Química Experimetal 1

Química Experimetal 1

(Parte 2 de 14)

2. Bibliografia Complementar VOGEL, Arthur Israel. Vogel's textbook of practical organic chemistry. 5. ed. England: Addison Wesley Longman, 1998. 1.514p. Número de Chamada: 547.1 V879v 5. ed.

Universidade Federal de Sergipe

Centro de Ciências Exatas e Tecnologia Departamento de Química

B.1. Atividades pré e pós-laboratório

Conforme o cronograma de aulas que o aluno recebe, o mesmo deve ler previamente e com atenção as atividades pertinentes do dia, familiarizando-se com as práticas e técnicas que serão empregadas, compreendendo os objetivos da atividade que será realizada, e identificando os avisos de advertência com relação a segurança durante os trabalhos. Cada experimento descrito neste manual apresenta uma “atividade prélaboratório”, que deverá ser apresentada OBRIGATÓRIAMENTE ao professor no início da aula. Fica a critério do professor a realização de testes pré ou pós atividades, que consistirá de questão (ões), relacionada ao assunto em pauta.

B.2. Atividades em laboratório

Estará apto a realizar a atividade de laboratório, o aluno que OBRIGATÓRIAMENTE estiver de GUARDA-PÓ, de posse do CADERNO DE LABORATÓRIO e do MANUAL DE INSTRUÇÕES E ROTEIROS DE EXPERIMENTOS da disciplina. Os experimentos poderão ser realizados individualmente ou em equipe, conforme orientação do professor. O horário de início das atividades será estabelecido pelo professor, sendo a ele tolerado um atraso de 5 minutos. Após este prazo a nota de comportamento será penalizada.

B.2.1. Relatório parcial

Ao final do experimento o aluno, ou a equipe, deverá apresentar um relatório parcial da atividade realizada. O relatório deverá ser escrito a caneta, de forma legível, objetiva e concisa em folha de papel A4, frente e verso. O relatório deverá ser conter: Identificação (instituição, depto., curso, nome e data), Título, Objetivos Específicos, Resultados e Discussão e Conclusão (vide item 1.5).

Modelo

Experimento:Data: / /

Universidade Federal de Sergipe – UFS Centro de Ciências Exatas e Tecnologia – CCET Departamento de Química – DQI Disc. Química Experimental I Prof. Alberto Wisniewski Jr. Título: uma a duas linhas. Objetivos específicos: apresentar na forma de itens.

Resultados e Discussão: discutir o que foi realizado, apresentar os resultados e discutir os resultados.

Conclusão: com base na proposta do experimento, concluir se o objetivo principal foi alcançado.

Universidade Federal de Sergipe

Centro de Ciências Exatas e Tecnologia Departamento de Química

1. EXPERIMENTO 1

Título: Introdução ao trabalho de laboratório Tratamento dos resultados obtidos / Limpeza de vidrarias e descarte de resíduos.

1.1. NOÇÕES ELEMENTARES DE SEGURANÇA: 1.1.1. Normas de Segurança:

A ocorrência de acidentes em laboratório, infelizmente, não é tão rara como possa parecer. Com a finalidade de diminuir a freqüência e a gravidade desses eventos, torna-se absolutamente imprescindível que durante os trabalhos realizados em laboratório se observe uma série de normas de segurança:

Siga rigorosamente as instruções específicas do professor. Localize os extintores de incêndio e familiarize-se com o seu uso.

Certifique-se do bom funcionamento dos chuveiros de emergência.

Não fume no laboratório.

Use um avental apropriado.

Nunca deixe frascos contendo solventes inflamáveis próximos à chama.

Evite contato de qualquer substância com a pele. Seja particularmente cuidadoso quando manusear substâncias corrosivas como ácidos e bases concentrados.

Todas as experiências que envolvem a liberação de gases e/ou vapores tóxicos devem ser realizadas na câmara de exaustão (capela).

Sempre que proceder à diluição de um ácido concentrado, adicione-o lentamente, sob agitação sobre a água, e não o contrário.

Ao aquecer um tubo de ensaio contendo qualquer substância, não volte à extremidade aberta do mesmo para si ou para uma pessoa próxima.

Não jogue nenhum material sólido dentro da pia ou nos ralos.

Sempre que possível, trabalhe com óculos de proteção.

Ao introduzir tubos de vidro em rolhas, umedeça-os convenientemente e enrole a peça de vidro numa toalha para proteger as mãos.

Quando for testar um produto químico pelo odor, não coloque o frasco sob o nariz. Desloque com a mão, para a sua direção, os vapores os vapores que se desprendem do frasco.

Dedique especial atenção a qualquer operação que necessite aquecimento prolongado ou que desenvolva grande quantidade de energia.

Ao se retirar do laboratório, verifique se as torneiras (água ou gás) estão fechadas. Desligue todos os aparelhos e deixe todo o equipamento limpo.

Universidade Federal de Sergipe

Centro de Ciências Exatas e Tecnologia Departamento de Química

1.1.2. Acidentes mais comuns em laboratório e primeiros socorros:

Queimaduras:

a) Queimaduras causadas por calor seco (chamas e objetos aquecidos):

No caso de queimaduras graves, elas devem ser cobertas com gaze esterilizada umedecida com solução aquosa de bicarbonato de sódio a 5%. No caso de queimaduras leves, aplicar pomada de picrato de butesina. b) Queimaduras causadas por ácidos:

Lavar imediatamente o local com água em abundância, durante cerca de cinco minutos. Em seguida, lavar com solução de bicarbonato de sódio e novamente com água. Secar, aplicando então mertiolate. c) Queimaduras causadas por álcalis:

Lavar a região atingida imediatamente com bastante água, durante cinco minutos. Tratar com solução de ácido acético 1% e novamente lavar com água. Secar a pele e aplicar mertiolate.

Ácidos nos olhos:

Nos laboratórios, existem lavadores de olhos acoplados aos chuveiros de emergência. A lavagem deve ser feita por quinze minutos, após o que se aplica solução de bicarbonato de sódio 1%.

Álcalis nos olhos:

Proceder como no item anterior, apenas substituindo a solução básica de bicarbonato por solução de ácido bórico a 1%.

Intoxicações por gases: Remover a vítima para um ambiente arejado, deixando-a descansar.

Ingestão de substâncias tóxicas:

Administrar uma colher de sopa de “antídoto universal”, que é constituído de: duas partes de carvão ativo, uma de óxido de magnésio e uma de ácido tânico.

1.2. ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS

(Parte 2 de 14)

Comentários