(Parte 6 de 9)

O que você deverá fazer:

1 - Formar grupos pequenos só com meninos e outros grupos só com meninas.

2 - Solicitar os grupos de meninos a conversarem entre si sobre o tipo de mulher que consideram ideal.

3 - Solicitar os grupos de meninas a conversarem entre si sobre o tipo de homem que consideram ideal.

4 - Cada grupo deverá fazer uma listagem com as características que considera importantes.

5 - Cada grupo, utilizando-se de revistas, lápis, cola e tesoura, deverá fazer uma colagem, identificando os critérios que utilizou para o homem ideal e para a mulher ideal.

6 - Cada grupo apresentará sua colagem, referindo-se aos critérios evidenciados.

Pontos para discussão: a) Aceitação da aparência física por homens e mulhere. b) Como é a idéia de beleza do grupo? c) As mudanças que eu sinto, em mim mesmo, sobre minha aparência e meu jeito de ser, por influência da opinião de outras pessoas.

d) Como são criados os critérios de beleza?

Resultado esperado:

Ter promovido uma discussão sobre ideais de beleza e aceitação do seu próprio corpo.

Manual do Multiplicador

Auto-estima é o sentimento que cada pessoa tem por si mesma e pelo seu eu interior.

Ela sofre variações diárias. Quando estamos bem, com a sensação de plenitude, então a auto-estima fica em alta. Quando estamos mal, com uma grande sensação de descontentamento interior, a auto-estima fica em baixa.

Os adolescentes expressam esses sentimentos, verbalizando-os sob a influência de termos importados: "estou down, estou numa pior" ou então "estou numa nice, estou numa boa".

Na verdade, parece que as pessoas sentem mais os momentos ruins do que os bons.

Isso tem a ver com a forma que cada um trabalha os seus sentimentos, valorizando mais os agradáveis ou, infelizmente, ampliando os desagradáveis.

A auto-estima é dinâmica e perceptível a partir da compreensão do sentimento de identidade, das características pessoais, da valorização, das realizações e dos relacionamentos.

Quando algo não vai bem, é importante deixar o orgulho de lado e pedir ajuda.

Pais, professores, parentes mais velhos, amigos ou pessoas de confiança podem ser bons ouvintes e interlocutores. Essas pessoas não vão ou não devem dar soluções, mas podem ajudar a pensar sobre momentos ou situações difíceis. E cada pessoa precisa encontrar sua própria saída, pois cada um é responsável pelos seus sentimentos, pela sua auto-estima.

Adolescente

Objetivo: Incentivar os jovens a refletirem sobre sua auto-estima.

O que você irá precisar:

Sala ampla e confortável, folhas de papel-sulfite, conjunto de fichas coloridas (cor vermelha, amarela, azul, verde, branca), canetas, cola.

Tempo: 40 minutos.

O que você deverá fazer:

1 - O facilitador entregará meia folha de papel-sulfite para cada participante e solicita que escreva uma situação extremamente positiva que tem acontecido com ele ultimamente.

2 - No verso da folha, deverá ser escrita uma situação difícil que tenha causado sentimentos negativos.

3 - Assegurar ao jovem que não é preciso colocar o nome.

4 - O facilitador recolherá todas as folhas dos participantes e as guardará consigo.

5 - O facilitador distribuirá o conjunto de fichas coloridas com o seguinte código:

vermelho = extremamente chateado(a) amarelo = muito chateado

6 - O facilitador explicará que lerá algumas situações que podem ocorrer com qualquer um deles.

7 - À medida que o facilitador for lendo uma frase, cada participante deverá arrancar um pedaço da ficha colorida, de acordo com o código, na proporção em que essa situação afetaria sua, auto-estima. O facilitador dá um exemplo: lerá uma frase e rasgará um pedaço de sua folha de papel, dizendo - "Isso me afeta muito ou não me afeta muito".

8 - O facilitador lerá as situações que julgar adequadas, escritas pelos adolescentes, ou criará suas próprias frases.

9 - Em seguida, solicitará os participantes a colarem ou montarem um quebra-cabeça com os pedaços de papel recortado, relacionando-o à sua auto-estima.

Pontos para discussão:

a) Identificar situações que incomodam. b) Identificar situações que não interferem na auto-estima. c) Que cores aparecem mais? d) Encontrar alternativas para melhorar sua auto-estima.

Resultado esperado:

Os participantes obterão clara idéia do conceito de auto-estima e terão também aprendido a manejá-la.

Manual do Multiplicador

O adolescente vive o hoje, o agoraO amanhã é um tempo muito

MEUS VALORES distante...está longe. Muitas vezes, "longe é um lugar que não existe..."

É difícil pensar e programar ações para o futuro quando o raciocínio se detém em coisas concretas, reais.

Por isso, é importante exercitar o planejamento de ações para o futuro, isto é, fazer um exercício em cima do abstrato, para que os adolescentes aprendam não somente a estabelecer metas, como também a tomar decisões.

Os adolescentes precisam de conhecimento e estímulo para tomarem decisões conscientes e não sofrerem influências de grupos que os cercam.

Para se estabelecer objetivos, é necessário que eles estejam embasados em um sistema de valores pessoais. Influências diversas interferem na formação desses valores: família, escola, religião, amigos, leituras e mídia em geral.

Dessa forma, é conveniente saber escolher valores que ajudem e não prejudiquem a vivência e a convivência das pessoas.

Os objetivos podem ser listados para curto, médio e longo prazo, e as etapas para consegui-los devem estar claras.

A dificuldade de expressar os valores justifica-se pela demora de algumas pessoas em escrever as palavras, pois dizem que “deu branco”, “a gente pensa pouco sobre isso”.

Os valores, geralmente, estão relacionados com instituições (família, igreja, trabalho), sentimentos (amor, paixão, paz, prazer) ou princípios éticos (honestidade, verdade, coerência).

(Parte 6 de 9)

Comentários