Arritmias cardíacas

Arritmias cardíacas

ARRITMIAS CARDÍACAS

ARRITMIAS CARDÍACAS

  • RÍTMO CARDÍACO SIGNIFICA CONTRAÇÃO MUSCULAR MECÂNICA RÍTMICA E REGULAR DO CORAÇÃO, QUE É INICIADA POR UMA ONDA ELÉTRICA, QUE SE ESPALHA PELO CORAÇÃO.

  • ARRITMIA OU DISRITMIA REFERE-SE A QUALQUER RITMO CARDÍACO QUE SE DESVIA DO RITMO SINUSAL NORMAL.

  • CARACTERÍSTICAS DO RITMO SINUSAL NORMAL:

    • FREQÜÊNCIA: 60 A 100 BAT/MIN
    • ONDAS P: PRECEDENDO CADA COMPLEXO QRS
    • INTERVALO P-R:0,12 a 0,20 SEG.
    • COMPLEXO QRS: 0,04 a 0,1 SEG
    • CONDUÇÃO: PARA DIANTE E CÍCLICA AO LONGO DO SISTEMA DE CONDUÇÃO
    • RITMO: REGULAR SEM ATRASO ANORMAL

ARRITMIAS CARDÍACAS

  • ORIGEM DAS ARRITMIAS:

    • FORMAÇÃO ALTERADA NO IMPULSO
    • ALTERAÇÃO NA CONDUÇÃO DO IMPULSO
    • AMBAS
  • SINTOMATOLOGIA:

    • VARIA DE ASSINTOMÁTICO À MORTE
  • TRATAMENTO DE ESCOLHA:

    • DEPENDE DO TIPO E DA GRAVIDADE

ARRITMIAS CARDÍACAS

  • TAQUICARDIA SINUSAL

    • FREQÜÊNCIA CARDÍACA MAIOR DO QUE 100 BAT/MIN; ORIGINA-SE NO NODO SINUSAL
    • CARACTERÍSTICAS:
      • FREQÜÊNCIA: 100 a 180 BAT/MIN
      • ONDAS P: PRECEDEM COMPLEXO QRS
      • INTERVALO P-R e COMPLEXO QRS: NORMAL
      • CONDUÇÃO: NORMAL
      • RITMO: REGULAR
    • CAUSAS:
      • - EXERCÍCIO - ANEMIA
      • - ANSIEDADE - INSUFICIÊNCIA CARDÍACA
      • - FEBRE - HIPOVOLEMIA
      • - DROGAS - CHOQUE
    • MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS:
      • GERALMENTE ASSINTOMÁTICA
      • PALPITAÇÕES OCASIONAIS
      • HIPOTENSÃO, ANGINA COM DOENÇA CARDIOVASCULAR

TAQUICARDIA SINUSAL

ARRITMIAS CARDÍACAS

  • BRADICARDIA SINUSAL

    • FREQÜÊNCIA CARDÍACA MENOR QUE 60 BAT/MIN; ORIGINA-SE NODO SINUSAL
    • CARACTERÍSTICAS:
      • FREQÜÊNCIA: MENOR 60 BAT/MIN
      • ONDAS P: PRECEDEM COMPLEXO QRS
      • INTERVALO P-R e COMPLEXO QRS: NORMAL
      • CONDUÇÃO: NORMAL
      • RITMO: REGULAR
    • CAUSAS:
      • DROGAS - ESTIMULAÇÃO VAGAL
      • ESTADO HIPOENDÓCRINO - ANOREXIA
      • HIPOTERMIA - ATLETISMO
      • IAM COM COMPROMETIMENTO NODO SINUSAL
    • MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS:
      • GERALMENTE ASSISTOMÁTICA - FADIGA
      • TONTURA - SÍNCOPE

ARRITMIAS CARDÍACAS

  • TAP OU TSVP: TAQUICARDIA ATRIAL PAROXÍSTICA OU TAQUICARDIA SUPRAVENTRICULAR PAROXÍSTICA, DE INÍCIO SÚBITO E CESSAÇÃO RÁPIDA DO BATIMENTO CARDÍACO (PALPITAÇÕES); ORIGINA-SE NO ÁTRIO.

    • CARACTERÍSTICAS:
      • FREQÜÊNCIA: 150 a 250 BAT/MIN
      • ONDAS P: PRECEDEM AS ONDAS T
      • INTERVALO P-R e COMPLEXO QRS: ENCURTADO
      • CONDUÇÃO: NORMAL
      • RITMO: REGULAR
    • CAUSAS:
      • EMOÇÕES - DROGAS
      • ÁLCOOL - TABAGISMO
      • HORMÔNIOS
      • NÃO ASSOCIADA A CARDIOPATIAS
    • MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS:
      • PALPITAÇÕES - TONTURA
      • DISPNÉIA - DOR ANGINOSA

ARRITMIAS CARDÍACAS

  • FIBRILAÇÃO ATRIAL: CONTRAÇÃO DESORGANIZADA E DESCOORDENADA DO MÚSCULO ATRIAL DEVIDO A UMA PRODUÇÃO SUPER RÁPIDA DE IMPULSOS ATRIAIS.

    • CARACTERÍSTICAS:
      • FREQÜÊNCIA: ATRIAL DE 350 a 600 BAT/MIN; FREQÜÊNCIA DA RESPOSTA VENTRICULAR DE 120 a 200 BAT/MIN
      • ONDAS P: NENHUMA DISCERNÍVEL – LINHA BÁSICA IRREGULAR
      • INTERVALO P-R: NÃO MENSURÁVEL
      • COMPLEXO QRS: NORMAL
      • CONDUÇÃO: NORMAL AO LONGO DO VENTRÍCULO, IRREGULAR AO LONGO DA JUNÇÃO AV
      • RITMO: TOTALMENTE IRREGULAR
    • CAUSAS:
      • ATEROSCLEROSE - ESTENOSE VÁLVULA MITRAL
      • ICC - CONGÊNITA
      • DPOC
    • MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS:
      • PALPITAÇÕES - TONTURA
      • DISPNÉIA - EDEMA PULMONAR]
      • SINAIS DE INSUFICIÊNCIA CÉREBRO-VASCULAR
      • ASSINTOMÁTICA

FIBRILAÇÃO ATRIAL

FIBRILAÇÃO ATRIAL

  • A FA pode ser aguda (intermitente) ou crônica e pode ser influenciada pela atividade autonômica. Independente da forma a FA é um preditor de acidente vascular.

ARRITMIAS CARDÍACAS

  • CONTRAÇÕES VENTRICULARES PREMATURAS OU PRECOCES: DEVIDO AUMENTO AUTOMATICIDADE DAS CÉLULAS DO MÚSCULO VENTRICULAR.

    • CARACTERÍSTICAS:
      • FREQÜÊNCIA: DE 60 a 100 BAT/MIN
      • ONDAS P: RITMO SUBJACENTE, NORMAL; BATIMENTO PREMATURO, SEM ONDA P
      • INTERVALO P-R: RITMO SUBJACENTE, NORMAL; BATIMENTO PREMATURO, SEM INTERVALO P-R
      • COMPLEXO QRS: RITMO SUBJACENTE, NORMAL; BATIMENTO PREMATURO, LARGO E BIZARRO
      • CONDUÇÃO: RETRÓGRADA
      • RITMO: IRREGULAR BATIMENTO PREMATURO
    • CAUSAS:
      • EXERCÍCIOS FÍSICOS - AUMENTO DAS CATECOLAMINAS
      • DESEQUILÍBRIO ELETROLÍTICO - HIPÓXIA
      • LESÃO DO MIOCÁRDIO
    • MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS:
      • PALPITAÇÕES - TONTURA
      • FRAQUEZA
      • ASSINTOMÁTICA

ARRITMIAS CARDÍACAS

  • TAQUICARDIA VENTRICULAR: 3 OU MAIS CVPs CONSECUTIVAS; CONSIDERADA EMERGÊNCIA CLÍNICA POIS DÉBITO CARDÍACO NÃO PODE SER MANTIDO EM RAZÃO DA DIMINUIÇÃO DO ENCHIMENTO DIASTÓLICO.

    • CARACTERÍSTICAS:
      • FREQÜÊNCIA: 100 a 250 BAT/MIN
      • ONDAS P: NÃO SÃO VISTAS NO QRS E QRS NÃO TEM ASSOCIAÇÃO COM AS ONDAS P
      • INTERVALO P-R: NENHUM
      • COMPLEXO QRS: LARGO, BIZARRO ONDAS T EM DIREÇÃO OPOSTA
      • CONDUÇÃO: ANORMAL
      • RITMO: GERALMENTE REGULAR
    • CAUSAS:
      • IRRITABILIDADE DO MÚSCULO VENTRICULAR
    • MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS:
      • TONTURA - FRAQUEZA
      • DISPNÉIA - INCONSCIÊNCIA

TAQUICARDIA VENTRICULAR

ARRITMIAS CARDÍACAS

  • FIBRILAÇÃO VENTRICULAR: BOMBEAMENTO RÁPIDO E INEFICAZ DOS VENTRÍCULOS, PODENDO SER RAPIDAMENTE FATAL.

    • CARACTERÍSTICAS:
      • FREQÜÊNCIA: RÁPIDA, DESCOORDENADA E INEFICAZ
      • ONDAS P: NÃO OBSERVÁVEL
      • INTERVALO P-R: NENHUM
      • COMPLEXO QRS: ONDULAÇÃO INESPECÍFICA
      • CONDUÇÃO: ANORMAL
      • RITMO: IRREGULAR SEM PADRÃO
    • CAUSAS:
      • ISQUEMIA DO MIOCÁRDIO OU INFARTO
      • TV NÃO TRATADA
      • DESEQUILÍBRIO ELETRILÍTICO
      • TOXICIDADE DIGITÁLICA
      • HIPOTERMIA
    • MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS:
      • TONTURA - CESSAÇÃO DOS MOVIMENTOS RESPIRATÓRIOS
      • CONVULSÕES - INCONSCIÊNCIA
      • AUSÊNCIA DE PULSO - QUEDA ABRUPTA DE PA

FIBRILAÇÃO VENTRICULAR

ARRITMIAS CARDÍACAS

  • DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM RELACIONADOS:

    • DÉBITO CARDÍACO DIMINUÍDO (FREQÜÊNCIA CARDÍACA ALTERADA)
    • INTOLERÂNCIA À ATIVIDADE (DÉBITO CARDÍACO DIMINUÍDO)
    • PERFUSÃO DOS TECIDOS ALTERADA (IDEM)
    • ANSIEDADE
    • MEDO
  • INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM:

    • CONTROLAR FREQÜÊNCIA CARDÍACA, RÍTMO E A PA
    • FAZER ECG
    • ADMINISTRAR ANTIARRÍTMICOS PRESCRITOS: CONTROLAR EFEITOS COLATERAIS
    • AVALIAR CAPACIDADE DO PACIENTE EM REALIZAR ATIVIDADES DIÁRIAS: REALIZAR ORIENTAÇÕES PERTINENTES
    • AVALIAR CIRCULAÇÃO PERIFÉRICA (PULSOS PERIFÉRICOS, PELE)
    • ESTAR ATENTO PARA MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS – ORIENTAR PACIENTE A ENTRAR EM REPOUSO
    • - DAR APOIO EMOCIONAL

Comentários