Toxoplasmose

Toxoplasmose

Toxoplasmose

Toxoplasmose ou Doença do gato.

  • Toxoplasma gondii: agente etiológico.

  • 1908: coelhos e roedores.

  • Taxon= arco, plasma= corpo

  • Zoonose com ampla distribuição geográfica.

  • O Toxoplasma gondii existe em todos os lugares do mundo e infecta a grande maioria dos mamíferos e das aves.

  • Seu ciclo de vida tem duas fases.

  • A primeira  intestinal, só ocorrendo em gatos (selvagens ou domésticos) e produzindo os oocistos.

  • A segunda  extra-intestinal, ocorre em todos os animais infectados (inclusive gatos) e produz taquizoítos, bradizoítos ou zoitocistos que infectam a carne.

Hospedeiros

  • Mamíferos (homem) e animais de sangue quente.

  • Parasita intracelular obrigatório

  • Homem: reprodução assexuada ou extra intestinal (formação de cisto tecidual)

  • Felídeos: tanto reprodução assexuada como a sexuada ou entérica (oocisto imaturos).

Transmissão

  • Via oral: ingestão de carne crua ou mal cozida contendo cistos.

  • Ingestão de água ou alimentos contendo oocistos.

  • Transmissão congênita.

  • Hemotransfusão.

  • Transplante de órgão solidos

Infecção

  • Assintomática: 80-90% dos casos.

  • Imunodeprimidos: aidéticos, uso de corticóides, quimioterápicos e transplantados.

Estrutura do T. gondii

  • Alongado, encurvado (banana).

  • 4 a 8um de largura.

  • Núcleo no meio do corpo.

  • 2 membranas: - uma externa e simples

  • - uma interna e dupla

  • Aparelho apical.

  • T. Gondii pode ser encontrado em vários tecidos e células exceto nas hemácias e líquidos orgânicos.

  • As formas infectantes que o parasito apresenta durante o ciclo - biológico são:

  • Taquizoíto - Forma encontrada durante a fase aguda da infecção, sendo denominada como forma proliferativa ou trofozoito.

  • Bradizoíto - Forma encontrada em vários tecidos (musculares, esqueléticos e cardíacos) geralmente durante a fase crônica da infecção.

  • Oocistos - É a forma de resistência que possui uma parede dupla bastante resistente às condições do meio ambiente (até doze meses).

  •  

  •  

Penetração no hospedeiro

  • Endocitose

Patogenia e Sintomas

  • Sintomas:

  • São muito variados.

  • Linfadenite

  • Doença febril

  • Corioretinite

  • Dor de garganta

  • Pontos difusos

  • Sintomas agressivos em pacientes com HIV

  • Patogenia:

  • O número de parasitos chega logo a dezenas ou centenas por célula, formando um pseudocisto que, sendo uma estrutura transitória, rompe-se e libera grande número de parasitos para invasão de novas células.

  • A maior densidade parasitária é encontrada por volta do sexto dia.As células geralmente contem menos de 20 parasitos quando prestes a romper-se. Esse parasitismo decresce até que, após duas semanas, já não se encontram aí os toxoplasmas.

  • Toxoplasmose congênita ou neonatal:

  • Mulheres com infecção crônica pelo T.gondii não contaminam seus filhos durante o desenvolvimento intra-uterino, e não se tem provas que causa abortamento.

  • Quando a infecção materna ocorre entre a concepção e o sexto mês de gestação, costuma haver um quadro agudo ou sub-agudo, invadindo os parasitos os órgão fetais, prevalecendo lesões do sistema nervoso e retina.

  • A retinocoroidite é a principal manifestação da toxoplasmose congênita. Ocorre entre 20% e 72% dos infectados ao nascimento e pode se desenvolver em 90% deles até a adolescência

  • As lesões iniciais são nódulos miliares disseminados por todo encéfalo, ou agrupados em torno de focos necróticos.

  • As lesões cerebrais podem calcificar-se, e aparecendo ao exame radiológico como manchas arredondadas, faixas ou grãos disseminados.

  • Infecção congênita no 1º trimestre:

  • Tétrade de Sabin

  • Toxoplasmose pós-natal:

  • Período de incubação varia de 5 a 20 dias e até vários meses. Existem as formas subclínicas (sem febre ou queixas), formas com adenopatia e sem febre, formas febris com adenopatia.

  • A duração da doença pode variar de uma semana a alguns meses, com quadro sintomático inconstantes, ora paciente acamado, ora não.

  • Na toxoplasmose adquirida, a infecção ocorre após o nascimento. Em pacientes imunocompetentes, a infecção é geralmente assintomática e auto-limitada, quando sintomática apresenta-se com sinais e sintomas inespecíficos, durando de semanas a meses. A sintomatologia mais freqüente é linfoadenopatia (especialmente cervical), febre, mal estar, sudorese noturna, mialgias, hepatoesplenomegalia.

  • Toxoplasmose em pacientes imunodeficientes:

  • Infecções crônicas e totalmente assintomáticas assumem subitamente caráter agudo, em doentes que venham sofrer depressão imunológica de etiologia diversas.

  • A maioria dos pacientes apresentam febre e dor de cabeça.

  • A alteração das funções cerebrais manifesta-se por confusão, letargia e alucinações ou psicose franca, perda de memória ou do conhecimento e coma.Convulsões aparecem em um terço dos casos e sintomas neurológicos.

IMUNIDADE:

  • As respostas imune de um hospedeiro a toxoplasmose são complexas e envolvem mecanismos humoral e celular.

  • Imunidade Humoral: A produção de imunoglobulinas da classe IGM aparece inicialmente seguida de IgG após a infecção do hospedeiro. As imunoglobulinas da classe IgG podem ser detectadas pelas reações sorológicas dentro de oito a 12 dias após a infecção pelo T. gondii. A produção de IgM é de curta duração.

  • Imunidade Celular: Quando se inicia a infecção pelo T.gondii, os macrófagos englobam os taquizoitos nos fagossomos, onde os parasitos devem se multiplicar. A multiplicação é inibida através da fusão entre fagossomos e lisossomos e estes devem ser estimulados.

  •  

  •  

Diagnóstico

  • Diagnóstico Laboratorial da Toxoplasmose

  • A infecção pelo T. gondii pode ser diagnosticada indiretamente, através de métodos sorológicos, e diretamente, por reação em cadeia da polimerase (PCR).

  • Métodos sorológicos: detectar anticorpos específicos anti-T. gondii reação de Sabin-Feldman (dye test).

  • Sensibilidade e especificidade.

  • Toxoplasma vivo, o que traz graves problemas de biossegurança.

  • Curva de anticorpos.

  • Os anticorpos da classe IgG aparecem 1 a 2 semanas após a infecção e persistem por toda a vida.

  • IgG em mulheres, indicando infecção passada – diminui a risco de infecção congênita.

  • Os anticorpos da classe IgM aparecem em torno de 5 dias.

Tratamento e Prevenção

  • Tratamento:

  • A necessidade e o tempo de tratamento serão determinados pelas manifestações, locais de acometimento e principalmente estado imunológico da pessoa que está doente.

  • São três as situações:

  • Imunocompetentes com infecção aguda.

  • Infecções agudas em gestantes.

  • Infecções em imunocomprometidos.

  • Medicamentos:

  • Sulfadiazina.

  • Pirimetamina.

  • Clindamicina.

  • Acido folínico associado a pirimetamina.

  • Existem outros medicamentos utilizados com bastante freqüência no tratamento da toxoplasmose. Entre elas: azitromicina, fansidar e mepron.

  • Prevenção:

  • Comer carne mal-cozida.

  • Evitar contato com fezes de gato (higiene do local de defecação do gato)

  • Fazer higiene pessoal.

Mulheres grávidas devem evitar contato com gatos.

  • Mulheres grávidas devem evitar contato com gatos.

  • As gestantes, além de evitar o contato com gatos, devem submeter-se a adequado acompanhamento médico (pré-natal). Alguns países obtiveram sucesso na prevenção da contaminação intra-uterina fazendo testes laboratoriais em todas as gestantes.

  • Em pessoas com deficiência imunológica a prevenção pode ser necessária com o uso de medicação dependendo de uma análise individual de cada caso.

Referências Bibliográficas

Comentários