A Teoria de Cordas e a Unificação das Forças da natureza

A Teoria de Cordas e a Unificação das Forças da natureza

(Parte 1 de 5)

ATeoria de Cordas e a

Unificação das Forças da Natureza

Victor O. Rivelles

Instituto de Fısica

Universidade de S˜ ao Paulo rivelles @fma.if. usp. br http://www.fma.if. usp. br/rivelles/

Simp´ osio Nacionalde Ensino de Fısica- S˜ ao Luız, MA, 30/01/2007

ATeoria de Cordas e a Unificac ˜ ao das Forc as da Natureza – p. 1/29

O Método Científico

Observação do Fenômeno: Éimportante que ofenômeno possaserrepetido. Nessa fasesãofeitas medidascuidadosas.

ATeoria de Cordas e a Unificac ˜ ao das Forc as da Natureza – p. 2/29

O Método Científico

Observação do Fenômeno: Éimportante que ofenômeno possaserrepetido. Nessa fasesãofeitas medidascuidadosas.

Criação de Hipóteses:Imagina m- se explicações para ofenômeno. Aprocura da explicação(do porquê)leva, muitasvezes àcriação de u m Modelo. Ahipótese ou modelo maissimples e elegante éescolhidoco mo provávelexplicação para ofenômeno estudado. Um modelo éu ma descriçãofor malde u mfenômeno, u ma maneira de entender ofenômeno, que écapaz defazer predições.

ATeoria de Cordas e a Unificac ˜ ao das Forc as da Natureza – p. 2/29

O Método Científico

Observação do Fenômeno: Éimportante que ofenômeno possaserrepetido. Nessa fasesãofeitas medidascuidadosas.

Criação de Hipóteses:Imagina m- se explicações para ofenômeno. Aprocura da explicação(do porquê)leva, muitasvezes àcriação de u m Modelo. Ahipótese ou modelo maissimples e elegante éescolhidoco mo provávelexplicação para ofenômeno estudado. Um modelo éu ma descriçãofor malde u mfenômeno, u ma maneira de entender ofenômeno, que écapaz defazer predições.

Teste das Hipóteses: Ahipótese escolhida deve explicar novas observações e novos fenômenos . O modelorelacionado àesta hipótese devesercapaz defazer previsões sobrefenômenos que aindavão ocorrer. Se a hipótese estiver errada, dependendo do grau de erro, ela deveser melhorada, parcialmentecorrigida ou abandonada(trocada por outra hipótese).

ATeoria de Cordas e a Unificac ˜ ao das Forc as da Natureza – p. 2/29

O Método Científico

Observação do Fenômeno: Éimportante que ofenômeno possaserrepetido. Nessa fasesãofeitas medidascuidadosas.

Criação de Hipóteses:Imagina m- se explicações para ofenômeno. Aprocura da explicação(do porquê)leva, muitasvezes àcriação de u m Modelo. Ahipótese ou modelo maissimples e elegante éescolhidoco mo provávelexplicação para ofenômeno estudado. Um modelo éu ma descriçãofor malde u mfenômeno, u ma maneira de entender ofenômeno, que écapaz defazer predições.

Teste das Hipóteses: Ahipótese escolhida deve explicar novas observações e novos fenômenos . O modelorelacionado àesta hipótese devesercapaz defazer previsões sobrefenômenos que aindavão ocorrer. Se a hipótese estiver errada, dependendo do grau de erro, ela deveser melhorada, parcialmentecorrigida ou abandonada(trocada por outra hipótese).

Estabelecimento de u ma Lei Científica: Se a hipótese éco mprovada pelostestes elase torna u maleicientífica.

ATeoria de Cordas e a Unificac ˜ ao das Forc as da Natureza – p. 2/29

O Método Científico

Observação do Fenômeno: Éimportante que ofenômeno possaserrepetido. Nessa fasesãofeitas medidascuidadosas.

Criação de Hipóteses:Imagina m- se explicações para ofenômeno. Aprocura da explicação(do porquê)leva, muitasvezes àcriação de u m Modelo. Ahipótese ou modelo maissimples e elegante éescolhidoco mo provávelexplicação para ofenômeno estudado. Um modelo éu ma descriçãofor malde u mfenômeno, u ma maneira de entender ofenômeno, que écapaz defazer predições.

Teste das Hipóteses: Ahipótese escolhida deve explicar novas observações e novos fenômenos . O modelorelacionado àesta hipótese devesercapaz defazer previsões sobrefenômenos que aindavão ocorrer. Se a hipótese estiver errada, dependendo do grau de erro, ela deveser melhorada, parcialmentecorrigida ou abandonada(trocada por outra hipótese).

Estabelecimento de u ma Lei Científica: Se a hipótese éco mprovada pelostestes elase torna u maleicientífica.

Criação de u ma Teoria: Umateoria éu mconjunto deleis que explica u m mes mo fenômeno ou algunsfenômenosrelacionados entresie quejáfoitestada eco mprovada e m u m grande número de experiências.

ATeoria de Cordas e a Unificac ˜ ao das Forc as da Natureza – p. 2/29

Oque éunificar?

Reducionis mo naciência: explicar o maior número possíveldefenômenosco m o menor número possívelde hipóteses.

ATeoria de Cordas e a Unificac ˜ ao das Forc as da Natureza – p. 3/29

Oque éunificar?

Reducionis mo naciência: explicar o maior número possíveldefenômenosco m o menor número possívelde hipóteses.

Aristóteles: movimento nos céus édiferente do movimento na Terra.

ATeoria de Cordas e a Unificac ˜ ao das Forc as da Natureza – p. 3/29

Oque éunificar?

Reducionis mo naciência: explicar o maior número possíveldefenômenosco m o menor número possívelde hipóteses.

Aristóteles: movimento nos céus édiferente do movimento na Terra.

Kepler, Galileo e Newton: unificara m o movimento dos corpos celestes e ter- restres nas LEIS DE MOVIMENTO DE

ATeoria de Cordas e a Unificac ˜ ao das Forc as da Natureza – p. 3/29

Oque éunificar?

Fenômenos elétricos e magnéticostêm naturezas diferentes.

ATeoria de Cordas e a Unificac ˜ ao das Forc as da Natureza – p. 4/29

Oque éunificar?

Fenômenos elétricos e magnéticostêm naturezas diferentes.

Faradaye Maxwell: unificara m o ca mpo elétrico e magnético na TEORIA ELE-

(Parte 1 de 5)

Comentários