Estruturas mercadológicas

Estruturas mercadológicas

ESTRUTURAS MERCADOLÓGICASProf. Rubens

1 [ Fatores de Produção; Agentes econômicos; Produtos Finais]

orçamento financeirorenda (disponibilidade)
preço dos fatores de produçãopreço dos produtos finais

i tecnologia disponível (representado pela função de produção)

Como os Agentes Econômicos (consumidores e empresários) maximizam, respectivamente, as Satisfações e os Lucros.

AMBIENTE ECONÔMICO definem as várias ESTRUTURAS DE MERCADO

ClientesMercado Consumidor
FornecedoresMercado Fornecedor
ConcorrentesMercado Concorrente

VISÃO DE MERCADO são os:

Teoria do Consumidor: os indivíduos desejam adquirir um conjunto de bens e serviços, cujas quantidades dependem da renda que possuem e dos preços dos bens que lhes propiciem máxima satisfação [análise da demanda x procura]. O desenvolvimento da teoria do consumo e sua fundamentação sobre a teoria das preferências individuais exigiriam estudos paralelos das unidades de produção. Processo de Produção:

Teoria da Empresa: os empresários desejam oferecer os bens e serviços, cujas quantidades estarão limitadas por seu orçamento financeiro, que, em essência, depende dos preços dos fatores de produção e da tecnologia disponível, tendo como objetivo econômico obter o maior lucro possível. A Teoria da Empresa está intimamente ligada ao conceito de indústria ou teoria industrial, que se compõe, em geral, do conjunto das empresas que fabricam produtos similares.

O Mercado fará a conciliação entre esses dois objetivos antagônicos [ consumidores desejos ilimitado e vendedores devido à escassez dos meios de produção, realizam a produção e a oferta em níveis limitados].

Será desenvolvida a análise da influência do ambiente econômico onde se realizam as operações de compra e venda - influências que definem as várias estruturas de mercado.

Isso significa que as quantidades de determinado bem, serviço ou fator de produção, que cada agente irá vender (ofertante) ou comprar (demandante) dependerá da configuração de mercado.

No mundo, o mercado não é definido pelo espaço físico; são as mercadorias que o identificam. No mundo moderno, não há necessidade nem de as mercadorias ficarem expostas nem de ter um local específico para expô-las.

SATISFAÇÃO maximizar

Terra, Capital, Trabalho Produtos Intermediários

Processo Produtivo com uma tecnologia dada

Produto Final

Conceito de Mercado, como sendo
"o conjunto de pontos de contatos, segundo os quais compradores e ofertantes de recursos produtivos ou de

2 bens e serviços, ou mesmo, de um conjunto de produtos finais, e os usuários ou prestadores de serviços, ou conjunto de serviços que estabelecem condições de compra e venda de prestações de serviços, concretizam os negócios decorrentes do que acordam". [ não envolve limitações de espaço; não impõe, necessariamente, a presença física para efetuar as negociações; o espaço físico ou a área abrangida pelo mercado pode ser local, regional, nacional e internacional].

- QUANTIDADES DOS AGENTES - DIFERENCIAÇÃO DO FATOR DE PRODUÇÃO OU DO PRODUTO [ produtos homogêneos ou diferenciados. Os bens homogêneos ocorrem quando não houver substitutos próximos. - CONDIÇÕES DE ENTRADA E SAÍDA DAS EMPRESAS [fáceis ou difíceis]

TIPOS DE ESTRUTURAS MERCADOLÓGICAS CONCORRÊNCIA PERFEITA [limite superior de competitividade: competitivo ou concorrencial] a) Muitos Agentes - milhares de compradores e vendedores cujos atos de compra e venda não têm nenhuma influência em relação ao volume de negócio do mercado e, portanto, não conseguem afetar o preço prevalecente no mercado. O mercado é soberano ou impessoal; b) Produtos e fatores são homogêneos; c) Conhecimento - Os agentes conhecem a natureza do produto, serviço ou fator de produção e o preço prevalecente no mercado. É indiferente comprar o bem, serviço ou fator de produção de qualquer vendedor. Os vendedores conhecem também todas as condições econômicas, tecnológicas e de custos das empresas, e os consumidores sabem tudo de suas preferências; d) Perfeita mobilidade e divisibilidade - Os agentes e os fatores de produção têm mobilidade, não há nenhuma restrição à entrada e saída dos agentes, bem como há perfeita divisibilidade de produtos e recursos produtivos.

É raro poder-se exemplificar esse tipo de mercado. Mas podemos citar, com exemplo, o mercado dos produtos agrícolas [bens essenciais] na fase de produção, onde há muitos produtores de bens padronizados e não há barreiras à entrada no setor. O fazendeiro aceita o preço de mercado, não tem nenhum controle sobre o preço.

É um mercado que serve de indicador padrão e pode ser comparado à lei do gás perfeito, como na física.

CONCORRÊNCIA IMPERFEITA Esses mercados existem quando as condições a) e b) do mercado de concorrência perfeita - são contrariadas.

1. Monopólio - Neste mercado existe apenas um vendedor para um produto ou serviço que não tem, naquele instante, um substituto próximo. Ou, como os economistas dizem, a elasticidade cruzada entre esse produto e outro não existe - é nula. O monopolista é o único a vender o produto ou serviço. Esse mercado corresponde ao outro extremo entre os mercados, sendo o oposto da concorrência perfeita.

Dois argumentos explicam a existência desse mercado:

Tecnológico - A exigência de economias de escala em uma única empresa de grande dimensão propicia uma produção a menores custos. Por isso, essa empresa produz e vende para todo o mercado com custos médios mais baixos do que um conjunto de empresas concorrenciais. São os chamados monopólios naturais.

Legal-institucional - As patentes e marcas de exclusividades permitem que as empresas desfrutem de custos reduzidos e restringem a concorrência. As proteções de marcas pela legislação impedem a imitação, pelos possíveis rivais, durante o tempo de suas vigências.

2. Concorrência Monopolística - São exemplos desse mercado: atividades de serviços de beleza, conserto de bens duráveis, indústrias de confecção de roupas, farmácias, padarias, vendas de cosméticos, restaurantes, etc.

3. Oligopólio - É um mercado em que existe um pequeno número de vendedores concorrentes ou rivais entre si, que controlam a oferta de um bem ou serviço, que podem ser homogêneos ou diferenciados. Nesse mercado, um pequeno grupo de empresas é responsável pela totalidade da produção do mercado. As ações isoladas de qualquer empresa provoca reações no comportamento dos demais. As empresas são interdependentes.

Oligopólio Puro - é o mercado oligopolista em que os produtos ou serviços são homogêneos. Este é um caso excepcional. É difícil não existir substitutos entre os produtos.

Existe rivalidade entre os vendedores, mas é possível acordos legais entre eles. O que é comum é a repartição do mercado pelos ofertantes [ ex. indústrias de cimento, pneus, vidros, medicamentos etc.]. Para o comprador não há diferença em relação ao mesmo produto que é vendido pelos poucos ofertantes.

Oligopólio Diferenciado - É o mercado em que um pequeno número de vendedores transacionam produtos ou serviços que são sucedâneos próximos.

Neste mercado oligopolista há uma concorrência efetiva entre vendedores. Apesar de haver diferenciação do bem existe um certo grau de monopólio nesse mercado [ ex. indústria de cigarros - negociam-se produtos que atendam à mesma necessidade, mas sua natureza é considerada diferente pelo fumante - refrigerantes, cervejas, goma de mascar, etc.]

Existe a possibilidade de serem estabelecidas estratégias de ação conjunta entre os vendedores. Quando o oligopólio é formado por apenas dois ofertantes é chamado duopólio.

Causas da existência do Oligopólio - Na literatura econômica tem-se discorrido sobre as possíveis causas para a existência do oligopólio:

a) Quando a empresa possui desde sua fundação uma posição dominante no mercado e se mantém por meio de processos naturais ou artificiais, como de argumentações mercadológicas; b) Fusões ou incorporações para dominar o mercado e garantir frações crescentes no mercado; barreiras à entrada de novas empresas, com por exemplo:

- economias na produção de grande volume; - perspectivas de obtenção de maiores lucros pela fusão ou consolidação para restringir a concorrência;

- vantagens da diferenciação de produtos;

- vantagens absolutas em custos - por comprar insumos a preços menores, ou porque tem domínio do processo de produção.

Próxima aula: Mercado de fatores de Produção e Método de Análise de Formação de Preços.

Comentários