FACENS Tecnicas de Construção Civil

FACENS Tecnicas de Construção Civil

(Parte 6 de 7)

Nos terrenos argilosos, a sondagem deverá ultrapassar todas as camadas. Nos terrenos arenosos, as sondagens raramente necessitam ultrapassar os 15 a 20m.

Obs.: profundidade mínima 8,0m. Essa profundidade pode ser corrigida, à medida que os primeiros resultados forem conhecidos.

Poderá ocorrer obstrução nos furos de sondagens do tipo matacões (rochas dispersas no subsolo) confundindo com um embasamento rochoso. Neste caso a verificação é realizada executando-se uma nova sondagem a 3,0m, em planta, da anterior. Se for confirmada a ocorrência de obstrução na mesma profundidade, a sondagem deverá ser novamente deslocada 3,0m numa direção ortogonal ao primeiro deslocamento. Caso necessário, a sondagem na rocha é realizada com equipamento de sondagem rotativo.

3.1.4 - Perfil de Sondagem

Os dados obtidos em uma investigação do subsolo, são normalmente apresentados na forma de um perfil para cada furo de sondagem.

A posição das sondagens é amarrada topograficamente e apresentada numa planta de locação bem como o nível da boca do furo que é amarrado a uma referência de nível RN bem definido ( Figura 3.4)

No perfil do subsolo as resistências à penetração são indicadas por números à esquerda da vertical da sondagem, nas respectivas cotas. A posição do nível d'água - NA - também é indicada, bem como a data inicial e final de sua medição (Figura 3.5). (Godoy, 1971)

Figura 3.4 - Planta de locação das sondagens

25.0 CASA EXISTENTE EM CONSTRUÇÃO

RUAGUIA EXISTENTE

CASA EXISTENTE CALÇADA2.20

RN=10,0

Figura 3.5 - Exemplo de um perfil de subsolo

3.2 - ESCOLHA DO TIPO DE FUNDAÇÃO

conhecendo as condições de estabilidade, fundações, etcdas construções vizinhas, pode , o

Com os resultados das sondagens, de grandeza e natureza das cargas estruturais e engenheiro, proceder a escolha do tipo de fundação mais adequada, técnica e economicamente.

O estudo é conduzido inicialmente, pela verificação da possibilidade do emprego de fundações diretas.

Mesmo sendo viável a adoção das fundações diretas é aconselhável comparar o seu custo com o de uma fundação indireta.

E finalmente, verificando a impossibilidade da execução das fundações diretas, estudase o tipo de fundação profunda mais adequada.

Os principais tipos de fundações podem ser reunidos em dois grandes grupos: fundações diretas ou rasas e fundações indiretas ou profundas (Figura 3.6).

Alvenaria
Simples
Sapata Corrida Pedra
ou Contínua
Armada
Diretas Simples
ou Sapata Isolada
Rasas Armada
Rígidos
Radier
Flexíveis

Pré Mega ou de reação Moldadas Vibradas de concreto Centrífugas

Estacas

Protendida

Brocas sem camisa Escavadas Raiz

IndiretasRaynond

Moldadas monotube in loco perdidas ou Profundas com camisa

Strauss recuperadas Simples

Duplex Franki de madeira de aço

Tipo poço
céu aberto Tipo Chicago
Tipo gow
Pneumático Tipo Benoto
(ar comprimido)
Tipo Anel de concreto

Tubulões Figura 3.6 - Relação dos tipos de fundações usuais em construção

Portanto os principais tipos de fundações são:

· Fundações diretas ou rasas; • Fundações indiretas ou profundas.

Para a escolha das fundações podemos iniciar analisando uma sapata direta (Figura 3.7).

Figura 3.7 - Profundidade de uma sapata isolada (Df)

• quando Df £ B Þ Fundações diretas

• quando Df > B Þ Fundações profundas

- (sendo “B” a menor dimensão da sapata)

Quando a camada ideal for encontrada à profundidade de 5,0 à 6,0m, podemos adotar brocas, se as cargas forem na ordem de 4 a 5 toneladas Em terrenos firmes a mais de 6,0m, devemos utilizar estacas ou tubulões.

As fundações diretas são empregadas onde as camadas do subsolo, logo abaixo da estrutura, são capazes de suportar as cargas. Com o auxílio da sondagem, obtemos o SPT na profundidade adotada e calculamos a s do solo. Dividindo a carga P pela s do solo, encontramos a área necesária da sapata (Snec).

,@=sP

S s nec s

Encontrada a área, adota-se as dimensões e verificamos se são econômicas (Figura 3.12).

A - B = a - b

Condições econômicas: A - a = B - b

Boa = 4,0 kg/cm²
Regular = 2,0 kg/cm²

Como referência temos s (Tensão admisível do solo) como sendo: Fraca = 0,5 kg/cm²

A Distribuição das pressões, no terreno, é função do tipo de solo e da consideração da sapata ser rígida ou flexível, podendo ser bitriangular, retangular ou triangular.

Uma sapata será considerada flexível quando possuir altura relativamente pequena e , sob atuação do carregamento, apresentar deformação de flexão (Caputo, H.P, 1973)

Descrevemos com mais detalhes as fundações diretas mais comuns para obras de pequeno porte.

3.3.1 - Sapata Corrida em Alvenaria

São utilizadas em obras de pequena área e carga, (edícula sem laje, barraco de obras, abrigo de gás; água etc.).

É importante conhecer esse tipo de alicerce pois foram muito utilizados nas construções antigas e se faz necessário esse conhecimento no momento das reformas e reforços dos mesmos. As etapas de execução são:

a) Abertura de vala * Profundidade nunca inferiores a 40cm

* Largura das valas: - parede de 1 tijolo = 45cm - parede de 1/2 tijolo = 40cm

· Em terrenos inclinados, o fundo da vala é formado por degraus (Figura 3.8), sempre em nível

Figura 3.8 - Detalhe do nivelamento do fundo da vala b) Apiloamento

Se faz manualmente com soquete (maço) de 10 à 20kg, com o objetivo unicamente de conseguir a uniformização do fundo da vala e não aumentar a resistência do solo.

c) Lastro de concreto

(Parte 6 de 7)

Comentários