Normas de Comunicação em Língua Portuguesa

Normas de Comunicação em Língua Portuguesa

(Parte 2 de 6)

Atenção:1) Se a palavra for oxítona em terminação i ou em u estiverem em posição final ou seguidos de (s), o acento permanece.

Exemplos: tuiuiú, tuiuiús, Piauí;

2) Se o i ou o u forem precedidos de ditongo rescente, o acento permanece.

Exemplos: Guaíba, Guaíra.

Acento circunflexo

• O acento circunflexo não será mais usado nas palavras terminadas em oo.

Exemplos: Vôo – Voo

Enjôo – Enjoo

Hífen

O hífen deixa de ser empregado nas seguintes situações:

○ Quando o prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa com as consoantes s ou r. Nesse caso, a consoante obrigatoriamente passa a ser duplicada.

○ Quando o prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa

com uma vogal diferente.

Exemplo:

auto-estrada – autoestrada

contra-regra - contrarregra

O hífen é empregado nas seguintes situações:

○ Usa-se o hífen diante de palavra iniciada por h.

Exemplos: anti-higiênico

○ Usa-se o hífen se o prefixo terminar com a mesma letra com que se inicia a outra palavra.

Exemplos: micro-ondas

○ Não se usa o hífen se o prefixo terminar com letra diferente daquela com que se inicia a outra palavra.

Exemplos: autoescola

○ Com os prefixos sub e sob, usa-se o hífen também diante de palavra iniciada por r. Exemplos: sub-região

○ Usa-se o hífen com os prefixos ex, sem, além, aquém, recém, pós, pré, pró, vice.

Exemplos: Além-mar

Aquém-mar

Ex-aluno

○ O prefixo co junta-se com o segundo elemento, mesmo quando este se inicia por o ou h. Neste último caso, corta-se o h. Se a palavra seguinte começar com r ou s, dobram-se essas letras.

Exemplos: Coobrigação

Coedição

Cosseno

○ Com os prefixos pre e re, não se usa o hífen, mesmo diante de palavras começadas por e.

Exemplos: Preexistente

Reescrever

○ Na formação de palavras com ab, ob e ad, usa-se o hífen diante de palavra começada por b, d ou r.

Exemplos: ad-digital

ob-rogar

ab-rogar

○ Não se usa o hífen na formação de palavras com não e quase.

Exemplos: (acordo de) não agressão

(isto é um) quase delito

○ Com mal*, usa-se o hífen quando a palavra seguinte começar por vogal,

h ou l.

Exemplos: mal-entendido

mal-humorado

mal-limpo

○ Quando mal significa doença, usa-se o hífen se não houver elemento de ligação.

Exemplo: mal-francês.

○ Se houver elemento de ligação, escreve-se sem o hífen.

Exemplos: mal de lázaro.

Obs.:Se no final da linha a partição de uma palavra ou combinação de palavras coincidir com o hífen, ele deve ser repetido na linha seguinte.

Exceções de uso letras

minúsculas e maiúsculas

Letra minúscula inicial:

○ Usada em nomes de dias, meses, estações do ano: segunda-feira, outubro, primavera.

○ Pontos cardeais: norte, sul. Mas nas abreviativas maiúsculo.

○ No uso de fulano, sicrano, beltrano.

○ Exemplos: senhor, doutor (opcionalmente com maiúscula).

○ Cursos e disciplinas (opcionalmente com maiúscula).

Letra maiúscula inicial:

○ Nomes pessoais reais e fictícios: Pedro Marques, Branca de Neve, Netuno.

○ Nomes de cidades: Lisboa, Rio de Janeiro.

○ Nomes de instituições: Instituto Nacional de Previdência Social

○ Nomes de festas e festividades: Natal Páscoa, Todos os Santos.

○ Títulos periódicos: O Primeiro de Janeiro, O estado de São Paulo.

○ Pontos cardeais ou equivalentes, quando empregados absolutamente: Não se refere a um lugar específico. Exemplo: Nordeste - nordeste do Brasil.

○ Siglas ou abreviaturas: UTCH, NACH, TMSE.

Numerais

Cardinal: indica quantidade. Exemplo: um, três.

(Parte 2 de 6)

Comentários