A Energia e Seus Impactos

A Energia e Seus Impactos

(Parte 1 de 4)

40capítulo 5 a energia e seus impactos

E SEUS IMPACTOS implicações socioambientais

caderno do professor

. prêmio jovem cientista nossas sociedades se fundamentam na premissa da energia a baixo custo. o barateamento da energia instaurou uma série de padrões humanos de comportamento, produção e consumo, que hoje nos colocam frente a grandes desafios como as mudanças climáticas, a poluição e o empobrecimento da biodiversidade. o problema é que esses padrões não são facilmente adaptáveis no caso de ocorrer uma mudança brusca na disponibilidade ou no uso de fontes de energia convencionais.

42capítulo 5 a energia e seus impactos embora os processos tecnológicos de transformação e utilização de energia tornem a nossa vida mais confortável, eles provocam impactos ambientais diversos, muitas vezes irreversíveis, tais como a destruição de habitats e alterações em populações e comunidades naturais.

os impactos ambientais

Dentro de uma visão tradicional, um impacto ambiental pode ser definido como qualquer alteração no meio ambiente que resulte das atividades humanas e afete o funcionamento dos sistemas. Exemplos desses impactos são frequentemente registrados e vêm sendo discutidos, como o efeito estufa, o desmatamento, a extinção de espécies e seus efeitos sobre o bem-estar humano e a saúde dos ecossistemas.

Entretanto, é importante ressaltar que existem impactos ambientais resultantes de fenômenos naturais como tempestades, terremotos, furacões, dentre outros. Estes fenômenos também ocasionam alterações nos ecossistemas, sem necessariamente originar-se de atividades humanas.

As interferências negativas do homem sobre o meio ambiente aumentaram após a Revolução Industrial, e particularmente no século x. esses impactos ambientais foram impulsionados pelo crescimento populacional e o aumento do consumo per capita de energia, em especial nos países industrializados. hoje, países como estados unidos, china, rússia, Índia e japão são considerados os maiores poluidores do planeta.

O impacto no meio ambiente associado à geração de energia pode ter seus efeitos e sua magnitude restritos a uma localidade, uma região, ou ampliados globalmente.

exemplos de impactos ambientais e suas consequências

Impactos locais são os impactos cujos efeitos se dão exclusivamente na área da atividade humana ou do empreendimento, como a contaminação do solo e a poluição do ar de uma localidade, pela queima do carvão de uma usina termelétrica.

Usina termelétrica no Reino Unido. A poluição do ar de uma cidade pela queima de carvão é um exemplo de impacto local.

caderno do professor

. prêmio jovem cientista

Impactos regionais São aqueles cujos efeitos afetem diretamente a região do empreendimento ou atividade humana, na sua totalidade ou em parte, podendo se estender ao território de dois ou mais estados.

Impactos globais Aqueles cujas consequências afetam todo o planeta. As mudanças climáticas decorrentes do aquecimento do globo são um exemplo. Considerado um dos maiores impactos associados à geração e ao uso de energia, esse aumento gradual da temperatura média da superfície terrestre é resultado da ele- vada emissão de gases de efeito estufa, principalmente o CO2. Tais mudanças interferem negativamente na história do século XXI, fazendo com que reformulemos diversas atividades humanas, como o uso de combustíveis fósseis – petróleo, por exemplo –, as queimadas, o desmatamento.

os elementos das mudanças climáticas

O carbono é o elemento básico na composição de todos os organismos vivos do planeta. Átomos deste elemento encontram-se estocados na atmosfera, nos oceanos, solos e rochas sedimentares, além de estarem presentes em abundância nos combustíveis fósseis como o petróleo e o carvão mineral. A queima de matéria-prima contendo carbono gera a emissão de gás carbônico, principal gás de efeito estufa, para a atmosfera. Esse composto é também conhecido como “dióxido de carbono” ou “anidrido carbônico” e é constituído por um átomo de carbono (C) e dois átomos de oxigênio (O), sendo representado quimicamente por CO2. Embora outros gases emitidos pelas atividades humanas, como o metano (CH4), os clorofluorcarbonos (CFCs), e os óxidos de nitrogênio (NO, NO2), possam também comprometer o equilíbrio climático do planeta, o CO2 é o principal gás de efeito estufa, e isto graças ao elevado aumento de sua concentração verificado nas últimas décadas.

Efeito estufa certos componentes da atmosfera são capazes de reter parte da radiação infravermelha do sol, os raios UV, refletidos pela superfície terrestre, ocasionando o chamado efeito estufa. Dentre esses componentes estão o vapor d’água, o dióxido de carbono, o ozônio, o metano, e outros já citados aqui. O efeito estufa ajuda o planeta a manter uma temperatura estável, sem grande amplitude térmica. Ele é um fenômeno de vital importância. A vida na Terra, como a conhecemos, depende de uma temperatura média do planeta em torno dos 15°C. Sem o efeito estufa, estima-se que essa temperatura média do planeta seria de aproximadamente 6°C negativos.

Aquecimento global O clima depende de muitos fatores, dentre eles a composição da atmosfera. Sem os gases de efeito estufa, nosso planeta seria um lugar gelado, mais parecido com Marte, onde as temperaturas médias ficam em torno de -23ºC. Por outro lado, com o excesso de gases de efeito estufa, a Terra se assemelharia mais a Vênus, onde as temperaturas estão em torno de 460ºC. Para a vida adaptada às condições climáticas de nosso planeta, são cruciais as mudanças nos gases de efeito estufa.

44capítulo 5 a energia e seus impactos

O aquecimento global é consequência do agravamento do efeito estufa. As grandes mudanças climáticas pelas quais a Terra passou, como a Era do Gelo, que terminou há 1.500 anos, tiveram causas naturais, com variações na órbita do planeta afetando a incidência de raios solares. Nestes casos, os ciclos de aquecimento e resfriamento acontecem ao longo de milênios. Por sua rapidez e escala, as mudanças climáticas atuais configuram um episódio diferente nessa história.

Foi a partir do século XIX que a humanidade passou a manipular a energia com mais intensidade, aumentando a emissão de gases de efeito es- tufa. desde 1750, a concentração de co2 passou de 280 ppm (partes por milhão) na atmosfera do planeta para mais de 380 ppm atuais. Um crescimento de 36%.

foi esse acréscimo na concentração de co2 que desencadeou o aumen- to da capacidade da atmosfera de reter calor. as emissões de co2 continuam a crescer e a concentração desse gás, segundo pesquisadores,

pode alcançar 550 ppm até o fim do século.

Em 2007, o quarto Relatório de Avaliação do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), que reúne mais de 2.500 cientistas ligados à Organização das Nações Unidas (ONU), concluiu que as emissões de gás carbônico geradas pelas atividades humanas – queima de combustíveis fósseis e queimadas, principalmente – são a principal cau-

sa do aquecimento global. As emissões de CO2 seguidas por outros gases do efeito estufa, como o metano, levaram a uma elevação de quase 1ºC

na temperatura global no último século, mais acentuadamente nos últimos 30 anos. E o quadro pode se agravar. Os cenários mais otimistas preveem um aumento de temperatura de 1,8ºC até 2100, o que desencadeará mudanças climáticas que podem pôr em risco o equilíbrio dos ecossistemas e a sobrevivência dos seres vivos. a humanidade nunca esteve diante de um desafio tão grande quanto reverter os efeitos negativos que suas atividades causaram ao planeta.

o efeito estufa

1. a radiação solar atravessa a atmosfera terrestre.

2. a terra absorve a radiação solar, emitindo parte desta para o espaço, sob a forma de calor.

3. Alguns gases, como o dióxido de carbono ou metano, entre outros, impedem que esta energia escape, o que aumenta a temperatura da superfície terrestre: é o efeito de estufa.

caderno do professor

. prêmio jovem cientista a maior parte da comunidade científica admite cenários que resultam em aumento da temperatura média global de 1ºC a 6ºC, dependendo do tipo e do nível de consumo de energia que as mais importantes nações do mundo adotarem nas próximas décadas. Se os modelos estiverem corretos, o aquecimento global desencadeará fortes alterações na evaporação e na precipitação, com regimes de secas e de enchentes mais rigorosos. As consequências para a agricultura serão críticas. A saúde humana também será afetada com a expansão dos vetores de doenças tropicais. o parasita Plasmodium, principal agente da malária, se espalhará por novas áreas, aumentando a incidência da doença. a extinção de espécies vai acelerar. o derretimento de parte das calotas polares, ocasionando o aumento no nível dos oceanos em mais de seis metros, bem como um aumento na frequência e intensidade de furacões e tornados com alto poder destrutivo são alguns dos piores eventos catastróficos previstos. Cientistas especulam que já estamos observando o começo desses efeitos do aquecimento global. O furacão Katrina, que atingiu a cidade de Nova Orleans (EUA), em 2005, se-

ria um exemplo disso. +

Fonte: IPCC, 2000.

aquecimento da superfície Global (ºc)

A2 A1B

Século X

Concentrações constantes do ano 2000 para saber mais: Mudanças Climáticas da Agência de Notícias dos Direitos da Infância (Andi) w.mudancasclimaticas.andi.org.br+

46capítulo 5 a energia e seus impactos consequências do aquecimento global

Nenhum lugar está aquecendo mais rápido que o Ártico. as temperaturas no polo norte estão aumentando duas vezes mais que no resto do planeta. As calotas polares estão encolhendo e o permafrost – solo permanentemente congelado do Ártico – experimenta um derretimento de grandes proporções, ameaçando animais como o urso polar.

A Geleira Gangotri, no Himalaia, é outro exemplo das mudanças climáticas. perdeu dois mil metros em 150 anos. Ela tem agora apenas 25 km. E o ritmo do derretimento está se acelerando. É do degelo da Gangotri que nasce o rio Ganges, na Índia. A redução glacial do Gangotri pode deixar sem água 500 mil pessoas e 37% da terra irrigada da Índia. Cientistas calculam que, em função do aumento do nível das águas, quando chegarmos a 2050, milhões de pessoas que vivem em deltas de rios terão sido removidas, constituindo um novo tipo de migração dos “refugiados do clima”.

As temperaturas ficarão mais baixas apenas em parte do hemisfério Norte. O resto do mundo ficará mais quente, gerando grandes alterações na disponibilidade da água, nas condições meteorológicas das regiões costeiras, no resultado da agricultura, na saúde das pessoas e no equilíbrio dos ecossistemas.

aquecimento global no Brasil

De acordo com o IPCC, nenhuma região do planeta escapará dos efeitos das mudanças climáticas. Simulações e pesquisas indicam que um aumento na temperatura média da região norte do Brasil possa provocar a “savanização” da Amazônia. A floresta densa e de alta biodiversidade registraria mais incêndios florestais e menor nível de água em seus rios. Uma consequência direta da savanização da Amazônia é a redução da pluviosidade na região Sudeste. Estima-se que cerca de 75% das chuvas que caem em São Paulo sejam produzidas na Amazônia. Isso afetaria diretamente a vida nos centros urbanos da região, onde moram mais de 50% da população do país.

Número 10 – energia e cidadania / o aquecimento global e o homem Nela você encontrará sugestões para abordar este tópico e desenvolver atividades com seus alunos. coNsulte a ficha

Urso polar no Ártico. O derretimento das geleiras pode gerar a extinção da espécie.

caderno do professor

(Parte 1 de 4)

Comentários