Coletania uso do aço

Coletania uso do aço

(Parte 1 de 16)

USO DO AÇO

3ª Edição

(Revisada e Ampliada) 2004

Roberto de Araujo Coelho

Coordenação: Djaniro Álvaro de Souza

Colaboração: Christiane Mirian Haddad Fernando Ottoboni Pinho Rosângela C. Bastos Martins

A construção industrializada oferece vantagens extraordinárias, desde a racionalização do processo construtivo até a conseqüente redução de custos e desperdícios. E quando se trata de racionalização do processo construtivo, é obrigatório considerar o uso de estruturas metálicas como alternativa. Utilizada largamente no segmento industrial brasileiro, a construção em aço ainda tem uma participação tímida no que se refere principalmente a edifícios de andares múltiplos. Há que destacar, entretanto, que nos últimos anos a construção em aço tem crescido exponencialmente, seguindo a inexorável tendência ao uso de processos industrializados e alta tecnologia. Trata-se de um desafio extraordinário, considerando-se que na costrução civil brasileira predomina a construção convencional e os métodos artesanais. Os Perfis Gerdau Açominas, laminados, cuja fabricação foi iniciada em 2002, representam um reforço em termos de produtos classe mundial, para ajudar o segmento da construção em aço a aumentar sua competitividade.

É essencial na construção industrializada, dedicar-se mais tempo ao projeto e ao planejamento, em benefício de maior rapidez na execução da obra. A escolha dos elementos construtivos e a sua melhor combinação são fatores preponderantes para a racionalização da construção e a redução de prazos e custos. Nesse contexto, referindo-nos à construção em aço, a interface entre as vedações (paredes e lajes) e a estrutura requerem atenção especial, visando aumentar a velocidade da construção e prevenindo eventuais patologias.

Quando lançamos a primeira edição deste manual, não tínhamos idéia da extraordinária demanda por parte dos profissionais do segmento para esse tipo de publicação. A 2ª edição também foi esgotada rapidamente, tornando-se um dos mais procurados manuais da Coletânea do Uso do Aço, editados pela Gerdau Açominas.

Nesta 3ª edição, que publicamos com renovada satisfação, foram incluídas novas interfaces, abrangendo outros tipos de edificações e ampliando assim a sua utilização como material técnico de referência e consulta.

1 Introdução7
2 Interfaces Usuais em Edifícios1
Vedações13
Painéis Pré-Moldados14
Placas, Pele de Vidro23
Parede Cortina28
Paredes Moldadas “in Loco”30
Alvenaria Desvinculada30
Alvenaria Vinculada42
Lajes45
Laje Maciça Convencional46
Laje Pré-Moldada Alveolar47
Laje Mista com Fôrma de Aço Incorporada48
Laje Treliçada49
3 Interfaces Usuais em Galpões51
Vedações53
Painel Pré-Moldado Alveolar5
Painel Metálico e Parede56
Parede Moldada “in Loco”59
4 Notas Gerais61
Recomendações63
Referências Bibliográficas63

5 COLETÂNEA DO USO DO AÇO

INTRODUÇÃO 1

Neste manual são apresentadas diversas soluções possíveis para as interfaces entre os Perfis Gerdau Açominas e demais sistemas complementares estruturais e de vedação que contribuem para o funcionamento de uma edificação como um todo.

As vedações verticais fazem parte do sistema responsável pela forma do edifício. Nelas estão inseridas as janelas, as portas, as instalações, e também fixados os revestimentos. Sua geometria é fruto da criatividade e experiência do arquiteto. As dimensões e formas definirão as opções de escolha do sistema a ser adotado, seja painel, placa, pele de vidro ou alvenaria convencional. Como representam quase a totalidade da superfície vertical do edifício, devem ser tratadas com a devida atenção e responsabilidade.

As vedações horizontais, compostas pelas lajes, são elementos estruturais que, unidos à estrutura, garantem a sua sustentação. São responsáveis pela transferência das cargas verticais às vigas e, das horizontais, às colunas. O tipo de laje determina não só o desempenho da estrutura, como todo o desenvolvimento da obra quanto à produtividade, velocidade, precisão e segurança. A seção transversal e sua deformabilidade vertical definem as fixações das vedações verticais, principalmente as internas.

Independente do grau de industrialização do processo construtivo adotado, a estrutura deverá estar em harmonia com os demais elementos que compõem a edificação. A escolha do tipo de vedação a ser projetada necessita ser cuidadosamente avaliada e precedida do estudo das características de cada sistema ou processo e de uma verificação da disponibilidade no mercado.

Os detalhes sugeridos neste manual são meramente ilustrativos, devendo ser consultados os fornecedores quanto às especificações de cada sistema. Não devem, portanto, ser utilizados diretamente nos projetos e obras sem um prévio estudo e dimensionamento.

INTRODUÇÃO

9 COLETÂNEA DO USO DO AÇO

13 COLETÂNEA DO USO DO AÇO

14 COLETÂNEA DO USO DO AÇO

São paredes inteiras, industrializadas, posicionadas externamente à estrutura. Quando fixados diretamente nos pilares, reduzem significativamente o peso das vigas externas, pois não transferem cargas para as mesmas.

É o sistema com maior grau de industrialização no processo construtivo e, quando necessário, podem substituir os contraventamentos metálicos externos, bastando que sejam corretamente projetados para tal situação.

DET 01A

DET 01D DET 01C

DET 05A DET 01B

DET 05B

15 COLETÂNEA DO USO DO AÇO

DET 01 APAINÉIS PRÉ-MOLDADOS

Painel

Perfil de Arremate

Painel Pré-Moldado ELEVAÇÃO

Isolamento Térmico

Tolerância

Vedação Anti-Chama

Apoio Fixação

Tolerância

Apoio Móvel (superior)

Fixação Gravidade (inferior)

Apoio Fixação

Espaçador

Divisória ("dry-wall")

Fixação Gravidade

Laje

Selante Painel

Painel

Vedação Anti-Chama

Laje

Estrutura não aparente.

Painel pré-moldado de vedação. Alinhamento por fora da estrutura.

DET 01 BPAINÉIS PRÉ-MOLDADOS

16 COLETÂNEA DO USO DO AÇO

(Parte 1 de 16)

Comentários