Instrumentação industrial

Instrumentação industrial

(Parte 2 de 10)

Exemplo: Num instrumento com range de -50°C a 100°C, sendo sua histerese de ± 0,3 %, o erro será 0,3 % de 150°C = ± 0,45°C.

1.2.9. Repetibilidade

É a máxima diferença entre diversas medidas de um mesmo valor da variável, adotando sempre o mesmo sentido de variação. Expressa-se em porcentagem do span do instrumento. O termo repetibilidade não inclui a histerese.

É o desvio máximo da indicação obtida tornando com referência a reta que une os pontos referentes a 0% e 100% da escala.

1.3. FUNÇÕES DE INSTRUMENTOS

Podemos denominar os instrumentos e dispositivos utilizados em instrumentação de acordo com a função que desempenham no processo.

a) Indicador: Instrumento que dispõe de um ponteiro e de uma escala graduada na qual podemos ler o valor da variável. Existem, também, os indicadores digitais que mostram a variável em forma numérica com dígitos ou barras gráficas. A figura 1.3 ilustra dois tipos de indicadores.

Figura 1.3 – Tipos de indicadores analógico e digital b) Registrador: Instrumento que registra a traço contínuo ou pontos em um gráfico. Alguns destes registradores podem ser vistos na figura 1.4.

Figura 1.4 – Alguns tipos de registradores c) Transmissor: Instrumento que determina o valor de uma variável no processo através de um elemento primário, tendo o mesmo sinal de saída (pneumático ou eletrônico) cujo valor varia apenas em função da variável do processo. A figura 1.5 mostra alguns transmissores típicos.

Figura 1.5 – Transmissores de pressão diferencial e de temperatura d) Transdutor: Instrumento que recebe informações na forma de uma ou mais quantidades físicas, modifica, caso necessário, estas informações e fornece um sinal de saída resultante. Dependendo da aplicação, o transdutor pode ser um elemento primário, um transmissor ou outro dispositivo. O conversor é um tipo de transdutor que trabalha apenas com sinais de entrada e saída padronizados.

Figura 1.6 – Tipos de transdutores e) Controlador: Instrumento que compara a variável controlada com um valor desejado e fornece um sinal de saída a fim de manter a variável controlada em um valor específico ou entre valores determinados. A variável pode ser medida diretamente pelo controlador ou indiretamente através do sinal de um transmissor ou transdutor.

Figura 1.7 – Alguns tipos de controladores f) Elemento Final de Controle: Instrumento que modifica diretamente o valor da variável manipulada de uma malha de controle.

Figura 1.8 – Elementos finais de controle

1.4. IDENTIFICAÇÃO DE INSTRUMENTOS

As normas de instrumentação estabelecem símbolos gráficos e codificação para identificação alfanumérica de instrumentos ou funções programadas que deverão ser utilizadas nos diagramas e malhas de controle de projetos de instrumentação.

De acordo com a norma ISA-S5, cada instrumento ou função programada será identificada por um conjunto de letras que o classifica funcionalmente e um conjunto de algarismos que indica a malha à qual o instrumento ou função programada pertence.

Eventualmente, para completar a identificação, poderá ser acrescido um sufixo. O Quadro 1.1 mostra um exemplo de instrumento identificado de acordo com a norma estabelecida.

PRC 001 02 A

Variável Função Área da

Atividade

No Seqüencial Da Malha

Identificação Funcional Identificação da Malha

Identificação do Instrumento (PRC 001 02 A)

Quadro 1.1 – Identificação de instrumentos de acordo com a norma ISA-S5

P- Variável medida – Pressão
R- Função passiva ou de informação – Registrador
C- Função ativa ou de saída – Controlador
A- Sufixo

Onde: 001 - Área de atividade onde o instrumento atua 02 - Número seqüencial da malha O Quadro 1.2 mostra a simbologia de sinais utilizados nos fluxogramas de processos.

Suprimento ou Impulso Sinal não Definido

Sinal Pneumático Sinal Elétrico

Sinal Hidráulico Tubo Capilar

Sinal Eletromagnético ou Sônico Guiado Sinal Eletromagnético ou Sônico não Guiado

Ligação por Software Ligação Mecânica

Sinal Binário

Pneumático Sinal Binário Elétrico

Quadro 1.2 – Símbolos de sinais de fluxogramas

No Quadro 1.3 podem ser vistos os símbolos de instrumentos utilizados nos fluxogramas de processo, com os quais pode-se definir em que local da planta o instrumento está localizado.

Painel Principal

Acessível ao Operador

Montado no Campo Painel Auxiliar

Acessível ao Operador

Painel Auxiliar não Acessível ao Operador

Instrumentos Discretos

Instrumentos Compartilhados

Computador de Processo

Controlador Lógico Programável

Quadro 1.3 – Símbolos de instrumentos utilizados em fluxogramas

Como se percebe no Quadro 1.4, pode-se obter combinações possíveis de acordo com o funcionamento dos dispositivos automáticos.

Exemplo: T - TemperaturaR - Registrador P - Pressão
I - IndicadorF - Vazão V - Válvula
L - NívelG - Visor H - Alto

1a LETRA LETRAS SUCESSIVAS

Variável Medida Letra de

Modificação

Função de

Leitura Passiva Função de Saída

Letra de

(Parte 2 de 10)

Comentários