metabolismo do lipidios

metabolismo do lipidios

Metabolismo lipídico ou metabolismo dos lipídios

  • Este metabolismo ocorre no ocorre no fígado

  • Os lipídios são provenientes de duas fontes:

  • alimentos ingeridos

  • reserva orgânica que é o Tecido Adiposo.

Fígado

Usina de Processamento

O fígado efetua aproximadamente 220 funções diferentes todas interligadas e co-relacionandas.

  • O fígado efetua aproximadamente 220 funções diferentes todas interligadas e co-relacionandas.

  • podemos dizer que uma das suas principais atividades é a formação e excreção da bile, ou bílis;

  • as células hepáticas produzem em torno de 1,5 l por dia.

  • O fígado, além de produzir em seus processos diversos elementos vitais, ainda age como um depósito, armazenando água, ferro, cobre e as vitaminas A, vitamina D e complexo B.

  • Durante o seu funcionamento produz calor.

  • Tem ação antitóxica importante, processando e eliminando os elementos nocivos de bebidas alcoólicas, café, fármacos e gorduras.

  • Tem um papel vital no processo de absorção de alimentos.

destruição das hemácias;

  • destruição das hemácias;

  • emulsificação de gorduras no processo digestivo, através da secreção da bile;

  • armazenamento e liberação de glicose;

  • síntese de proteínas do plasma;

  • síntese do colesterol;

  • lipogênese, a produção de triglicérides (gorduras);

  • produção de precursores das plaquetas;

  • conversão de amônia em uréia;

  • purificação quanto a diversas toxinas;

Diariamente, ingerimos cerca de 25g -105g de lipídios na forma de triglicerídios TG.

  • Diariamente, ingerimos cerca de 25g -105g de lipídios na forma de triglicerídios TG.

  • No entanto, outras formas de lipídios fazem parte da dieta diária, como os fosfolipídios, o colesterol e as vitaminas lipossolúveis.

  • O armazenamento de ácidos graxos na forma de TG é o mais eficiente e quantitativamente mais importante do que o de carboidratos na forma de glicogênio.

  • Quando hormônios sinalizam a necessidade de energia metabólica, promove-se a liberação destes TG com o objetivo de convertê-los em ácidos graxos livres, os quais serão oxidados para produzir energia.

Metabolismo

  • No duodeno, a primeira parte do intestino delgado, sob a ação da bile que é constituída por sais biliares, produzida no fígado e transportada pelo canal colédoco até o duodeno, os lipídios da dieta são emulsionados, formando partículas de 500-1000 micra de diâmetro, contendo TG.

  • Estas partículas ativam as lipases pancreáticas, enzimas responsáveis pela digestão de lipídios

As enzimas encontram-se no suco pancreático, atuando apenas em pH alcalino (8 a 8,5) que é garantido pelo bicarbonato de sódio (NaHCO3) que também se encontra no suco pancreático.

  • As enzimas encontram-se no suco pancreático, atuando apenas em pH alcalino (8 a 8,5) que é garantido pelo bicarbonato de sódio (NaHCO3) que também se encontra no suco pancreático.

  • As lipases quebram os lipídios em ácidos graxos livres e monoglicerídeos, catalisando a hidrólise dos triglicerídeos com a formação de dois monoglicéridos e dois ácidos graxos.

  • Os ácidos graxos são os principais mecanismos de produção de energia.

  • No interior do enterócito jejunal, os ácidos graxos livres e os monoglicerídicos são ofertados ao REL (retículo endoplasmático liso) , sendo novamente convertidos em TG. O colesterol é convertido em ésteres de colesterol.

  • O retículo endoplasmático liso ou agranular é formado por sistemas de túbulos cilíndricos e sem ribossomos aderidos a membrana. Função: Participa principalmente da síntese de esteróides , fosfolipídios e outros lipídios.

Os TG + fosfolípides + colesterol e seus esteres + ácido graxos livres + vitaminas lipossolúveis reagem no REL com proteínas, formando partículas estáveis denominadas quilomícrons.

  • Os TG + fosfolípides + colesterol e seus esteres + ácido graxos livres + vitaminas lipossolúveis reagem no REL com proteínas, formando partículas estáveis denominadas quilomícrons.

  • A partir do próprio REL, forma-se um vacúolo que engloba os quilomícrons.

  • Estes vacúolo então se abrem para o espaço intercelular e os seus conteúdos são captados pela linfa, penetrando pelo ductos lactíferos e vasos linfáticos, chegando ao ducto torácico e despejando-os na corrente circulatória venosa (os quilomícrons não entram no sangue portal porque são demasiadamente grandes para penetrar nos capilares intestinais).

Dos quilomícrons, os triglicérides serão, hidrolisandos em ácidos graxos livres e glicerol.

  • Dos quilomícrons, os triglicérides serão, hidrolisandos em ácidos graxos livres e glicerol.

  • Os ácidos graxos livres são usados para o metabolismo energético ou são esterificados no RER, onde são conjugados com (proteínas (proteínas receptoras de lípides ou apoproteínas), formando lipoproteínas que são exportadas pelo hepatócito e utilizadas por outros órgão.

Na formação das lipoproteínas estáveis para exportação, são fundamentais os fosfolípides sintetizados no hepatócito pela esterificação de grupos hidroxila do glicerol para ácido fosfórico e ácidos graxos;

  • Na formação das lipoproteínas estáveis para exportação, são fundamentais os fosfolípides sintetizados no hepatócito pela esterificação de grupos hidroxila do glicerol para ácido fosfórico e ácidos graxos;

Comentários