(Parte 1 de 6)

Universidade Metodista de Piracicaba - UNIMEP Faculdade de Ciência e Tecnologia da Informação - FCTI

Página: 1

1. Introdução 2. Estrutura Básica de Um Programa em "C"

Tipos Básicos de Dados Modificadores de Tipo Identificadores Variável Modificadores de Tipo de Acesso Operadores 3. Funções de Tela 4. Funções de Entrada e Saída de Dados

Constantes Barra Invertida Comandos de Formato Função printf() Função scanf() 5. Comandos de Seleção

Comando de Seleção Simples e Composta Comando de Seleção Multipla 6. Comandos de Repetição

Repetição com teste no início Repetição com teste no final Repetição contada ou automática 7. String

Funções para manipulação de strings; Funções para manipulação de caracteres; Funções matemáticas Funções micelânia 8. Matriz 9. Bibliotecas Padrão da Linguagem "C"

Página: 2

Linguagem C

1- INTRODUÇÃO

A linguagem “C” foi criada na década de 70 por Dennis M. Ritchie a partir de uma outra linguagem: o “B”, criada por Ken Thompson. O “B”, por sua vez, veio da linguagem BCPL, inventada por Martin Richards.

A linguagem “C” tornou-se muito importante e popular por possuir tanto características de “alto nível1 ” quanto de “baixo nível2

” sendo considerada uma linguagem de programação de “nível médio3 “. Outra característica muito importante é ser portável, isto é, poder ser usada em várias máquinas de portes e sistemas operacionais diferentes.

A linguagem “C” possui a vantagem se ser estruturada e compilada sendo bastante usada para construção de sistemas operacionais, planilha eletrônica, interpretadores, editores de texto, compiladores, etc.

Com a evolução dos microcomputadores surgiram várias versões de compiladores “C” havendo a necessidade de padronização, formalizada pela ANSI.

2- ESTRUTURA BÁSICA DE UM PROGRAMA EM “C”

Um programa em “C” consiste em uma ou mais funções, sendo que a única função que necessariamente precisa estar presente é a denominada main()

(principal), que é a primeira função a ser executada quando o programa se inicia. As outras funções podem proceder ou suceder a função main().

main( ) { // corpo da função – bloco de comandos e ou funções }

Os parênteses após a palavra “main()”, indica que é uma função. O nome das demais funções desenvolvidas em C, pode ser qualquer um, menos “main”.

O código que estiver dentro das chaves será executado seqüencialmente quando a função for chamada. Cada bloco de instruções deve ser colocado entre chaves e podem ser aninhados uns dentro dos outros.

A linguagem “C” é “Case Sensitive”, isto é, maiúsculas e minúsculas fazem diferença. Se for declarada uma variável com o nome soma ela será diferente de Soma, SOMA, SoMa ou sOmA. Da mesma forma que os comandos em “C” devem ser sempre escritos com letras minúsculas. Os comentários e as observações do programa podem aparecer em qualquer

1 Alto nível :- comandos com sintaxe próxima a linguagem humana e tipos de dados inteiro, real, caracter e string. Exemplo de linguagens de alto nível: Pacal, Delphi, Basic, Visual Basic, Clipper, etc. 2 Baixo nível:- manipulação de bits, bytes e endereços. Exemplo: Assembler. 3 Nível médio:- combina elementos das linguagens de alto nível com a funcionalidade das de baixo nível. Exemplo: Linguagem “C”.

Página: 3 lugar desde que colocados entre os delimitadores /* comentário */ ou // comentário. Em “C” as instruções são sempre encerradas por “; “.

Exceto o void, os tipos de dados básicos podem ter vários modificadores precedendo-os. Um modificador é usado para alterar o significado de um tipo básico para adaptá-lo mais precisamente às necessidades de diversas situações:

signed (com sinal) unsigned (sem sinal) long (máxima precisão) short (menor precisão)

TIPO TAM.(bytes) ESCALA

Página: 4

São usados para dar nomes às variáveis, constantes, tipos e ou funções. Para a criação desses identificadores deverá ser consideradas as informações a seguir:

• Podem ser formados por letras, números ou sublinhado(_); • Tem que começar por letra ou sublinhado;

• Letras maiúsculas e minúsculas são caracteres distintos;

• Não podem ser palavras reservadas;

• Podem conter qualquer tamanho porém somente os 31primeiros caracteres são significativos.

É uma posição de memória com um nome, que é usada para armazenar uma informação de um tipo específico que pode ser modificada pelo programa.

Forma Geral :- tipo lista_de variáveis;

Exemplo:- int a,b,d; float x,y; unsigened int w;

-Inicialização de variáveis:

As variáveis podem ser inicializadas no mesmo momento em que elas são declaradas, colocando um sinal de igual e a informação desejada.

Exemplo: char op=‘S’; /* as informações do tipo caracter são envolvidas por apóstrofes */ int primeiro=0; char mensagem[20]=”Bom Dia !!”; /* as strings são envolvidas por aspas */

• Constantes :- Não podem ser modificadas pelo programa.

Forma Geral:- const tipo identificador;

Exemplo:- const int max=10; const float taxa1=0.7,taxa2=0.5;

Outra forma de declarar uma informação como constante é usando a diretiva de compilação #define.

Forma Geral:- #define identificador=informação /* não tem ; */

Página: 5

• Volatile :- É usado quando uma variável pode ser modificada inesperadamente por eventos externos ao controle do programa.

Forma Geral:- volatile tipo lista_de_variáveis;

Exemplo:- volatile int tempo; /* pode ser modificada pelo hardware para atualizar a hora */.

• Atribuição:- nome_da_variável = expressão;

(Parte 1 de 6)

Comentários