Manual de Conservação e Reúso de Água na Indústria

Manual de Conservação e Reúso de Água na Indústria

(Parte 2 de 6)

• Reúso para fins industriais; • Reúso na aqüicultura.

A Resolução será regulamentada e estabelecerá diretrizes de qualidade da água de reúso para cada uma das modalidades. Estes são exemplos da incorporação dos temas relacionados à conservação e reúso de água na legislação brasileira.

Aspectos legais e Institucionais

Tabela 2.1 – Classes de água de reúso pela NBR-13.969 e padrões de qualidade Água de ReusoAplicaçõesPadrões de Qualidade

Classe 2Turbidez < 5 uT Coliformes Termotolerantes < 500 NMP/100 mL

Cloro residual superior a 0,5 mg/L

Lavagem de pisos, calçadas e irrigação de jardins, manutenção de lagos e canais paisagísticos, exceto chafarizes.

Classe 3 Turbidez < 10 uT Coliformes Termotolerantes < 500 NMP/100 mL

Descargas em vasos sanitários.

Coliformes Termotolerantes < 5000 NMP/100 mLOxigênio dissolvido > 2,0 mg/LClasse 3

Irrigação de pomares, cereais, forragens, pastagem para gados e outros cultivos através de escoamento superficial ou por sistema de irrigação pontual.

Lavagem de carros e outros usos com contato direto com o usuárioClasse 1

Turbidez < 5 uT Coliformes Termotolerantes < 200 NMP/100 mL Sólidos Dissolvidos Totais < 200 mg/L pH entre 6 e 8 Cloro residual entre 0,5 mg/L a 1,5 mg/L

3PLANO DE CONSERVAÇÃO E REÚSO DE ÁGUA (PCRA)

Um Plano de Conservação e Reúso de Água (PCRA) é uma importante ferramenta na promoção do uso racional da água na indústria. Para implantá-lo eficientemente, é necessário considerar os aspectos legais, institucionais, técnicos e econômicos.

Deve ser empregada uma metodologia que permita, por análise de processos e atividades, avaliar as oportunidades para implantação de práticas que reduzam o consumo de água por meio da otimização do uso e do reúso; identificando as características quantitativas e qualitativas da água consumida e dos efluentes gerados em cada setor.

Na Figura .1, é apresentado um diagrama das principais etapas para o desenvolvimento de programas de conservação e reúso de água. A metodologia empregada contempla ações para uma caracterização das atividades e dos processos industriais, principalmente nos de significativo consumo de água e geração de efluentes.

3.1. Levantamento de dados

Este processo inicial é composto das seguintes atividades: Análise documental; Levantamento de dados em campo; e Compilação e apresentação dos dados.

3.1.1. Análise documental

É necessário iniciar com uma análise dos documentos que contenham: as características da produção industrial; os produtos gerados; as informações sobre consumo de água nos diversos setores; as plantas das edificações; os fluxogramas de processos; os laudos com as características dos diferentes efluentes gerados; a qualidade da água utilizada nos diferentes processos; os fluxogramas das estações de tratamento; as rotinas operacionais; e os planos e os programas futuros, referentes à expansão industrial com seus efeitos sobre a demanda de água e de geração de efluentes. Após a coleta de dados, é necessária uma análise da qualidade e idoneidade dos documentos disponíveis por técnicos com conhecimento e experiência (Figura .1).

Plano de Conservação e Reúso de Água ( PCRA) Figura 3.1 – Diagrama para desenvolvimento do PCRA sim

Visitas em campo consumo está setorizado ? sim nãorealização de medição de vazão individualizada compilação de dados

Identificação do Potencial de

Redução do consumo de Água

• Identificação de perdas físicas • Identificação para redução de consumo de água por segmento • Verificação da viabilidade de substituição de equipamentos.

Reavaliação das demandas de água e dos volumes e características dos efluentes gerados.

Identificação dos pontos potenciais para aplicação do Reúso

Há dados do limite de qualidade da água requerida pelos diferentes usos ? nãoDeterminar a qualidade mínima da água para os diferentes usos.

Comparação quantitativa e qualitativa entre os efluentes gerados e a demanda de água para os diferentes usos Há necessidade de tratar o efluente? não sim

Análise de documentos

Manual de Conservação e Reúso de Água na Indústria

3.1.2. Levantamento de dados em campo

O levantamento de dados em campo tem o objetivo de coletar informações que não estão disponíveis nos documentos bem como de identificar oportunidades para otimizar o uso da água e analisar o potencial de reúso de efluentes gerados no próprio local de sua produção. É necessário que as visitas técnicas nos setores sejam acompanhadas por seus responsáveis, para a obtenção de informações específicas, como o relato das condições críticas operacionais.

3.1.3. Compilação e apresentação de dados

Os dados obtidos nas etapas anteriores devem ser organizados e tabulados para permitir uma avaliação sistêmica dos processos. Uma parte dos dados poderá ser utilizada para a construção de um diagrama de blocos, conforme ilustrado na Figura .2, representando um macro fluxo do processo industrial, desde a fonte de abastecimento até a estação de tratamento e disposição final. As categorias de uso da água devem ser definidas para atender às necessidades e às características de cada indústria, conduzindo a uma avaliação precisa das diferentes demandas. Para exemplificar, na Tabela 3.1 e na Figura . , são apresentados os resultados obtidos em um levantamento de demanda de água por categoria de uso.

lavagem de reatores lavagem de tanques móveis torres de resfriamento vasos sanitários caldeira irrigação de áreas verdes

Figura 3.3 – Consumo de água por categoria de uso

Figura 3.1 – Exemplo de setorização do consumo de água em indústria alimentícia

Categoria de Uso demanda de

ÁgUa (m /dia) PorCentagens

Lavagem de reatores

Lavagem de tanques móveis Torres de resfriamento Vasos saniatários Caldeira

Irrigação de áreas verdes

Plano de Conservação e Reúso de Água ( PCRA) Figura 3.2 – Fluxos de água e efluentes em uma unidade industrial (Mierzwa e Hespanhol, 2005).

Água

(m /h) Efluente Tratado (m /h)

Evaporação (m/h)

Efluente (m/h) Água de Lavagem

E fl u e nte (

(Parte 2 de 6)

Comentários