Manual de Conservação e Reúso de Água na Indústria

Manual de Conservação e Reúso de Água na Indústria

(Parte 6 de 6)

_ Rio de Janeiro, Projeto de Lei nº 1. 50/2004. Torna obrigatória a utilização de sistema de reúso de água servida e o uso das águas pluviais para fins não potáveis nas edificações que especifica, situadas no Estado do Rio de Janeiro. _ CEIVAP, Deliberação nº , de 0 de dezembro de 2001. Dispõe sobre a implantação da cobrança pelo uso dos recursos hídricos na Bacia do Rio Paraíba do Sul a partir de 2002.

_ CEIVAP, Deliberação nº 15, de 04 de novembro de 2002. Dispõe sobre medidas complementares para a implantação da cobrança pelo uso de recursos hídricos na Bacia do Rio Paraíba do Sul a partir de 2002, em atendimento a Deliberação CEIVAP nº 0 /2001. _ Comitês PCJ, Deliberação conjunta nº 025/05, de 21/10/2005; alterada pela Deliberação conjunta dos Comitês PCJ nº 02 /05, de 0/1/2005,

ANA, FIESP, SindusCon-SP, COMASP, Conservação e reúso de água em edificações. São Paulo, 2005. Hespanhol, I.; Gonçalves, O.M. (Coordenadores), Conservação e Reúso de Água – Manual de Orientações para o setor industrial – Volume 1. Organização FIESP/CIESP. São Paulo, 2004.

Mierzwa, J.C.; Hespanhol, I. Água na indústria – Uso racional e reúso. Oficina de Textos. São Paulo, 2005. 144 p.Tabela - Estimativa de custos para suprimento de 0 m³/dia de água pluvial e 0 m³/dia de água de reúso

(Parte 6 de 6)

Comentários