Capitulo 7 Tipos de texto Dissertação

Capitulo 7 Tipos de texto Dissertação

(Parte 1 de 2)

Capítulo 7 Professor: Edson

Comunicação e Expressão

Capítulo 7 Professor: Edson

A Dissertação

Caro aluno: A partir deste momento, refletiremos um pouco sobre uma outra modalidade de texto: a dissertação. Diante das nossas reflexões anteriores, surge agora, uma importante questão:

Leia a notícia a seguir:

O desmatamento no Brasil 03/05/08 . José

Um dos diversos problemas que o Brasil está enfrentando hoje, é o triste desmatamento que ocorre nas milhares de florestas que existem em nosso país. Madeireiras clandestinas abriram enormes clareiras em nossas florestas, desrespeitando não só o local, mas sim a vida que ali existe.

severamente punido

Esse problema poderá agravar ainda mais outro grande problema, que é o aquecimento global, que está atingindo todo o mundo. A Amazônia é um dos estados mais afetados pelo desmatamento, mesmo sendo a maior riqueza ecológica não só do nosso país, mas sim de todo o mundo. O desmatamento deverá ser discutido pelas autoridades brasileiras e quem o comete deve ser Fonte: http://www.blogers.com.br/o-desmatamento-no-brasil/

O texto analisa um grave problema que o Brasil vem enfrentando atualmente: o desmatamento de suas florestas. O autor destaca que madeireiras clandestinas têm derrubado árvores de forma desordenada, sem pensar nas consequências que isso tem trazido ao meio ambiente.

Se descrever é caracterizar um ser ou um objeto e se narrar é contar sobre algo ou alguém, o que seria dissertar?

Capítulo 7 Professor: Edson

Para abordar a questão, esse autor não nos contou uma história, nem descreveu uma região desmatada, utilizando-se, para isso, de uma linguagem figurativa, mas ele utilizou elementos abstratos (diversos, problema, afetados, riqueza etc.) para expor o seu ponto de vista e nos informar sobre o problema. O texto tem uma informação muito direta, o que o torna extremamente objetivo. E é essa qualidade, a objetividade, que dá forma ao texto dissertativo.

Portanto, uma das primeiras características do texto dissertativo é que, por intermédio dele, o autor analisa e interpreta a realidade por meio de elementos abstratos (problemas, enfrentando, desrespeitando, punido etc.). Quando se utiliza de termos concretos, tais como, autoridades, florestas, país etc., toma-os na sua forma mais ampla, ou seja, não fala de uma floresta em particular ou analisa algum problema específico nela existente. Para discutir tais problemas, ele não elabora uma história, mas procura tratar o problema universalizando a questão. Caso você não se lembre o que são termos concretos e abstratos, volte à aula “Textos Temáticos e Textos Figurativos”.

Além disso, vemos que a progressão dos enunciados obedece a uma relação lógica e não cronológica tal como ocorre na narração. Primeiramente foi colocado o problema, o que ele poderia causar e qual deveria ser a solução.

Portanto, para Platão e Fiorin (1996, p.252) a dissertação “é o tipo de texto que analisa, interpreta, explica e avalia os dados da realidade.”

Esses autores dizem que as características do texto dissertativo são:

a) Ao contrário do texto narrativo e do descritivo, O TEXTO DISSERTATIVO é temático, ou seja, não trata de episódios ou seres concretos e particularizados, mas de análises e interpretações genéricas válidas para muitos casos concretos e particulares; opera predominantemente com termos abstratos. Ex: “Um dos diversos problemas que o Brasil está enfrentando hoje, é o triste desmatamento que ocorre nas milhares de florestas que existem em nosso país.” b) Como o texto narrativo, ele mostra mudança de situação. Ex: O texto sobre “o desmatamento no Brasil” trata do problema que tal ação criminosa provoca, não só

Capítulo 7 Professor: Edson na região atingida pela derrubada indiscriminada, mas também o aquecimento global que afeta o mundo como um todo.

c) Ao contrário do texto narrativo, cuja ordenação é cronológica, ele tem uma ordenação que obedece às relações lógicas. Ao abordar sobre as consequências do desmatamento, a mudança de abordagem está em relação ao assunto e não numa relação temporal. Primeiro trata das consequências na própria região, depois no mundo.

d) Já que a dissertação pretende expor verdades gerais válidas para muitos fatos particulares, o tempo por excelência da dissertação é o presente no valor atemporal ou seja, não há referência propriamente dita ao tempo cronológico; admite-se nela ainda o uso de outros tempos do sistema do presente, a saber: o presente com valor temporal: o pretérito perfeito e o futuro do presente. “Madeireiras clandestinas abriram enormes clareiras em nossas florestas, desrespeitando não só o local, mas sim a vida que ali existe. Esse problema poderá agravar ainda mais outro grande problema, que é o aquecimento global, que está atingindo todo o mundo.” (PLATÃO & FIORIN. 1996, p.252)

Muitas vezes pensamos que é somente num texto dissertativo que o escritor manifesta o próprio ponto de vista sobre um determinado assunto. Como nós já vimos anteriormente, todo texto possui um tema e ao elaborá-lo, quer seja por meio da dissertação, da narração ou da descrição, o escritor está manifestando o que pensa sobre o assunto. O que difere cada tipo de texto é o modo como o escritor apresenta suas opiniões. Platão e Fiorin (1996, p.253) vão dizer que a narração vai mostrar mudanças de situação, ou seja, o escritor vai captar o mundo e vai contar essa transformação, como ocorre no conto Pausa. Na descrição serão expostos propriedades e aspectos de um ser particular numa relação de simultaneidade, ou seja, não relatando mudanças conforme ocorre no texto “Jardim Morto” de García Lorca. Já no texto dissertativo, o escritor procura explicar, analisar, classificar e avaliar os seres concretos, por isso, sua referência ao mundo faz-se por conceitos amplos, muitas vezes abstraídas do tempo e do espaço. Dessa forma,

Capítulo 7 Professor: Edson

Podemos dizer que existem dois tipos de textos dissertativos: o expositivo e o argumentativo.

O Texto Dissertativo Expositivo

O texto expositivo tem por objetivo desenvolver ou explicar um assunto, ou seja, discorrer sobre ele. É muito comum usarmos esse tipo de texto numa apresentação científica, quando fazemos um relatório, um artigo enciclopédico ou quando vamos explicar algo. Em princípio, o texto expositivo não está preocupado com a persuasão e sim, com a transmissão de conhecimento, sendo, portanto, um texto informativo.

Dessa forma, ele apresenta informações sobre um objeto ou fato específico, procurando descrever e enumerar suas características. Um fato importante é a apresentação de muita informação e, caso se trate de algo novo, é necessário que haja inúmeros detalhes para que o leitor consiga construir uma imagem do que está sendo abordado. Um bom texto expositivo deve deixar claro o assunto ou o tema central sobre o qual está se tratando.

Quando se trata de temas polêmicos, a apresentação de comentários se faz necessária para que o autor informe aos leitores sobre as possibilidades de análise do assunto discutido.

Leia o texto a seguir:

Vacina contra H1N1 será testada em humanos no Brasil

O Instituto Butantan está convocando voluntários em

São Paulo para testar a tolerância e segurança de 13 vacinas fabricadas pela própria instituição contra o vírus H1N1, causador da gripe suína. São necessários 400 voluntários, de o discurso dissertativo típico é o da ciência, o da filosofia, o dos jornais, etc.

Capítulo 7 Professor: Edson

18 a 50 anos, de ambos os sexos e que sejam saudáveis. Os participantes não podem ter contraído o vírus, não podem ser portadores de HIV e as mulheres não podem estar grávidas.

Os estudos serão conduzidos pelo Instituto da Criança do Hospital das Clínicas, pelo Hospital Universitário da USP e pelo Butantan. As vacinas foram feitas com amostras importadas do vírus e, só após os testes, o Instituto definirá qual será produzida de fato. A pesquisa deve terminar em março, para que a fabricação da vacina possa começar. (http://drjairobouer.blog.uol.com.br/. Acesso em 08/02/2010)

O texto acima está informando o leitor sobre o teste de vacina contra o vírus da gripe suína, que o Instituto Butantan fará em voluntários. Observe que esse texto não tem por objetivo convencer o leitor sobre os benefícios da vacina, mas o seu propósito é apenas o de informar, sem emitir um juízo de valor. É um texto dissertativo, porque ele procura ser objetivo na sua informação e também procura transmitir o seu conteúdo de forma clara, tendo na sua maioria elementos abstratos da linguagem (estudos, testar, tolerância, segurança, participantes, pesquisa etc.).

Quando vamos responder uma questão de prova ou de algum concurso, nós geralmente elaboramos um texto expositivo, pois deveremos responder de forma clara, com todas as informações necessárias, o que se pergunta. Isso tem sido um grande problema, principalmente quando falamos em questões de provas, pois, muitas vezes, o estudante pensa que respondeu corretamente à questão formulada e que conseguiu transmitir, com clareza, o que sabia; mas, no momento de verificar o resultado, se surpreende ao perceber que sua resposta foi considerada incorreta. Para que isso não ocorra, precisamos ler atentamente a questão e entender o que

Capítulo 7 Professor: Edson de fato se pede para que possamos responder acertadamente. Vejamos um exemplo bem simples: suponhamos que o professor dê a seguinte questão:

Leia o texto abaixo:

Para Escrever Claramente

Escrever com clareza é muito importante para estabelecer uma comunicação eficiente no ambiente profissional.

Veja alguns "princípios da redação clara", segundo o livro O Poder da Simplicidade, de Jack Trout e Steve Rivkin.

1. Dê preferência às sentenças curtas. 2. Prefira a palavra mais simples à mais complexa. 3. Escolha a palavra mais familiar. 4. Evite palavras desnecessárias. 5. Coloque ação em seus verbos. 6. Escreva como você fala. 7. Escreva para se expressar, não para impressionar.

O texto “Para Escrever Claramente” é um texto expositivo. Justifique.

Como você responderia a questão: O texto “Para Escrever Claramente” é um texto expositivo. Justifique.

Talvez, muitos alunos tenham começado a sua resposta dessa forma: “Sim” ou “Não”. Se você fez isso, a sua resposta está equivocada, pois não foi formulada uma pergunta e sim feita uma afirmação, ou seja, o professor não quer saber se o texto é ou não é expositivo; ele já está dizendo que é. O que se quer saber é: por que o texto “Para Escrever Claramente” é expositivo?

Capítulo 7 Professor: Edson

Outra resposta que estaria errada seria: “Ele é expositivo porque expõe um assunto”. Como vimos, todo texto trata de um assunto, nenhum texto é pautado em nada. Sempre iremos escrever sobre alguma coisa.

Agora, se você disse: “O texto ‘Para Escrever Claramente’ é expositivo porque trabalha com os elementos abstratos da linguagem, tais como, clareza, comunicação, profissional, a fim de fornecer algumas dicas para a elaboração de um texto bem escrito; além disso, a exposição dos elementos é feita de forma clara e denotativa, pois as palavras foram utilizadas em seu sentido literal, objetivo e explícito, possuindo, assim, um nítido caráter instrucional”, PARABÉNS! A sua resposta está corretíssima, pois nela existem informações importantes que caracterizam um texto expositivo.

Um recurso muito útil do texto expositivo é a definição. Muitas vezes, quando vamos escrever um texto, recorremos à definição para deixar claro para o nosso leitor sobre o que, exatamente, estamos falando. Engana-se quem pensa que a definição é utilizada apenas para apresentação de termos técnicos. Muitas vezes, em nosso texto, queremos esclarecer em qual sentido um determinado termo está sendo empregado e, para isso, utilizamos a definição. Observe o texto abaixo:

(Parte 1 de 2)

Comentários