PDF-2010 Almeida e Gama-Import SocioQAF

PDF-2010 Almeida e Gama-Import SocioQAF

IMPORTÂNCIA SOCIOAMBIENTAL DOS QUINTAIS AGROFLORESTAIS NO ASSENTAMENTO MOJÚ I E I, PA: CONSTRUINDO ALTERNATIVAS SUSTENTÁVEIS NA AMAZÔNIA1

Larissa Santos de Almeida2 João Ricardo Vasconcellos Gama3

Soluções sustentáveis para a Amazônia são iminentes, principalmente quando se trata de Assentamentos Rurais, em muitos casos vistos como potenciais causadores do desmatamento. Em contraponto, modalidades de uso da terra como os quintais agroflorestais surgem nestas áreas com alternativas viáveis e importantes na vida dos agricultores familiares. Neste contexto, o objetivo do estudo consistiu em diagnosticar o nível de importância socioambiental dos quintais agroflorestais para as famílias da comunidade Santo Antônio (3°32’58.89”S e 54°43’57.1”W), Assentamento de reforma agrária Mojú I e I, BR-163, Pará. Realizou-se um inventário florístico em seis quintais, sendo dois antigos, dois intermediários e dois recentes (tempo de formação). O maior número de espécies foi de frutíferas como Persea americana (abacate), Annona muricata (graviola), Mangifera indica (mangueira), Anacardium occidentale (cajueiro), Theobroma grandiflorum (cupuaçu), Psidium guajava (goiabeira), Oenocarpus bacaba (bacaba), Cocus nucifera (coco), Autocarpus integrifolia (jaca), Spondias lutea (taperebá) e Citrus sp. (limão), que integram a dieta dos comunitários, além de espécies florestais, como Carapa guianensis (andiroba), domesticada para facilitar o acesso das famílias às sementes e posterior extração do óleo e, de espécies condimentares como Allium fistulosum (cebolinha). A presença de plantas medicinais com nomes populares de remédios comerciais como “melhoral” e “elixir paregórico” permitiu inferir a importância dos quintais no aspecto saúde. Os quintais são predominantemente manejados pelas mulheres, cuja decisão de cultivo é influenciada principalmente pela busca da segurança alimentar e salutar de suas famílias. Os quintais são importantes na economia doméstica na redução das despesas das famílias e, no aspecto social representam um local de convívio do núcleo familiar. De modo geral, a carência de serviços básicos como acesso à saúde e a distância dos centros urbanos induziram a implantação dos quintais agroflorestais no Assentamento e, ao longo do tempo, a diversificação de seus componentes tende a evoluir. O acesso aos recursos naturais nas proximidades das residências dos assentados promove a diminuição da pressão sobre a floresta nativa, a ocupação do território de maneira moderada e o uso dos recursos naturais de forma sustentável.

Palavras-chave: quintais agroflorestais, assentamentos rurais, Amazônia, sustentabilidade Órgão finaciador: CNPq

1 VII Jornada de Iniciação Científica e Pesquisa Tecnológica do IESPES. AnaisSantarém, 2010.

2 Engenheira Florestal, Programa de Pós-graduação/Mestrado em Ciências Florestais da Universidade Federal

Rural da Amazônia-UFRA, larissaflorestal@yahoo.com.br 3 Doutor em Ciências Florestais, Professor da Universidade Federal do Oeste do Pará-UFOPA, jrvgama@gmail.com

Comentários