1. ENTENDA O FATOR DE POTÊNCIA

Energia Total

Energia Ativa

Energia Reativa

Energia ativa kWh Energia reativa k V Arh

Energia Total kVAh

Os motores, os transformadores e outros equipamentos de unidades consumidoras têm como força a energia elétrica, que é utilizada de duas formas distintas: a energia reativa e a energia ativa.

A primeira delas, a energia reativa, medida em kVArh, não realiza trabalho efetivo, mas é necessária e consumida na geração do campo eletromagnético responsável pelo funcionamento de motores, transformadores e geradores.

A segunda, a energia ativa, medida em kWh, é a que realmente produz as tarefas, isto é, faz os motores e os transformadores funcionarem.

A composição destas duas formas de energia resulta na energia aparente ou total.

O Fator de Potência é uma relação entre a energia ativa e a energia aparente ou total, ou seja:

A legislação* determina que o Fator de Potência deve ser mantido o mais próximo possível da unidade (1), mas permite um valor mínimo de 0,92.

Fator de potência== cosEnergia ativa

Energia aparente ou total

Se o Fator de Potência estiver abaixo desse mínimo, a conta de energia elétrica sofrerá um ajuste em reais, com base no seguinte cálculo:

* Resolução ANEEL 456/2000

Quanto maior for o consumo de energia reativa, para o mesmo consumo de energia ativa, mais baixo será o Fator de Potência.

1. Transformadores operando a vazio ou subcarregados durante longos períodos de tempo 2. Motores operando em regime de baixo carregamento 3. Utilização de grande número de motores de pequena potência 4. Instalação de lâmpadas de descarga (fluorescentes, de vapor de mercúrio e de vapor de sódio)

5. Capacitores ligados nas instalações das unidades consumidoras horossazonais no período da madrugada

Um baixo fator de potência indica que a energia está sendo mal aproveitada pela sua empresa. Nesse caso, podem ocorrer as seguintes situações:

1. Aumento das perdas elétricas internas da instalação 2. Queda de tensão na instalação 3. Redução do aproveitamento da capacidade dos transformadores 4. Condutores aquecidos

A correção do baixo Fator de Potência é uma das soluções para reduzir as perdas de energia elétrica, diminuir os riscos com acidentes elétricos por superaquecimento e, também, para evitar acréscimo na fatura de energia.

O baixo Fator de Potência pode ser corrigido com: · O dimensionamento correto de motores e equipamentos

2. PRINCIPAIS CAUSAS DO BAIXO VALOR DE POTÊNCIA:

3. COMO MELHORAR O FATOR DE POTÊNCIA?

0,92-1[Acréscimo = Valor da fatura x

· A seleção, utilização e operação correta de motores e equipamentos elétricos em geral · A utilização permanente de reatores de alto Fator de Potência

· A instalação de capacitores ou banco de capacitores onde for necessário (de preferência próximo da carga)

· A instalação de motores síncronos em paralelo com a carga

Quando o Fator de Potência é corrigido e elevado para 0,92 ou mais, a empresa passa a utilizar energia da forma mais correta e econômica. Veja por quê:

· Desaparece o acréscimo cobrado nas contas de energia elétrica

· Melhora o aproveitamento da energia elétrica para geração de trabalho útil

· Diminuem as variações de tensão (oscilações)

· Melhora o aproveitamento dos equipamentos com menos consumo

· Aumenta a vida útil dos equipamentos

· Os condutores tornam-se menos aquecidos, diminuindo as perdas de energia elétrica na instalação

· Devido à liberação de carga, a capacidade dos transformadores alcança melhor aproveitamento

Entre em contato com a COPEL e saiba mais sobre como transformar o Fator de Potência se em um fator de economia e de redução dos custos de produção.

4. OS BONS RESULTADOS DE UM ALTO FATOR DE POTÊNCIA.

5. CONTE COM A COPEL

Comentários