alucinogenospronto

alucinogenospronto

Busca do autoconhecimento e tentativa de expandir a mente, sensação mística, ou de se aproximar dos mistérios divinos.

  • Busca do autoconhecimento e tentativa de expandir a mente, sensação mística, ou de se aproximar dos mistérios divinos.

  • Permitia ao curandeiro comunicar-se com o mundo espiritual, realizar cura, fazer adivinhações, orientar a tribo nas estratégias de guerra.

  • O auge dos alucinógenos ocorreu na Idade Média na Europa: mandrágora e beladona.

  • Casos de intoxicação pelo centeio contaminado com o fungo Claviceps purpurea.

As sociedades aborígines consideram as plantas alucinógenas como presentes dos deuses.

  • As sociedades aborígines consideram as plantas alucinógenas como presentes dos deuses.

  • Concepção na nossa cultura: são utilizados como sintéticos para produzir prazer individual e imediato ou destruição da realidade presente.

  • Atualmente rituais de seitas como a União do Vegetal, Barquinha e Santo Daime fazem o uso de plantas alucinógenas.

  • Anos 60- disseminação do uso de sintéticos entre os hippies.

Alucinógenos ou “drogas psicodélicas”: substâncias químicas que, em doses não tóxicas, produzem mudanças na percepção, no pensamento e no estado de ânimo.

  • Alucinógenos ou “drogas psicodélicas”: substâncias químicas que, em doses não tóxicas, produzem mudanças na percepção, no pensamento e no estado de ânimo.

  • Alucinação: conjunto de percepções elaboradas na mente e projetadas sobre os sentidos como se a sensação tivesse sido provocada por um agente de fato existente, uma sensação subjetiva que não corresponde a estímulos. externos.

Delírio: construção intelectual mórbida, afastada da realidade e de convicção inabalável do paciente.

  • Delírio: construção intelectual mórbida, afastada da realidade e de convicção inabalável do paciente.

  • “é uma perturbação mental de curta duração, acompanhada de alucinações, excitação mental, inquietude física e gira em torno de um determinando assunto.”

1° grupo: provocam alucinações em altas doses. Ação alucinogênica está relacionada com a ruptura metabólica dos tecidos nervosos.

  • 1° grupo: provocam alucinações em altas doses. Ação alucinogênica está relacionada com a ruptura metabólica dos tecidos nervosos.

  • 2° grupo: substâncias ditas delirantes- atropina, fenciclidina, triexifenidil.

  • 3° grupo: substâncias alucinógenas propriamente ditas – LSD, mescalina, psilocina.

De acordo com estrutura química, alguns alucinógenos como o LSD e a psilocibina são semelhantes a 5- hidroxitriptamina(5-HT), enquanto a mescalina e DOM(dimetoxi metilanfetamina) se assemelham à norepinefrina.

  • De acordo com estrutura química, alguns alucinógenos como o LSD e a psilocibina são semelhantes a 5- hidroxitriptamina(5-HT), enquanto a mescalina e DOM(dimetoxi metilanfetamina) se assemelham à norepinefrina.

  • Os efeitos centrais podem estar ligados às alterações da neurotransmissão serotoninérgica central.

O auge da popularidade nos EUA- fim da década de 60

  • O auge da popularidade nos EUA- fim da década de 60

  • Início da década de 80 - abuso reaparece

  • Não há evidências de síndrome de abstinência, porém seu uso crônico pode implicar em flashback, ansiedade e transtornos de personalidade.

Flashbacks - transtornos de percepção pós-alucinógena; recorrência fragmentar de efeitos alucinógenos, como:

  • Flashbacks - transtornos de percepção pós-alucinógena; recorrência fragmentar de efeitos alucinógenos, como:

  • distorções visuais

  • intensificação de uma cor percebida

  • Aparente movimento de um objeto fixo

  • Confusão de um objeto com outro

  • Sintomas físicos

  • Perda do limite do ego ou emoção intensa

“Bad trip”- efeito adverso do uso da droga, como:

  • “Bad trip”- efeito adverso do uso da droga, como:

  • Sentimentos de perda de controle

  • Distorções da imagem do corpo

  • Alucinações bizarras e aterrorizantes

  • Medo da insanidade ou da morte

  • Tendência suicida

  • Sintomas físicos: suor, palpitação, náuseas, parestesia

Alcaóides de ERGOT;

  • Alcaóides de ERGOT;

  • Conhecidos desde 1875 pelas suas propriedades ocitócicas;

  • Charles Tarnet;

  • 1820, farmacopéia americana;

  • Ácido lisergico, fração aquosa obtida a partir do extrato do Ergot;

  • Metisergida, um fármaco semissintético originário da ergotamina;

1943;

  • 1943;

  • Albert Hoffmann;

  • Visando a otimização das propriedades ocitócicas do ácido lisérgico;

  • Introdução da função dietilamida;

  • LSD

Derivado de alcalóides do ergot;

  • Derivado de alcalóides do ergot;

  • Absorção sublingual;

  • [] entre 20 e 500 Mg;

  • Efeitos em aproximadamente 35 a 45 minutos;

  • Duração do efeito 6 horas;

  • Estágio de recuperação , 7 a 9 horas (ondas de LSD);

Absorção na mucosa do TGI;

  • Absorção na mucosa do TGI;

  • Concentrando-se rapidamente no fígado e nos rins;

  • Por apresentar propriedades hidrofóbicas mais acentuadas atravessa a BHC com facilidade;

  • Atua nos receptores serotoninérgicos;

As amidases hidrolisam a função Amídica, liberando o ácido original;

  • As amidases hidrolisam a função Amídica, liberando o ácido original;

  • Por ser menos hidrofóbico não passa pela BHC, acumulando-se no SNC;

  • O LSD não é substrato para a MAO;

  • EFEITO REBOTE

Auto-aperfeiçoamento, aumento do interesse por questões filosóficas, teológicas e cosmológicas, e iluminação espiritual;

  • Auto-aperfeiçoamento, aumento do interesse por questões filosóficas, teológicas e cosmológicas, e iluminação espiritual;

  • BAD TRIP;

  • Emocionais depressivos, que podem evoluir para reacções psicóticas;

  • Prolongar-se por toda a viagem, que se transforma em verdadeiro pesadelo;

  • Causados pela predisposição do usuário.

Afentaminas com anel substituido;

  • Afentaminas com anel substituido;

  • Nenhum dos c=derivados são comercializados com droa aprovada;

  • DMA--- Industria fotográfica;

  • Encontradas na forma de pó e cor variável entre o branco e bege;

  • Odor característico pela presença de solventes

1914– inibidor de apetite;

  • 1914– inibidor de apetite;

  • 1970---psiquiatria;

  • 1983---torna-se uma droga recreacional;

  • Consumo associado a festas rave e baladas;

  • Consumo de 1 ou2 comprimidos por noite, cerca de 100 a 300 mg;

  • Discreta forma de apresentação

Administração oral;

  • Administração oral;

  • Absorvido no TGI;

  • Picos de [] plasmática em 2h após a administração;

  • Biotransformação hepática;

  • Eliminação lenta, meia-vida de 8h;

  • Alguns metabolitos possuem atividade farmacológica;

Possui estrutura química similar as catecolaminas;

  • Possui estrutura química similar as catecolaminas;

  • Atua aumentando a atividade de pelo menos 3 neurotransmissores: serotonina, dopamina e noradrenalina;

  • Possui maior atuação sobre a serotonina

  • Impede que o transportados de serotonina retire o neurotransmissor da fenda sináptica;

  • Pode fazer com que o transportador de serotoi=nina atue de modo reverso;

Seu uso produz elevação da auto-estima, simpatia e empatia, com sensação de proximidade e intimidade com as pessoas ao redor;

  • Seu uso produz elevação da auto-estima, simpatia e empatia, com sensação de proximidade e intimidade com as pessoas ao redor;

  • A comunicação e a relação com as pessoas melhoram;

  • sentimento de euforia, aumento da energia emocional e física;

  • o uso do "êxtase" em alguns círculos de consumidores sociais foi valorizado por uma suposta ação afrodisíaca2

Cipó

  • Cipó

  • Família: Malpighiaceae

  • nativa da Amazônia

  • “vinho dos mortos”

  • Rituais indígenas:

  • “...a vida cotidiana seria uma ilusão, o verdadeiro aspecto da vida na Terra é aquele contemplado nas visões sob o efeito do chá...” e “força necessária para enfrentar a luta espiritual com a onça gigante e não ser devorado por esta, que está no meio do caminho para a aldeia celeste.” (Labete e Araújo, 2002).

SANTO DAIME:

  • SANTO DAIME:

  • “...a interpretação simbólica da doença é constituída através de noções cristãs como o arrependimento e o perdão, apontando para a necessidade de uma transformação ética, conseguida com a utilização do chá, devidos aos seus poderes na mente humana”. (Labete e Araújo, 2002)

  • A BARQUINHA :

  • O elemento principal é o Daime, de onde os participantes adquirem uma percepção diferenciada da realidade, entrando em um estado alterado de consciência conseguido pelo uso do chá

UDV:

  • UDV:

  • O uso do chá por seus membros é visto como uma forma de atingir um estado de êxtase e lucidez espiritual;

  • Burracheira: “É o nome dado ao efeito da Ayahuasca no espírito humano, e significa ‘força estranha’. Revela a dimensão espiritual e a existência do Sagrado. Durante o tempo que esta força se manifesta, o discípulo experimenta grande clareza e discernimento e recebe ensinamentos sobre a própria existência”.

composição alcalóides ß-carbolinas inibidoras da MAO, sendo que os de maior concentração são: harmina, harmalina, tetra-hidro-harmalina;

  • composição alcalóides ß-carbolinas inibidoras da MAO, sendo que os de maior concentração são: harmina, harmalina, tetra-hidro-harmalina;

  • + Psycotria viridis - possui em sua composição o alcalóide derivado indólico N, N-dimetiltriptamina (DMT);

DMT:

  • DMT:

  • potente alucinógeno;

  • agonista dos receptores 5-HT1a, 1b, 1d e do 5-HT2a e 2c;

  • efeitos aparecem de 30 a 45 minutos;

  • neurônios serotoninérgicos cerebrais estão envolvidos em diversas funções como sono, humor, regulação da temperatura, percepção da dor e regulação da pressão arterial.

ß-CARBOLINAS:

  • ß-CARBOLINAS:

  • Como são inibidoras da MAO, as ß-carbolinas inibem a desaminação intestinal do DMT possibilitando a chegada deste ao cérebro, mesmo por via oral;

  • Os efeitos sedativos primários de altas doses de ß-carbolinas são resultantes do bloqueio da desaminação da serotonina;

  • A tetra-hidro-harmina (THH) é a segunda ß-carbolina mais abundante no chá e atua como um fraco inibidor da recaptação do receptor 5-HT e inibidor da MAO, portanto, o THH pode prolongar a meia vida do DMT por bloquear a sua recaptação intraneuronal.

visão de imagens com os olhos fechados, delírios parecidos com sonhos e sensação de vigilância e estimulação;

  • visão de imagens com os olhos fechados, delírios parecidos com sonhos e sensação de vigilância e estimulação;

  • hipertensão, palpitação, taquicardia, tremores, midríase, euforia e excitação agressiva;

  • Náuseas, vômitos e diarréia são comuns e podem estar associadas à ação no receptor 5-HT2;

  • Os chamados “estados alterados de consciência” provocados pelo chá podem ser considerados como alterações da percepção, cognição, volição e afetividade;

  • Tolerância.

Existem trabalhos que propõem quatro características toxicológicas encontradas nos estados alterados de consciência (Labigaline, 1998):

  • Existem trabalhos que propõem quatro características toxicológicas encontradas nos estados alterados de consciência (Labigaline, 1998):

  • Inefabilidade: algo que não pode ser explicado com palavras em nenhum relato adequado do seu conteúdo.

  • Qualidade noética: semelhantes a estados de sentimento, estados de conhecimento, estados de visão interior dirigida a profundezas da verdade não indagadas pelo raciocínio

  • Transitoriedade: não podem ser mantidos por muito tempo;

  • Passividade: sensação de que a própria vontade está adormecida e de que está sendo agarrado por uma força superior.

3,4,5-trimetoxifeniletilamina – estimulante do SNC;

  • 3,4,5-trimetoxifeniletilamina – estimulante do SNC;

  • Estrutura química semelhante a norepinefrina;

  • Mais antigo composto químico psicodélico já isolado;

  • Usado em rituais religiosos (México e EUA);

  • antagonista serotonínico;

  • ativam receptores de serotonina no cérebro, acionando um conjunto de processos que levam a alterações do estado de consciência que são particulares para cada indivíduo e cujo mecanismo ainda é desconhecido;

Efeitos psicodélicos a partir de 100mg;

  • Efeitos psicodélicos a partir de 100mg;

  • 1-2 horas após a ingestão e podem permanecer durante 12h ou +;

  • 30min – efeitos físicos - vômito, naúseas, salivação, tensão muscular, fadiga, fome, sede etc.;

  • 1 -2h – efeitos psíquicos - aumento de energia física e da euforia; produzem-se alterações visuais e auditivas, acompanhadas de uma marcada intensificação da percepção das cores;

  • Efeitos enteogênicos - sensação de grande paz interior e de respeito em relação ao mundo que o envolve e ao seu mundo interior.

Miristicina – biotransformação em produtos anfetamínicos e aminopropafenona – efeitos psicotrópicos;

  • Miristicina – biotransformação em produtos anfetamínicos e aminopropafenona – efeitos psicotrópicos;

  • A ingestão de 2 frutos já produzem efeito alucinógeno;

  • alterações fisiológicas: boca seca, taquicardia, sede e rubor;

  • Euforia seguido de dormência e entorpecimento;

  • Altas doses – alteração das funções corporais, delírio, cefaléia, vertigem e naúseas.

Rituais indígenas e africanos

  • Rituais indígenas e africanos

  • "Vou bebe minha jurema - dê no qui dé/ e num paro mais - dê no qui dé/ ô que mé, meu Deus - dê no qui dé/ aqui mesmo eu bebo/ aqui mesmo eu caio“.

  • Dimetiltriptamina – alucinógeno;

  • período normal de duração é de 10-40 minutos;

  • alucinações, delírios, dilatação das pupilas, suor excessivo, taquicardia e náusea.

Bruxarias;

  • Bruxarias;

  • Sintetiza substâncias (atropina e/ou escopolamina) que produzem efeitos anticolinérgicos;

  • Esta droga é capaz de produzir muitos efeitos periféricos: dilatação das pupilas, boca seca e o coração pode disparar. Provoca retenção de urina e paralisia das funções intestinais.

  • Produz delírios e alucinações.

Psilocibina - estrutura molecular é análoga à serotonina especialmente se hidrolisada (defosforilação) em Psilocina (4-hidróxi-N,N-dimetiltriptamina) – bloqueia o efeito da serotonina;

  • Psilocibina - estrutura molecular é análoga à serotonina especialmente se hidrolisada (defosforilação) em Psilocina (4-hidróxi-N,N-dimetiltriptamina) – bloqueia o efeito da serotonina;

  • Dose alucinógena: 4 a 19 mg;

  • A sintomatologia nos 30 minutos iniciais é caracterizada por ansiedade, tensão, tontura, marcha ebriosa, náuseas, fraqueza muscular, dores musculares e entorpecimento dos lábios;

30 min. seguintes :visão borrada, os objetos parecem mais iluminados e de formas mais agudas, com sombras maiores, começa-se a ver imagens com os olhos fechados, aumenta a acuidade auditiva e diminui a capacidade de concentração, com raciocínio lento e uma sensação de irrealidade, com o indivíduo sentido-se isolado do mundo;

  • 30 min. seguintes :visão borrada, os objetos parecem mais iluminados e de formas mais agudas, com sombras maiores, começa-se a ver imagens com os olhos fechados, aumenta a acuidade auditiva e diminui a capacidade de concentração, com raciocínio lento e uma sensação de irrealidade, com o indivíduo sentido-se isolado do mundo;

  • Esta sintomatologia dura aproximadamente 3 a 7 horas, podendo ser seguida por cefaléia e fadiga.

Doses excessivas podem provocar delírios, convulsões, coma profundo e morte devido à paragem cardíaca.

  • Doses excessivas podem provocar delírios, convulsões, coma profundo e morte devido à paragem cardíaca.

CAZENAVE, S.O.S. – Alucinógenos. In: Olga, S. Fundamentos de Toxicologia, Atheneu, São Paulo, 1996, pp 329-43.

  • CAZENAVE, S.O.S. – Alucinógenos. In: Olga, S. Fundamentos de Toxicologia, Atheneu, São Paulo, 1996, pp 329-43.

  • CAZENAVE, S.O.S. - Banisteriopsis caapi: ação alucinógena e uso ritual, Rev Psiq Clín 27;(1), 2000, pp. 1-6.

Comentários