Relatório II (1) - Condutividade

Relatório II (1) - Condutividade

(Parte 1 de 2)

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS DE CAMPO MOURÃO

CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA AMBIENTAL

JOHNATA HENRIQUE RODRIGUES

BRUNO OLIVEIRA ROVERE

EDUARDO HENRIQUE DE MESQUITA

BRUNA SOARES DE OLIVEIRA

CARLA RAFAELA CARTELLI

RELATÓRIO II

CONDUTIVIDADE

CAMPO MOURÃO

2009

JOHNATA HENRIQUE RODRIGUES

BRUNO OLIVEIRA ROVERE

EDUARDO HENRIQUE DE MESQUITA

BRUNA SOARES DE OLIVEIRA

CARLA CARTELLI

RELATÓRIO II

CONDUTIVIDADE

Relatório apresentado para a disciplina de Química para obtenção de nota parcial do Curso Superior Engenharia Ambiental, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, campus Campo Mourão, sob orientação da Prof. Fernando.

CAMPO MOURÃO

2009

Índice

Índice 5

Introdução 6

Objetivo 7

Materiais, Substâncias e Métodos 7

Resultados 8

Amostra 8

Observação 8

Água destilada 8

A força da corrente elétrica não foi suficiente para acender a lâmpada. 8

NaCℓ sólido 8

Não fechou corrente elétrica, não acendendo a lâmpada. 8

Açúcar sólido 8

Não fechou corrente elétrica, não acendendo a lâmpada. 8

Água de torneira 8

A força da corrente elétrica não foi suficiente para acender a lâmpada. 8

NaCℓ dissolvido em água 8

Bastante condutividade, acendendo intensamente a lâmpada. 8

Açúcar dissolvido em água 8

A força da corrente elétrica não foi suficiente para acender a lâmpada1. 8

HCl 1mol/L 8

Bastante condutividade, acendendo intensamente a lâmpada. 8

NaOH 1mol/L 8

Bastante condutividade, acendendo intensamente a lâmpada. 8

Ácido acético 0,1 mol/L 8

A força da corrente elétrica não foi suficiente para acender a lâmpada. 8

Vinagre escuro 8

A força da corrente elétrica foi suficiente para acender a lâmpada, mas com pouca intensidade. 8

Vinagre claro 8

A força da corrente elétrica foi suficiente para acender a lâmpada, mas com pouca intensidade. 8

NH4OH 1mol/L 8

A força da corrente elétrica foi suficiente para acender a lâmpada, mas com pouca intensidade. 8

Discussão 11

Conclusão 13

Bibliografia 14

Introdução

A condutividade elétrica tem por princípio especificar a capacidade que uma substância tem de conduzir fluxos de cargas entre os íons. Classificando-as em eletrolíticas ou não-eletrolíticas.

Substâncias eletrolíticas são as que, dissolvidas em solvente, fornece íons à solução. Tais soluções conduzem melhor a eletricidade que os solventes puros.

Substâncias não eletrolíticas não liberam íons em solução, portanto não influenciam na condutividade do solvente.

A condutividade é medida através de um condutivímetro. Essa é diretamente proporcional à concentração de partículas com cargas presentes na solução, ou seja, quanto mais íons, maior a capacidade de conduzir corrente elétrica.

Objetivo

Verificar a diferença de comportamento de diferentes compostos com relação à condutividade elétrica.

Materiais, Substâncias e Métodos

Os materiais e substâncias utilizadas durante a realização do experimento foram:

  • 12 Béqueres (volumes variados)

  • 01 Circuito elétrico

  • Água destilada

  • Água da torneira

  • Ácido acético

  • Vinagre (claro e escuro)

  • NaCl sólido

  • Açúcar sólido

  • HCl líquido

  • NaOH líquido

A prática realizada envolveu a seqüência de métodos a seguir: primeiramente colocou-se água destilada no béquer em quantidade suficiente para que os eletrodos ficassem parcialmente imersos, a seguir ligou-se o circuito observando se a lâmpada acendia ou não, e em qual intensidade.

Repetiu-se o procedimento para uma espátula de sal de cozinha (NaCl) sólido, sete espátulas de açúcar (sacarose) sólido, 20mL água de torneira, NaCl dissolvidos em 20mL de água, açúcar dissolvido em água (quantidade aproximada à de NaCl), HCl 1mol/L, NaOH 1mol/L, acido acético 0,1 mol/L, vinagre (claro e escuro) e NH4OH 1mol/L (única amostra que foi usado 30mL, pois as restantes foram usadas 20mL).

Resultados

Abaixo segue observações feitas das amostras utilizadas na pratica (tabela 1), após ser feita a imersão dos eletrodos nas respectivas soluções, verificando se a lâmpada acenderia ou não, dependendo da corrente elétrica.

Tabela 1 – Observações A Partir da Pratica Realizada

Amostra

Observação

Água destilada

A força da corrente elétrica não foi suficiente para acender a lâmpada.

NaCℓ sólido

Não fechou corrente elétrica, não acendendo a lâmpada.

Açúcar sólido

Não fechou corrente elétrica, não acendendo a lâmpada.

Água de torneira

A força da corrente elétrica não foi suficiente para acender a lâmpada.

NaCℓ dissolvido em água

Bastante condutividade, acendendo intensamente a lâmpada.

Açúcar dissolvido em água

A força da corrente elétrica não foi suficiente para acender a lâmpada1.

HCl 1mol/L

Bastante condutividade, acendendo intensamente a lâmpada.

NaOH 1mol/L

Bastante condutividade, acendendo intensamente a lâmpada.

Ácido acético 0,1 mol/L

A força da corrente elétrica não foi suficiente para acender a lâmpada.

Vinagre escuro

A força da corrente elétrica foi suficiente para acender a lâmpada, mas com pouca intensidade.

Vinagre claro

A força da corrente elétrica foi suficiente para acender a lâmpada, mas com pouca intensidade.

NH4OH 1mol/L

A força da corrente elétrica foi suficiente para acender a lâmpada, mas com pouca intensidade.

*1 O professor mostrou que em maior concentrarão, a lâmpada acende.

Após a realização dos testes, mediu-se com o auxilio de um condutivímetro a corrente elétrica (tabela2).

Tabela 2 – Corrente Elétrica de

Amostra

Condutividade

HCℓ 1mol/L

170,1mS/cm

NaOH 1 mol/L

114,2mS/cm

NaCℓ dissolvido em água

103,7mS/cm

Vinagre escuro

1515µS/cm

NH4OH 1 mol/L

954,6µS/cm

Ac. Acético 0,1 mol/L

409,2µS/cm

Açúcar + água

115µS/cm

Água da torneira

76,18µS/cm

Água destilada

2,564µS/cm

Classificação das amostras analisadas, de acordo com reações ocorridas:

Cloreto de sódio dissolvido em água:

NaCℓ(s)  Na+ (aq) + Cℓ- (aq) eletrólito forte.

Ácido clorídrico - 1mol/:

HCℓ(aq)  H+ (aq) + Cℓ- (aq) eletrólito forte.

Ácido acético:

CH3COOH ↔ CH3COO-(aq) + H+ (aq) eletrólito fraco.

Hidróxido de sódio:

NaOH(s)  Na+ (aq) + OH- (aq) eletrólito forte.

Hidróxido de amônio:

NH4OH (aq) ↔ NH4+ (aq) + OH- (aq) eletrólito fraco.

Água destilada:

H2O(l) ↔ H+ (aq) + OH- (aq) eletrólito fraco.

Água da torneira:

H2O(l) ↔ H+ (aq) + OH- (aq) (mais alguns sais como, Ca e Mg.) eletrólito fraco.

Açúcar:

C12H22O11 (s)  C12H22O11 (aq) não-eletrólito.

Vinagre:

É composto por ácido acético e algumas impurezas que contém íons, tendo assim a característica de eletrólito fraco.

Teste com Hidróxido de amônio (NH4OH):

Figura 1 – Eletrodo na superfície Figura 2 - Eletrodo imerso na da solução de NH4OH. solução de NH4OH.

Quando deixamos os eletrodos na superfície (Figura 1), a intensidade da lâmpada é muito baixa, mas quando imergimos os mesmos na solução (Figura 2), a intensidade da lâmpada aumenta, pois a superfície de contato do eletrodo com a solução aumenta, facilitando a passagem da corrente elétrica.

Figura 3 – Eletrodos afastados na Figura 4 – Eletrodos próximos solução de NH4OH. na solução de NH4OH.

Ao imergirmos os eletrodos na solução em uma mesma profundidade, mas com os mesmo afastados (figura 3), percebe-se que a intensidade da lâmpada é muito baixa, e quando aproximamos os eletrodos (Figura 4), a intensidade da lâmpada aumenta, isso acontece, pois o espaço que a corrente elétrica terá que percorrer, diminui, favorecendo o fluxo de íons.

Discussão

  • Após realizar o teste com o açúcar de cozinha (sacarose) nas concentrações de sete espátulas de sacarose para 20mL de água que uma vez imergindo o eletrodo na solução, a lâmpada não acendeu. Fizemos o mesmo teste em uma outra amostra solução de sacarose + água com uma maior concentração de sacarose chegando a um resultado diferente, pois na segunda amostra, a lâmpada acendeu (em baixa intensidade).

(Parte 1 de 2)

Comentários