Trabalho de quimica

Trabalho de quimica

Aproveitamento de resíduos da construção civil Aluno:Leonardo de Oliveira Souza

Salvador - Outubro/2010

Aluno:Leonardo de Oliveira Souza Aproveitamento de resíduos da construção civil

Relatorio sobre Aproveitamento de resíduos da construção civil apresentado ao professor Djalma Conceição com requisito para obtenção de nota na materia de Quimica aplicada a Engenharia.

Salvador - Outubro/2010

O grande Volume de resíduos gerados pela construção civil durante os processos de contrução e demoliçaõ,geralmente são considerados inservíveis e causam inúmeros problemas sócio-ambientais quando são dispostos de forma inadequada:ocupação irregular de áreas e vias urbanas, entupimento de sistemas de drenagem,proliferação de vetores de doenças,etc. As restrições ambientais enfrentadas para a exploração de materias naturais, as existências de diversos materias descartados pelas industrias no meio ambiente são as grandes motivadoras do aprofundamento dos estudos de materias alternativos em substituição de agregados naturais. Apesar da heterogeneidade dos agregados reciclados produzido pelo beneficiamento de resíduos sólidos da construção civil, é possivel indicadores de referencia de potencialidades e desempenho para aplicação dos agregados reciclados em pavimentos flexíveis. Algumas experiências realizadas em varias partes do pais e do mundo tem demostrado a viabilidade do aproveitamento desses resíduos, em particular os constituidos de conretos, argamassas e elementos cerâmicos, para a produção de agregados reciclados e aplicação em camadas de pavimentos.

Os impactos no meio ambiente provenientes da cadeia produtiva da indústria da construção civil ocorrem ao longo de todos os seus estágios e atividades: na ocupação de terras, na estração de matérias prima e seus componentes, no processo construtivo e no produto final ao longo de sua vida útil, até a demolição e descarte. A geração de resíduos sólidos da construção civil, bem como a destinação dos mesmos, tem sido motivo de preocupação e estudo em diversos países no mundo, inclusive no Brasil., para que os problemas de ordem ambiental, solcial e financeira decorrentes dos mesmos, sejam minimizados. Os resíduos sólido da construção civil, contribuem para o esgotamento prematuro de aterros sanitários, causam a obstruçaõ de elementos de drenagem urbana, a degradação de mananciais, a poluição de vias públicas, a proliferação de insetos e roedores e a contaminação do solo e águas periféricas.

A construção civil é um dos setores que mais gera resíduos sólidos, considerando-se proporcionalmente o seu produtos final. As estatísticas apontam que no Brasil a perdas chegam a atingir entre 20 e 30 % da massa de material de construções na forma que entra em cada obra. A maior parte desse desperdício vem de elementos cujas dimensões finais são superiores àquelas projetadas. Outra parcela se deve a fase de manutenção e reforma ao longo do tempo.

Em média , 65% dos resíduos sólidos dos “bota-foras” são de origem mineral, 13% madeira, 8% plástico e 14% outros. Dados levantados no Brasil, mostram que a soma dos resíduos sólidos de construções, chegam a corresponder 60% dos resíduos sólidos urbanos. Esta situação vinha agravando cada vez mais as situação dos aterros sanitários, que até o ano de 2002 eram obrigados a receber esse alto volume de resíduos.

A resolução Nº 307 do CONAMA – Conselho Nacional do Meio Ambiente, de 5 de julho de 2002, que entrou em vigor em 2 de janeiro de 2003, estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil, disciplinando as ações necessárias de forma a minimizar os impactos ambientais.

A resolução considera que a disposição dos resíduos em locais inadequados contribui para a degradação da qualidade ambiental, que há viabilidade técnica e econômica para a produção e suso de materiais provenientes de resíduos da construção civil e ambiental. Segundo a resolução, os resíduos sólidos da construção civil, também conhecidos como RCD( resíduos da contrução e demolição), são os provenientes de preparação e de escavação de aterros.

Segundo a resolução Nº 307 do CONAMA, os geradores devem ter como objetivo prioritário a não geração de resíduos e , secundariamente, a redução, reutilização, reciclagem e destinação final. Os resíduos da construção civil não poderão ser dispostos em aterros de resíduos domiciliares, em áreas de bota-fora, encostas, corpos d'água, lotes vagos ou áreas protegidas por lei. Os resíduos reciclaveis deverão ser reutilizados ou reciclados na forma de agregados, ou encaminhados para áreas de aterros de reísduos de construção civil, sendo dispostos de modo a permitir a utilização ou reciclagem futura.

A reciclagem de resíduos sólidos pode ser realizadas com instalações de baixo custo, apesar de existirem opções mais sofisticadas tecnologicamente. Havendo condições e se for feito um planejamento para a destinação dos resíduos, a reciclagem pode ser realizada na própia obra que gera o resíduo, reduzindo custos de transporte. Os residuos sólidos, que, podem ser usados sozinhos ou misturados ao solo, devem ser processados por equipamentos de britagem até alcansar a granulosidade desejada.

Os agregados reciclados resultantes do beneficiamento dos resíduos da construção civil apresentam aspectos econômicos viaveis para alguns tipos de aplicações, se forem comparados os preços finais da produção dos mesmos e os preços dos materias naturais usualmente utilizados. Segundo dados levantados pela Comissão do Meio Ambiente do Sindicato da Industria da Construção de Minas Gerais o valor final do metro cúbico de agregado reciclado foi igual a R$8,0, em outubro de 205.

A utilização de resíduos de construção reciclado em varias cidades do Brasil e no exterior, tem-se mostrado viável, mostrando resultados satisfatorios a boa adequação desse material.

As principais vantagens da utilização dos residuos da construção civil em pavimentação são:

•A pavimentação é a forma de reciclagem que exige menos utilização de tecnologia, o que implica em um menor custo de processo;

•A Pavimentação permite a utilização de todos os componentes minerais dos resíduos solidos (concretos, argamassas, materias cerâmicos, areias, pedras, etc.),sem a necessidade de separação de nenhum deles.

•Ocorre uma econômia de energia no preocesso de moagem dos resíduos sólidos em relação a sua utilização em argamassas, uma vez que o material permanece em granolometrias graúdas;

•Maior eficiência do resíduo quando adicionado ao solo, em relação a mesma adição feita com brita.

Além destas características, o agregado reciclado apresenta propriedades interessantes para utilização na construção de pavimentos. Do ponto de vista geotécnico é considerado um material que permite sua utilização em locais com presença de água, por gerar pouco ou nenhuma lama. Pode ainda, ser utilizado para estabilização dos solos. Apresenta também expansibilidade baixa ou nula, ou seja, mesmo sob saturação não ocorre expansão das camadas compactadas.

Depois de um grande tempo gerando problerma nos aterros sanitários, o entulho está prestes a dar a volta por cima. Depois de ser submetido a vários testes ele vem demonstrando a perfeita adequação ao uso de base e sub-base asfáltica. Não se pode omitir no entanto que o nível de desperdício na contrução civil é elevado e que deve haver portanto uma melhor utilização de recursos naturais. No entanto sempre haverá obras e todas, por menor que sejam, irão produzir resíduos. A resolução Nº 307 veio com intuito de promover uma diminuição dos impactos que o entulho vinha causando às prefeituras, além de incentivar a reutilização e reciclagem destes resíduos.

Agora é hora dos municípios traçarem um Plano Integrado para a correta reutilização destes resíduos. Deve portanto haver interesse do poder público e privado, para que ambos se adequem à nova legislação e possam ter bons resultados.

Não resta dúvida quanto a utilização dos resíduos sólidos da construção civil ser uma importante arma para unir respeito ao meio ambiente, através da preservação dos recursos naturais, alta qualidade do produto final(base e sub-base asfáltica), com baixo custo de produção.

http://www.agriambi.com.br http://www.superobra.com http://www.bibliotecasebrae.com.br

Comentários