FACENS Tecnicas de Construção Civil

FACENS Tecnicas de Construção Civil

(Parte 5 de 7)

• Especificar o tipo de dreno e a sua localização.

Não querendo invadir o campo da Engenharia de Fundações, damos nestas anotações de aulas, um pequeno enfoque sobre fundações mais utilizadas em residências unifamiliares térreas e sobrados, ficando a cargo da Cadeira de Fundações aprofundar-se no assunto.

É sempre aconselhável a execução de sondagens, no sentido de reconhecer o subsolo e escolher a fundação adequada, fazendo com isso, o barateamento das fundações. As sondagens representam, em média, apenas 0,05 à 0,005% do custo total da obra.

Os requisitos técnicos a serem preenchidos pela sondagem do subsolo são os seguintes (Godoy, 1971):

• Determinação dos tipos de solo que ocorrem, no subsolo, até a profundidade de interesse do projeto;

• Determinação das condições de compacidade (areias) ou consistência (argilas) em que ocorrem os diversos tipos de solo;

• Determinação da espessura das camadas constituintes do subsolo e avaliação da orientação dos planos (superfícies) que as separam;

• Informação completa sobre a ocorrência de água no subsolo.

3.1.1 - Execução da sondagem

A sondagem é realizada contando o número de golpes necessários à cravação de parte de um amostrador no solo realizada pela queda livre de um martelo de massa e altura de queda padronizadas. A resistência à penetração dinâmica no solo medida é denominada S.P.T. - Standart Penetration Test.

A execução de uma sondagem é um processo repetitivo, que consiste em abertura do furo, ensaio de penetração e amostragem a cada metro de solo sondado.

Desta forma,, em cada metro faz-se, inicialmente, a abertura do furo com um comprimento de 55cm, e o restante dos 45cm para a realização do ensaio de penetração. (Figura 3.1)

As fases de ensaio e de amostragem são realizadas simultaneamente, utilizando um tripé, um martelo de 65kg, uma haste e o amostrador. (Figura 3.2) (Godoy, 1971)

Figura 3.1 - Esquema de sondagem

Figura 3.2 - Equipamento de sondagem à percussão

3.1.2 - Resistência à penetração

O amostrador é cravado 45cm no solo, sendo anotado o número de golpes necessários à penetração de cada 15 cm.

O Índice de Resistência à Penetração é determinado através do número de golpes do peso padrão, caindo de uma altura de 75cm, considerando-se o número necessário à penetração dos últimos 30 cm do amostrador. Conhecido como S.P.T.

55cm - Abertura

45cm - Ensaio

55cm - Abertura

45cm - Ensaio 100cm

100cm

Operador peso guia haste amostrador

A Tabela 3.1 apresenta correlações empíricas, que permite uma estimativa da compacidade das areias e da consistência das argilas, a partir da resistência à penetração medida nas sondagens. (Godoy, 1971)

Tabela 3.1 - Compacidade das areias e consistência das argilas "in situ" (Godoy, 1971)

SOLO DENOMINAÇÃO No DE GOLPES

Fofa £ 4

Pouco Compacta 5 - 8 Med. Compacta 9 - 18 Compacta 19 - 41

Compacidade de areias e siltes arenosos

Muito Compacta > 41

Muito Mole < 2

Mole 2 - 5 Média 6 - 10 Rija 1 - 19

Consistência de argilas e siltes argilosos

Dura > 19

Os pontos de sondagem devem ser criteriosamente distribuídos na área em estudo, e devem ter profundidade que inclua todas as camadas do subsolo que possam influir, significativamente, no comportamento da fundação.

No caso de fundações para edifícios, o número mínimo de pontos de sondagens a realizar é função da área a ser construída (Tabela 3.2).

Tabela 3.2 - Número mínimo de pontos em função da área construída (NBR8036/1983)

ÁREA CONSTRUÍDA Nº DE SONDAGENS de 200m² até 1,200m² 1 sondagem para cada 200m² de 1,200m² até 2,400m² 1 sondagem para cada 400m² que exceder a 1,200m² acima de 2,400m² Será fixada a critério, dependendo do plano de construção.

Podemos ainda, avaliar o mínimo de furos para qualquer circunstância em função da área do terreno para lotes urbanos :

• 2 furos para terreno até 200m²

• 3 furos para terreno entre 200 a 400m², ou

• No mínimo, três furos para determinação da disposição e espessura das camadas.

Os furos de sondagens deverão ser distribuídos em planta, de maneira a cobrir toda a área em estudo. A Figura 3.3 apresenta alguns exemplos de locação de sondagens em terrenos urbanos.

A distância entre os furos de sondagem deve ser de 15 a 25m, evitando que fiquem numa mesma reta e de preferência, próximos aos limites da área em estudo.

Figura 3.3 - Exemplo de locação de sondagens em pequenos lotes

Em relação a profundidade das sondagens, existem alguns métodos para determiná-las:

· pelo critério do bulbo de pressão • pelas recomendações da norma brasileira

Mas, um técnico experimentado pode fixar a profundidade a ser atingida, durante a execução da sondagem, pelo exame das amostras recuperadas e pelo número de golpes.

Em geral, quatro índices elevados de resistência à penetração, em material de boa qualidade, permitem a interrupção do furo.

(Parte 5 de 7)

Comentários