Normas de Comunicação em Língua Portuguesa

Normas de Comunicação em Língua Portuguesa

(Parte 5 de 6)

Mais bem, mais mal – usa-se sempre antes de particípio: Agora o relatório está mais bem redigido. O clube nunca foi mais mal dirigido que agora.

Obs.:Conta melhor aqui do que lá. Fala pior que analfabeto.

Mal – é antônimo de bem: Escreveu mal.

Mau – é antônimo de bom: É mau aluno.

Malgrado – apesar de.

Mau grado – de má vontade.

Menos – é invariável, não há menos: Mais amor, menos confiança.

Por atacado – conseguir por menor preço.

Nem um – refere-se a numeral.

Nenhum – apõe-se a algum.

Onde – situação estática, sem movimento: É confortável onde estamos.

Obs.:Pode ser de onde, mas nunca pode ser da onde ou adonde.

Aonde – situação dinâmica, com movimento: Aonde vais?

Donde – indica origem: Donde veio?

Por isso – grafa-se separadamente: Estudou muito, por isso foi bem.

Se não – equivalente a caso não.

Obs.:Pode-se por uma palavra ente se ou não.

Senão – Conjunção: equivalente a do contrário.

Preposição: equivalente a exceto, a não ser.

Substantivo: equivalente a defeito.

Senão quando – equivalente a de repente, eis que.

Regência Nominal

• Os substantivos, adjetivos e advérbios de uma oração podem exigir complemento de preposição.

Exemplo: A proposta foi aceita por eles.

Regência Verbal

• Complementação de um verbo, que é o objeto direto, sem preposição e se é objeto indireto, com preposição, ou se não é necessário qualquer complemento.

Exemplo: O preço não agradou aos fregueses.

Preposições:a, ante, após, até, com, contra, de, desde, em, entre, para, perante, por, sem, sob, sobre, trás.

Crase

• Usa-se em a, as, aquele(s), aquela(s) e aquilo.

a + a = à

a + as = às

a + aquele(s) = àquele(s)

a + aquela(s) = àquela(s)

a + (aquilo) = àquilo

○ (à, às) Podem ser inseridas antes de palavras femininas.

Para verificar se há crase ou não: Substituição do termo feminino por um masculino e observar se deveria ser usado ao ou aos.

Exemplo:

Voltei a cidade. = Voltei ao parque. – Portando: Voltei à cidade.

A crase é empregada, obrigatoriamente: nas expressões que indicam horas ou nas locuções à medida que, às vezes, à noite, dentre outras, e ainda na expressão “à moda”.

A crase não ocorre: antes de palavras masculinas; antes de verbos, de pronomes pessoais, de nomes de cidade que não utilizam o artigo feminino, da palavra casa quando tem significado do próprio lar, da palavra terra quando tem sentido de solo e de expressões com palavras repetidas (dia a dia).

Pronomes

Pronomes pessoas

Uso do eu e do mim:

○ Já o pronome "mim" é empregado no final de frase onde não especifica a ação futura do sujeito. Exemplo: Entre mim e ele não houve brigas.

○ O pronome "eu" é empregado antes de um verbo, uma ação ou depois de uma preposição. Exemplo: Preparei uma refeição para eu comer.

Uso do se, si, consigo:

○ Podem ser empregados como reflexivos e podem acrescentar mesmo(s), mesma(s).

Exemplo: Ela traz consigo a alegria.

Muitos só pensam em si. (= em si mesmos)

Obs.:É errado dizer: Vou consigo à cidade.

É correto dizer: Vou com você à cidade.

Uso de de ele(s), de ela(s), dele(s), dela(s). Quando ele(s), ela(s) são sujeitos, não se contraem com preposição.

Exemplo: É o momento de ele se explicar.

A volta dele era muito esperada.

Pronomes demonstrativos:

Pronomes demonstrativos

 

Variáveis

Invariáveis

pessoa

aquele (s), aquela (s)

isto

pessoa

esse (s), essa (s)

isso

pessoa

seu (s), sua (s)

aquilo

○ Este(s), esta(s), isto: Para quando o ser ou objeto estiver perto de quem fala.

Exemplo: Este livro que estou lendo é de Matemática.Esse(s), essa(s), isso: Para quando o ser ou objeto estiver perto de quem ouve.Exemplo: Esse livro que você pegou tem que ser devolvido à biblioteca amanhã. Aquele(s), aquela(s), aquilo: Para quando o ser ou objeto estiver longe de quem fala e também de quem ouve.

Exemplo: Qual é aquele livro no final do estante?

Pronomes relativos:

Que: Relaciona um termo de uma oração com a de outra evitando repetições de nomes. Exemplo: Li o livro. O livro é interessante. = Li o livro que é interessante. / O livro que li é interessante.

Quem: Referente a pessoas. Exemplo: Laura é a garota em quem confio.

O qual; a qual; os quais; as quais: Usa-se a qual no lugar de que quando o pronome vier distante do termo a que se refere.

Exemplo: No Rio de Janeiro, houve uma convenção de trabalhadores em companhias de telecomunicações à qual fui convidado.

- Emprega-se após preposições e locuções de duas ou mais sílabas (ante o qual, apesar do qual, após o qual, até o qual, conforme o qual, desde o qual, durante o qual, perante o qual, segundo o qual, sem o qual, sob o qual).

Cujo; cuja; cujos; cujas: Equivale a do qual (da qual, dos quais, das quais) e concorda com o termo que vem após.

Exemplo: O livro cuja edição está esgotada fez-me muita falta.

- Cujo pode vir depois de preposição. Exemplo: O autor em cujo livro se encontram estas idéias foi muito criticado.

Onde: Equivale a em que, no qual, na qual, nos quais, nas quais e refere-se a um lugar (NUNCA a tempo). Exemplo: A faculdade onde estudo é umas da melhores.

Pronomes indefinidos:

- Algum: Quando estiver antes de um substantivo, é positivo. Exemplo: Algum funcionário foi indiscreto.

- Quando estiver depois de um substantivo, é negativo. Exemplo: Ele não sabe coisa alguma sobre isso.

(Parte 5 de 6)

Comentários