Trabalho escrito MICRO

Trabalho escrito MICRO

(Parte 1 de 2)

Fainor – Faculdade Independente do Nordeste

Centro de Controle Infecção Hospitalar – CCIH

Vitoria da Conquista

Agosto 2010

Faculdade Independente do Nordeste

Curso Enfermagem II Semestre

Turno: Vespertino

Professora: Maria Teresa Magalhães Morais

Componente Curricular: Microbiologia e Imunologia

Alunos: Angélica Freitas, Ariane Garbin, Eliane Meira Isabela Nunes, Michele Alves, Rafaela Moutinho.

CCIH

Comissão de Controle de Infecção Hospitalar

Historicamente, no Brasil, o Controle das Infecções Hospitalares teve seu referencial com a Portaria MS nº 196, de 24 de junho de 1993, que instituiu a implantação de Comissões de Controle de Infecções Hospitalares em todos os hospitais do país, independente de sua natureza jurídica. E Com isso, o Ministério da Saúde optou por treinar os profissionais de saúde desta instituição (Hospital Geral de Vitória da conquista) credenciou um Centro de

Treinamento onde ministrou um Curso de Introdução ao Controle de Infecção Hospitalar.

As diretrizes gerais para o Controle das Infecções neste Serviço de

Saúde foram implementadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), através da Unidade de Controle de Infecções em Serviços de Saúde (UCISA), e esse estimulo ate hoje tem sido dado no sentido de enfrentar os problemas das infecções relacionadas à assistência.

Os profissionais de saúde desta mesma hoje são capacitados para o controle das infecções neste serviço de saúde pública.

Quais são as diretrizes da CCIH?

*Epidemiologia para o Controle de Infecção Hospitalar

Conceito e Cadeia Epidemiológica

Vigilância Epidemiológica

Controle e Investigação de Surtos

Conceitos e Critérios Diagnósticos

*Principais Síndromes Infecciosas Hospitalares

Infecção do trato urinário, sítio cirúrgico e pneumonia

Infecção do acesso vascular, corrente sangüínea. Infecção em pacientes especiais (queimados, renais crônicos e neonatos)

*Métodos de Proteção Anti-infecciosa

Limpeza, Esterilização e Desinfecção de Artigos e Anti-sepsia

Precauções Padrão, Isolamento e Saúde Ocupacional

* Microbiologia Aplicada ao Controle de Infecção Hospitalar

Antimicrobianos e o controle de infecção

Laboratório de Microbiologia

*Programa do Controle de Infecção Hospitalar

Setores de Apoio e o Controle de Infecção Hospitalar

Organização do Controle de Infecção Hospitalar

Infecção:

Infecção é uma doença que envolve microrganismos (bactérias, fungos, vírus e protozoários). Ocorre a penetração do agente infeccioso no corpo do hospedeiro e com isso a proliferação e como conseqüência a manifestação de sinais e sintomas. Estes sinais e sintomas podem se manifesta com a febre, dor, alteração em exames laboratoriais, debilidade entre outros.As infecções podem ocorrer em localizações topográficas ou dissemina pela corrente sanguínea.

Infecção comunitária:

Este tipo de infecção é aquela que já estava instalada no momento em que o paciente foi internado no hospital. Podendo esta em incubação, só ocorrendo depois à manifestação de sintomas após a internação deste paciente.

Infecção Hospitalar:

É uma síndrome infecciosa que é adquirida no paciente após sua internação ou realização de um procedimento ambulatorial. Pode também ocorre este tipo de infecção após a alta, desde que esteja relacionada com algum procedimento realizado durante a internação deste paciente. Só profissionais treinados como médicos ou enfermeiros com esta qualificação em Infecção hospitalar esta apto a relacionar sinais e sintomas de infecção com os procedimentos realizados em unidades de saúde e da o parecer de diagnóstico de infecção hospitalar.

Agentes mais comuns de infecção hospitalar:

Microrganismos como bactérias, fungos e vírus são causadores de infecção hospitalar. O grupo de patógenos que tem destaque são as bactérias que constituem a flora humana que no normal não causam risco a indivíduos saudáveis, devido sua baixa virulência, mas podendo causar infecção em indivíduo com o estado clínico comprometido, e estas bactérias são denominadas oportunistas.

Os fungos sendo o candidaalbicans e o aspergillus são patógenos mais freqüentes. São responsáveis por 8% das infecções hospitalares.Já os vírus da hepatite B e C,enteroviroses e viroses que tem associação com a pneumonia hospitalar são comumente registrados.As viroses são por volta de 5% das infecções.

Os sítios de infecção hospitalar que ocorrem com mais freqüência são o trato urinário,feridas cirúrgicas e trato respiratório.Os patógenos que ganham destaque nas infecções hospitalares são:

  • Escherichia coli

  • Pseudômonas sp

  • Klebsielle sp

  • Proteus sp

  • Enterobacter sp

  • Serratia sp

Todas estas bactérias descritas acima são de natureza Gram Negativas.

Já estas que serão citadas abaixo são de natureza Gram positivas.

  • Streptococcus sp

  • Staphylococcus aureus

  • Staphylococcus epidermitis

No caso de fungos o que ocorre com mais freqüência é:

Cândida albicans

O ambiente Hospitalar é um grande reservatório de patógenos virulentos e oportunistas. Sabendo que as infecções hospitalares podem ser adquiridas não só por pacientes, mas também pode ocorre com os visitantes e funcionários da própria instituição.

Estes patógenos são transmitidos ao indivíduo tanto via endógena ou via exógena,os principais fatores que desencadeiam uma infecção são:

*Status imunológico

*Idade (recém-nascidos e idosos são mais vulneráveis)

*Uso abusivo de antibióticos

* Procedimentos médicos, em particular, os invasivos

* Imunossupressão

* Falhas no procedimento de controle de infecção.

Mecanismos de transmissão:

A transmissão destes microrganismos pode ocorre:

Contato:

- Contato direto: É a transmissão de microrganismos de uma pessoa a outra. Isto ocorre através do contato físico.

- Contato indireto: Ocorre por falta de manuseio inadequado de equipamentos e materiais ou processamento ineficaz de lavagem, desinfecção ou esterilização e contato com secreções.

Gotículas:

É a passagem de microrganismos através das partículas liberadas durante a tosse, espirro ou fala.

Via aérea:

Microrganismos disseminam por meio de gotículas da tosse,espirro ou fala.Essas gotículas se ressecam e tornam se menores,permanecendo suspensas no ar por longos períodos,se estas forem inaladas poderão causar infecção.

A infecção ocorre quando um número suficiente de microrganismos alcança um sítio adequado para o desenvolvimento, se multiplicando e causando danos ao hospedeiro. Para que sejam evitadas estas infecções devemos instituir a presença de microrganismos de alta transmissibilidade ou importância epidemiológica as preocupações especificas que são baseadas na forma de transmissão.

CCIH

(Parte 1 de 2)

Comentários