Apostila I - Introdução a Anatomia e Aparelho Locomotor

Apostila I - Introdução a Anatomia e Aparelho Locomotor

(Parte 7 de 10)

Estas condições prevalecem até cerca de dez anos, quando a taxa de crescimento da cartilagem diminui e é gradualmente alcançada pela ossificação contínua do lado do disco epifisário voltado para a epífise. Perto dos 25 anos nos homens e alguns anos mais cedo nas mulheres, a cartilagem do disco é completamente substituída por osso, restando apenas uma linha epifisária para marcar a sua localização primitiva. Quando isso ocorre, o osso não é mais capaz de crescer em comprimento. Entretanto, ele retém a capacidade de aumentar em diâmetro, processo

Material Didático dos Professores Márcio Oliveira - Régis Correia - José Roberto Pimenta de Godoy 36 que resulta da atividade das células osteogênicas (capazes de formar osso) presentes na camada interna do periósteo.

7.3 FATORES QUE AFETAM O DESENVOLVIMENTO DOS OSSOS

Um certo número de fatores pode influenciar grandemente o desenvolvimento do osso. Entre os fatores mais importantes estão: - Pressão: o osso é um tecido vivo que é capaz de ajustar a sua resistência proporcionalmente ao grau de pressão a que está sujeito. Quantidade aumentada de matriz óssea é depositada no osso como resposta a sujeição prolongada a cargas pesadas. Inversamente, se o osso não está sujeito à pressão, os sais são retirados do osso. - Hormônios: os hormônios das glândulas paratireóides e tireóide têm particular importância no desenvolvimento do osso. O aumento no nível do hormônio da paratireóide – parato-hormônio – aumenta a reabsorção de osso. O hormônio calcitonina da glândula tireóide tem um efeito oposto ao do parato-hormônio. Qualquer remodelação de osso que possa ocorrer, envolve a interação desses dois hormônios. - Nutrição: para que ocorra o desenvolvimento normal do osso, é necessário seguir uma dieta que forneça ao corpo uma variedade de substâncias essenciais. A vitamina D tem particular importância, pois é necessária para a absorção apropriada de cálcio a partir do trato gastrointestinal.

8. VARIAÇÕES

Os ossos variam de acordo com a raça, o sexo, a idade e de indivíduo para indivíduo.

Os ossos nas mulheres são, comumente, mais leves e menores, porque as mulheres são geralmente menores e o crescimento estaciona mais cedo. As impressões musculares (acidentes ósseos) tendem a ser mais pronunciadas nos ossos dos homens.

Material Didático dos Professores Márcio Oliveira - Régis Correia - José Roberto Pimenta de Godoy 37

9. ASPECTOS MÉDICO-LEGAIS E ANTROPOLÓGICOS

Quando ossos ou fragmentos de ossos são encontrados, é às vezes possível determinar primeiro se os ossos são humanos, ou então se são jovens ou velhos, de homem ou de mulher. De maior valia na determinação do sexo, na ordem de sua importância são: (1) a pelve e o sacro (2) o crânio (3) o esterno (4) a atlas (5) os ossos longos.

10. DIVISÃO DO ESQUELETO

Os ossos do esqueleto humano podem ser agrupados no esqueleto axial e no esqueleto apendicular. - Esqueleto Axial: consiste dos ossos que formam a cabeça, a coluna vertebral e o tórax. Esta porção do esqueleto forma o eixo principal de suporte do corpo e protege o sistema nervoso central e órgãos do tórax. - Esqueleto Apendicular: inclui os ossos dos membros superiores e inferiores e os ossos pelos quais esses membros se articulam com o esqueleto axial, isto é, as cinturas escapular e pélvica.

Material Didático dos Professores Márcio Oliveira - Régis Correia - José Roberto Pimenta de Godoy 38

1. ESQUELETO AXIAL

O esqueleto axial consiste dos ossos que formam a cabeça, a coluna vertebral e o tórax. Esta porção do esqueleto forma o eixo principal de suporte do corpo e protege o sistema nervoso central e os órgãos do tórax.

Cabeça 29

Coluna Vertebral 26 Tórax(esterno e costelas) 25 Total 80

1.1 Cabeça

A cabeça é formada por 29 ossos, 1 dos quais são pares. Esta forma: - Uma caixa para o encéfalo;

- Cavidades para os órgãos da sensibilidade especial (visão, audição, equilíbrio, olfato e gustação); - Aberturas para a passagem de ar e alimento;

- Os dentes para a mastigação.

Ossos que formam a Abóboda Craniana (Calvária) - Frontal

- Parietais

- Occipital

Ossos que formam a Base da Cavidade Craniana - Frontal

- Etmóide

- Esfenóide

- Occipital

Material Didático dos Professores Márcio Oliveira - Régis Correia - José Roberto Pimenta de Godoy 39

- Temporais

Esqueleto da Face - Mandíbula

- Maxilas

- Zigomáticos

- Nasais

- Lacrimais

- Palatinos

- Conchas Nasais Inferiores

- Vômer

Ossos que formam a Cavidade do Nariz - Etmóide

- Vômer

- Conchas nasais inferiores

- Maxilas

Ossos que formam o Palato Ósseo

- Maxilas - Palatinos

Ossos que formam a Órbita - Teto da órbita: Frontal e Esfenóide (Asa Menor).

- Parte medial da órbita: Maxila, Lacrimal e Etmóide.

- Parede lateral da órbita: Zigomático e Esfenóide (Asa Maior).

- Assoalho da órbita: Maxila e Palatino.

Ossículos da Audição

- Martelo - Bigorna

(Parte 7 de 10)

Comentários