(Parte 6 de 11)

-retardamento natural que permite picos de corrente próprios às partidas de motores.

Tipos

Os relés usados como dispositivos de segurança podem ser eletromagnéticos e térmicos.

Os relés eletromagnéticos funcionam com base na ação do eletromagnetismo, por meio do qual um núcleo de ferro próximo de uma bobina é atraído, quando esta é percorrida por uma corrente elétrica. Os mais comuns são de dois tipos:

-Relé de mínima tensão; -Relé de máxima corrente.

23/83

Mantenedor Eletroeletrônico

O relé de mínima tensão recebe uma regulagem aproximadamente 20% menor do que a tensão nominal. Se a tensão abaixar a um valor prejudicial, o relé interrompe o circuito de comando da chave principal e, conseqüentemente, abre os contatos dessa chave abrindo o circuito.

Os relés de mínima tensão são aplicados principalmente em contatores e disjuntores.

Figura 2.10 - Esquema simplificado de um relé de mínima tensão

O relé de máxima corrente é regulado para proteger um circuito contra excesso de corrente. Esse tipo de relé abre, indiretamente, o circuito principal, assim que a corrente atingir o limite da regulagem.

A corrente elevada, ao circular pela bobina, faz com que o núcleo do relé atraia o fecho. Isto provoca a abertura do contato abridor e interrompe o circuito de comando.

Figura 2.1 – Relé de máxima corrente

A regulagem desse tipo de relé é feita aproximando-se ou afastando-se o fecho do núcleo. Quando o fecho é afastado, é necessário uma corrente mais elevada para acionar o relé.

24/83

Mantenedor Eletroeletrônico

Trava

Bobina de Mínima Tensão Núcleo Móvel

Contatos

Mola de Disparo

Bobina de Corrente

Figura 2.12 – Esquema simplificado de um relé de máxima corrente

Os relés térmicos, como dispositivos de proteção, controle ou comando do circuito elétrico, atua por efeito térmico provocado pela corrente elétrica.

O elemento básico dos relés térmicos é o bimetal.

O bimetal é um conjunto formado por duas lâminas de metais diferentes (normalmente ferro e níquel), sobrepostas e soldadas.

Esses dois metais, de coeficientes de dilatação diferentes, formam um par metálico. Por causa da diferença de coeficiente de dilatação, se o par metálico for submetido a uma temperatura elevada, um dos metais do par vai dilatar mais que o outro.

Por estarem fortemente unidos, o metal de menor coeficiente de dilatação provoca o encurvamento do conjunto para o seu lado, afastando o conjunto de um ponto determinado.

Figura 2.13 – Representação esquemática da atuação dos relés térmicos

Esse movimento é usado para disparar um gatilho ou abrir um circuito, por exemplo. Portanto, essa característica do bimetal permite que o relé exerça o controle de sobrecarga para proteção dos motores. Os relés térmicos para proteção de sobrecarga são:

- diretos; - indiretos;

-com retenção.

Os relés térmicos diretos são aquecidos pela passagem da corrente de carga pelo bimetal. Havendo sobrecarga, o relé desarma o disjuntor.

25/83

Mantenedor Eletroeletrônico

Trava Contatos

Mola de Disparo

Elemento Aquecedor Contatos Bimetal

Embora a ação bimetal seja lenta, o desligamento dos contatos é brusco à ação do gatilho. Essa abertura rápida impede a danificação ou soldagem dos contatos.

Figura 2.13 - Representação esquemática de um relé térmico direto armado

Figura 2.14 - Representação esquemática de um relé térmico direto desligado por sobrecarga

Nos circuitos trifásicos, o relé térmico possui três lâminas bimetálicas (A,B,C), que atuam conjuntamente quando houver sobrecarga equilibrada.

26/83

Mantenedor Eletroeletrônico

Armado

Bimetal

Contatos

R Gatilho

R Desligado

Figura 2.15 – Representação esquemática das lâminas bimetálicas do relé térmico

Os relés térmicos indiretos são aquecidos por um elemento aquecedor indireto que transmite calor ao bimetal e faz o relé funcionar.

Figura 2.16 – Relé térmico indireto

Os relés térmicos com retenção possuem dispositivos que travam os contatos na posição desligados, após atuação do relé. Para que os contatos voltem a operar, é necessário soltar, manualmente a trava por meio de um botão específico. O relé, então, estará pronto para funcionar novamente.

Figura 2.17 – Relé térmico com retenção

Observação: É necessário sempre verificar o motivo por que o relé desarmou, antes de armá-lo novamente.

(Parte 6 de 11)

Comentários