Úlceras de pressão

Úlceras de pressão

(Parte 1 de 3)

ÚLCERAS DE PRESSÃO MD.MScFABIEL SPANI VENDRAMIN

Perda tecidual por isquemia, devido a pressão nos tecidos entre uma proeminência óssea e uma superfície de apoio

•Prolonga a internação •Aumenta custos

•Espoliação do paciente

•SEPSEÓBITO

DoH, 1993 –Indicador de qualidade

BROWN-SÉQUARD (1853) –Pressão e umidade

CHARCOT (1879) –Lesão nervosa

VAN GEHUCHTEN (1908) –Atonia muscular

KÜSTER (1908) –Infecção bacteriana

MULHOLLAND (1943) –Nutrição

LAMON e ALEXANDER (1945) –1 o Trata mento cirúrgico

KOSTRUBALA e GREELEY (1947) –Isquiectomia

GUTHRIE e CONWAY (1969) –Isquiectomiaúlcera perineal

LEYDEN (1974) –Perdas da sensibilidade, do controle autonômico e do reflexo periférico

PRESSÃO * P arteríola = 32 mmHg* P capilar = 20 mmHg* P vênula = 12 mmHg

•Fase Aguda: eritemaedema cianose
bolhasinício de necrose

•Fase Crônica: necrose profunda estendendo-se da pele e subcutâneo até a fáscia, músculo e articulações. Osteíte ou osteomielitepodem estar presentes. Necrose em forma de “iceberg”

I. Hiperemia: 30 min.

I. Isquemia: 2 a 6 h.

I. Necrose: > 6 h. IV. Ulceração: 2 semanas.

I–Eritema na pele

I–Ulceração de até a derme

I–Ulceração até o su bcu tâneo

IV–Ulceração atingindo músculo, osso ou articu laçã o

•Edema intersticial. • Dilataçã o vascu lar.

•Lesão capilar e hemorragia.

•Trombose vascular.

•Vacuolizaçãoe morte celular.

•Degneraçãode Zenkerdas fibras musculares.

•Infiltrado linfomonocitárioe aumento de fagócitos.

•Proliferação de tecido intersticial, formando uma barreira.

•Deposição de colágeno no tecido de granulação na base da úlcera

Locais Susceptíveis

5%Maleolar 9%Calcâ nea 17%Sacr al 19%Troca ntérica 28%Isq uiatica

8%Maleolar 12%Troca ntérica 18%Calcâ nea 27%Sacr al 28%Isq uiatica

• Localização • Ta manho

• Graduação

•Presença de tecidos necróticos

•Presença de exsudato(aspecto e quantidade)

•Qualidade do tecido de granulação

•Aspecto da pele ao redor

Exame Físico

•Waterlow(1988) –95% das úlceras de pressão podem ser evitadas

•Diretrizes européias –EuropeanPressure Ulcer AdvisoryPanel, 1998

European Pressure Ulcer AdvisoryPanel

1)Identificar indivíduos “em risco”, que necessitem de prevenção, e os fatores específicos que os põem em risco .

2)Manter e melhorar a tolerância do tecido à pressão, para prevenir lesões.

3)Proteger a pele contra efeitos adversos de forças mecânicas externas: pressão, fricção e cisalhamento.

4)Melhorar os resultados dos pacientes em risco de lesões causadas pela pressão, por meio de progra mas educacionais.

1.Identificar indivíduos “de risco” e os fatores específicos que os põem em risco

• Imobilidade

(Parte 1 de 3)

Comentários