Metabolismo

Metabolismo

METABOLISMO

  • É o conjunto de reações químicas responsáveis pelos processos de síntese e degradação dos nutrientes na célula.

  • O metabolismo divide-se em duas etapas: 

  • Catabolismo (onde há degradação, ou “quebra” de compostos)

  • Anabolismo (que é a síntese, ou seja, formação de compostos).

Ainda temos como Metabolismo

  • O metabolismo é também o processo através dos quais as células capturam energia de outras células (suas vizinhas);

  • convertem nutrientes em blocos construtores para a síntese de macromoléculas tais como os polissacarídeos (açúcares), proteínas e ácidos nucléicos;

  • sintetizam as macromoléculas necessárias para o crescimento e replicação da célula;

  • e degradam macromoléculas para obter energia ou para estoque de seus blocos construtores para futuras construções.

O Catabolismo refere-se ao processo do qual leva a quebra ou degradação de compostos em moléculas menores, mais simples, tais como o íon lactato, etanol, etc.

  • O Catabolismo refere-se ao processo do qual leva a quebra ou degradação de compostos em moléculas menores, mais simples, tais como o íon lactato, etanol, etc.

  • As vias catabólicas são invariavelmente acompanhadas por uma rede de liberação de energia livre.

  • Uma das metas do metabolismo é capturar pelo menos alguma desta energia sob a forma de compostos de alta energia, como a adenosina trifosfato (ATP).

O Anabolismo descreve seqüências de reações nas quais moléculas crescentemente mais complexas são sintetizadas às expensas de ATP, ou seja, o anabolismo requer energia para ser realizado, e esta energia é proveniente das reações de decomposição (catabolismo).

  • O Anabolismo descreve seqüências de reações nas quais moléculas crescentemente mais complexas são sintetizadas às expensas de ATP, ou seja, o anabolismo requer energia para ser realizado, e esta energia é proveniente das reações de decomposição (catabolismo).

Adenosina trifostato (ATP) é a fonte primária de energia química para uma variedade aparentemente sem fim de processos biológicos.

  • Adenosina trifostato (ATP) é a fonte primária de energia química para uma variedade aparentemente sem fim de processos biológicos.

  • Ela alimenta processos tão diversos como a bioluminescência, o transporte de íons e moléculas através de membranas, a contração de músculos, a realização de exercícios, síntese de carboidratos, de ácidos nucléicos etc.

Quando um ATP libera energia ele vira ADP (adenosina difosfato) e precisa ser fosforilado para voltar a ser ATP, sendo necessário, para isso, a degradação de micronutrientes como a fosfocreatina, a glicose, o ácido graxo ou o aminoácido, para novamente ser capaz de gerar energia.

  • Quando um ATP libera energia ele vira ADP (adenosina difosfato) e precisa ser fosforilado para voltar a ser ATP, sendo necessário, para isso, a degradação de micronutrientes como a fosfocreatina, a glicose, o ácido graxo ou o aminoácido, para novamente ser capaz de gerar energia.

O metabolismo dos nutrientes pode ser dividido por vias metabólicas, ou seja:

  • O metabolismo dos nutrientes pode ser dividido por vias metabólicas, ou seja:

  • o metabolismo dos carboidratos (glicose ou glicogênio muscular e hepático);

  • o metabolismo das gorduras (ácidos graxos);

  • e o metabolismo das proteínas (aminoácidos);

  • O metabolismo pode ser dividido também em relação a presença de oxigênio:

  • (metabolismo aeróbio) ;

  • (metabolismo anaeróbio);

  • OBS:

  • A definição da via metabólica utilizada para gerar a ressintese do ATP será a velocidade e a intensidade do gasto energético.

O metabolismo aeróbico refere-se às reações catabólicas geradoras de energia nas quais o oxigênio funciona como um aceitador final de elétrons na cadeia respiratória e se combina com o hidrogênio para formar água.

  • O metabolismo aeróbico refere-se às reações catabólicas geradoras de energia nas quais o oxigênio funciona como um aceitador final de elétrons na cadeia respiratória e se combina com o hidrogênio para formar água.

  • A presença de oxigênio no “final da reação” determina em grande parte a capacidade para a produção de ATP

  • O metabolismo aeróbio promove a ressíntese de ATP através da combustão de carboidratos e gorduras.

O metabolismo de carboidratos, após uma cadeia de eventos, libera energia suficiente para ressintetizar 36 a 38 Moléculas de ATP por molécula de glicose.

  • O metabolismo de carboidratos, após uma cadeia de eventos, libera energia suficiente para ressintetizar 36 a 38 Moléculas de ATP por molécula de glicose.

  • O metabolismo das gorduras é capaz de gerar 147 moléculas de ATP provenientes da degradação completa de um ácido graxo

441 moléculas de ATP, serão obtidas a partir dos componentes dos triglicerídeos, e mais 19 moléculas de ATP são formadas durante a degradação do glicerol, dando um total de 440 moléculas de ATP para cada triglicerídeo catabolizado.

  • 441 moléculas de ATP, serão obtidas a partir dos componentes dos triglicerídeos, e mais 19 moléculas de ATP são formadas durante a degradação do glicerol, dando um total de 440 moléculas de ATP para cada triglicerídeo catabolizado.

OBS

  • O fator de limitação desse sistema é o fluxo de moléculas de oxigênio para as mitocôndrias. Ou seja, sem oxigênio esta via metabólica não consegue ressintetizar ATP em tempo suficiente que a sua demanda exige, ficando restrito a via glicolítica a ressinteze do ATP.

O metabolismo anaeróbico refere-se às reações catabólicas geradoras de energia nas quais o oxigênio não está presente, não sendo possível acontecer o processo total de degradação da glicose para ressintese do ATP, devido à alta velocidade de degradação do ATP e na dificuldade na reposição de energia para trabalho celular. Ou seja, a demanda de energia é maior que a oferta.

  • O metabolismo anaeróbico refere-se às reações catabólicas geradoras de energia nas quais o oxigênio não está presente, não sendo possível acontecer o processo total de degradação da glicose para ressintese do ATP, devido à alta velocidade de degradação do ATP e na dificuldade na reposição de energia para trabalho celular. Ou seja, a demanda de energia é maior que a oferta.

Glicolise

  • Funciona como o primeiro e principal processo de degradação da glicose, uma molécula potencialmente energética.

  • Na actualidade podemos definir a Glicolise como a sequência de reações que converte a Glicose em Piruvato, havendo a produção de Energia sob a forma de ATP

Comentários