compartilhar o que sabem e colaborar com você. E você será muito enriquecida com isso – além, é claro, de se sentir muito mais confiante! A propósito, se você compartilhar com os colegas aquela idéia brilhante, é possível que alguém veja um ponto fraco nela e ajude você a aprimorá-la. Ou quem sabe alguém complemente a idéia e ela fique ainda melhor. Então você não irá sozinha à direção da empresa, mas acompanhada de colegas, e aquela idéia não será apenas uma idéia, mas o projeto de uma equipe

Leila Navarro é palestrante comportamental, empresária e autora. E-mail: atendimento@leilanavarro.com.br

a sua revista de inteligência e sucesso 21

w.revistasermais.com.br 2

+no alvo - rh

A Caixa Econômica Federal assinou um acordo de cooperação técnica com o Ministério do Trabalho e Emprego, com o objetivo de ampliar a inserção de adolescentes aprendizes no mercado por meio do programa Adolescente e Jovem Aprendiz. Com isso, a CAIXA implantará o programa de forma gradativa e atenderá jovens de 14 a 24 anos que estejam cursando o nivel médio ou já tenham concluído.O programa terá jornada diária de seis horas - de segunda a sexta-feira - sendo, quatro dias destinados às atividades práticas e um dia para capacitação teórica. O contrato de aprendizagem terá vigência de dois anos.

O site w.metodoquantum.com.br disponibiliza aulas e palestras em vídeo, gratuitamente, de consultores e palestrantes renomados. A mais recente do acervo é a 6ª Aula Magna realizada por Wellington Nogueira, ator e fundador do Doutores da Alegria, sobre a quebra de paradigmas a partir do riso. Para ter acesso ao conteúdo é necessário se cadastrar no site. Estes vídeos fazem parte da videoteca da Universidade Quantum uma Universidade Livre, associada ao grupo Quantum Assessment.

Programa de Aprendizes Palestras on-line

(Parte 2 de 7)

Comentários