Projeto Político Pedagógico - Biomedicina UFPI

Projeto Político Pedagógico - Biomedicina UFPI

(Parte 1 de 13)

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ Campus Min. Reis Velloso, Parnaíba - Piauí, Brasil

REITOR Prof. Dr. Luiz de Sousa Santos Júnior

VICE-REITOR Profº Dr. Edwar de Alencar Castelo Branco

PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO PRÓ-REITORA: Profª. Drª. Guiomar de Oliveira Passos

COORDENAÇÃO DE CURRÍCULO/PREG COORDENADORA: Prof.ª Dr.ª Antonia Dalva França Carvalho

• Fábio José Nascimento Motta

• France Keiko Nascimento Yoshioka

• Maria Rejane Lima Brandim

• Eleonidas Moura Lima

• Marcelo Coertjens

• Sérgio Henrique Bezerra Leal

• Jethro Ribeiro Martins (Representante Discente)

DENOMINAÇÃO DO CURSO Biomedicina

MODALIDADE Bacharelado

Ideal: 4,5 anos Máxima: 7 anos

CARGA HORÁRIA TOTAL DO CURSO A carga horária total do curso é de 3615 horas equivalentes a 241 créditos

TÍTULO ACADÊMICO Biomédico

1. INTRODUÇÃO05
2 JUSTIFICATIVA PARA CRIAÇÃO DO CURSO DE BIOMEDICINA06
3 PRINCÍPIOS CURRICULARES09
4 PERFIL DO EGRESSO10
5 OBJETIVOS DO CURSO1
5.1. Geral1
5.2. Específicos1
6 COMPETENCIAS E HABILIDADES12
7 CONTEÚDOS CURRICULARES16
8 ORGANIZAÇÃO DO CURSO17
8.1. Estrutura curricular por bloco/semestre18
8.2. Atividades Complementares20
8.3. Estágio Supervisionado23
8.4. Trabalho de Conclusão de Curso24
9 COPO DOCENTE E COORDENAÇÃO DO CURSO25
10 EMENTA DAS DISCIPLINAS E BIBLIOGRAFIA25
1 METODOLOGIA4
12 PROCESSO DE AVALIAÇÃO45
12.1. Acompanhamento45
12.2. Critérios de Avaliação46
12.3. Sistema de Avaliação de Aprendizagem47
13 SUPORTE PARA O FUNCIONAMENTO DO CURSO47
13.1. Estrutura física47
13.2. Acervo bibliográfico47
13.3. Laboratórios48

1. INTRODUÇÃO

O profissional biomédico estuda o funcionamento do corpo humano, as alterações sofridas por ele e as possíveis doenças, além de técnicas capazes de auxiliar no diagnóstico e na profilaxia dos males que nos atingem. O profissional atua em diversas atividades complementares de diagnósticos, incluindo as análises clínicas, ambientais, de alimentos, imagens e outras.

O mercado de trabalho do biomédico vem crescendo e atraindo jovens para a profissão, tanto na área de prestação de serviços quanto na área tecnológica, pela importância que a profissão vem ganhando nos últimos anos.

No contexto institucional, a importância desse segmento, se fará sentir, na medida em que possa contribuir para a geração e disseminação de conhecimentos e técnicas que venham viabilizar a melhoria da qualidade de vida da comunidade por meio do desempenho competente do profissional biomédico no exercício dos conhecimentos requeridos para uma atuação ética e na compreensão da realidade social, cultural e econômica do meio que o acolhe.

Outrossim, considerando a importância social e econômica da atividade do

Biomédico, um dos fatores que mais concorre para a atual situação da atividade profissional é a carência de pessoal técnico especializado para responder com competência dentro de padrões de organização do ser humano seguindo-se de uma visão articulada do estudo da saúde, da doença e da interação do homem com meio ambiente.

Um plano voltado para o desenvolvimento dessa atividade tem como exigência primordial à necessidade de formação de massa crítica de profissionais “in loco”, ligados á área e familiarizados com a problemática local. Isto será possível, a partir da implantação de um Curso de Biomedicina, que significará, também, a formação de um grupo avançado de estudos, onde a questão da saúde e da doença receberá um tratamento científico individualizado.

Dentro dessa perspectiva de desenvolvimento a Universidade Federal do Piauí -

UFPI propôs a criação de um curso de Biomedicina no Campus Ministro Reis Veloso, que está situado no litoral piauiense.

2. JUSTIFICATIVA PARA CRIAÇÃO DO CURSO DE BIOMEDICINA

O nível de desenvolvimento de uma nação pode ser medido a partir da análise de diferentes indicadores tais como educação, saúde, moradia e domínio tecnológico, entre outros. O posicionamento de um país entre aqueles mais avançados ou atrasados não dependerá de um indicador isolado, mas sim do desempenho agregado destes indicadores. Ao analisarmos mais especificamente a saúde poderíamos dizer que há uma associação inseparável deste indicador com os níveis de educação/instrução e desenvolvimento tecnológico de uma nação. Assim como existe esta associação indissolúvel entre estes três fatores, também é correto dizer que o bom desempenho nos mesmos depende da formação sólida e qualificada de profissionais de nível universitário tanto na graduação como na pós-graduação.

Nas últimas décadas o mundo tem visto uma verdadeira revolução na área biomédica. Hoje, não somente conhecemos integralmente o genoma humano como podemos detectar, ao nível molecular, as causas genéticas de várias doenças humanas, como somos capazes também, de clonar animais e usar esse conhecimento como estratégia no combate a diversos tipos de doenças, como o câncer e outras afecções de ordens degenerativas. Estes avanços trouxeram novos campos de atuação na área da saúde humana que requerem profissionais devidamente qualificados sob o ponto de vista técnico e ético. Neste novo espaço de atuação se insere a figura do biomédico, que diferente do Biólogo, cuja área de atuação é voltada para a relação entre os seres vivos e o meio ambiente, além dos processos e mecanismos que regulam a vida, e do Médico, que possui a prerrogativa do diagnóstico e tratamento das doenças que afetam o homem. O profissional biomédico atua em especialidades da área da saúde, particularmente aquelas da área básica e de diagnóstico laboratorial e não na clínica médica e, portanto, seria um profissional da saúde. De fato, esta distinção entre os dois profissionais é bem explícita nas atuais Diretrizes Curriculares para o Curso de Biomedicina da Secretaria de Educação Superior do Ministério da Educação de 09 de abril de 2002. Hoje o Curso é conhecido como BIOMEDICINA e não como Ciências Biológicas - Modalidade Médica. Razão há para tanto, pois o profissional está inserido definitivamente nas áreas de conhecimentos que integram a Saúde e não na Biológica.

Em recente publicação intitulada "CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM SAÚDE:

Subsídios do Ministério da Saúde às discussões da Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação" o Ministério da Saúde manifesta que os problemas de saúde pública devem passar pela identificação de temas prioritários para a pesquisa científica e desenvolvimento tecnológico. Ainda no mesmo documento o Ministério declara que: "Um dos elementos fundamentais para a concretização do papel do Estado na área de C&T/S é a formulação de uma Política Nacional de Ciência e Tecnologia em Saúde (PNC&T/S), que possibilite uma eficiente articulação entre os diversos atores envolvidos, tendo como propósito a promoção do desenvolvimento científico e tecnológico em saúde, mediante a geração e aplicação do conhecimento e incorporação de tecnologias visando à melhoria da qualidade de vida da população brasileira”.

No âmbito desta realidade, a Universidade Federal do Piauí, possuidora de tradição em ensino de graduação e de pós-graduação na Área de Ciências Biológicas e da Saúde, propõe-se a criar, com as adequações exigidas pelas Novas Diretrizes Curriculares, um curso de graduação que forme um profissional Biomédico generalista altamente qualificado e capaz de, fundamentalmente, desenvolver e aplicar projetos de pesquisa em áreas básicas e aplicadas da saúde e com isso contribuir significativamente para o desenvolvimento de ciência e tecnologias nacionais. Dentro das diretrizes curriculares de formação biomédica generalista propostas para o curso e a necessidade de se criar um profissional que possa atuar em campos de atividade emergentes na área da saúde, o aluno terá, também, a oportunidade de voltar-se para as atividades da área de análises biomédicas, incluindo nestas as análises moleculares, análises ambientais. A imediata inserção e necessidade de profissionais de biomedicina no mercado de trabalho podem ser constatadas pela crescente necessidade de profissionais da saúde graduados qualificados, com formação crítica e científica, para atuarem em todos os níveis de atenção a saúde das pessoas, principalmente na promoção a saúde, umas das evidências dessa situação foi o recente edital do IBAMA (abril de 2002) para o preenchimento de 610 vagas para o cargo de "Analista Ambiental" exigindo como único pré-requisito "Diploma em qualquer Curso Superior". A Universidade deve ter o papel de liderança no ensino graduação no Brasil e se antecipar às necessidades de qualificação profissional que as continuadas mudanças na área biomédica impõem. O aparecimento destas novas áreas de atuação no campo da saúde, sem a devida associação a um profissional que tenha um perfil definido e adequado para as mesmas, torna imperiosa a criação de um Curso de Biomedicina. Em todo Piauí existem apenas dois cursos de Biomedicina autorizados no momento pelo MEC (na capital, oferecido por instituições privadas).

Embora o Projeto Pedagógico, ora adaptado às Novas Diretrizes Curriculares do

Conselho Nacional de Educação homologadas em 9 de abril de 2002, apresente ampla diversidade e alta qualidade dos conhecimentos nas disciplinas de cunho técnicocientífico para a formação oferecida aos estudantes, e a inserção, inclusive de disciplinas das áreas de conhecimentos humanísticos que deverão ser contempladas. O curso possui relativa flexibilidade com inserção de Atividades Complementares, Trabalho de Conclusão de Curso e disciplinas práticas que apresentam a vivência profissional Biomédica ao longo do Curso.

3. PRINCÍPIOS CURRICULARES

O currículo de um curso é o conjunto de atividades, de experiências, de situações de ensino-aprendizagem, vivenciadas pelo aluno durante sua formação. É o currículo que assegura a formação para uma competente atuação profissional, assim as atividades desenvolvidas devem articular harmoniosamente as dimensões: humana, técnica, político-social e ética.

Nesta perspectiva, no decorrer do curso de Biomedicina devem ser considerados os seguintes princípios:

- Indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão – este princípio demonstra que o ensino deve ser compreendido como o espaço da produção do saber, por meio da centralidade da investigação como processo de formação para que se possam compreender fenômenos, relações e movimentos de diferentes realidades e, se necessário, transformar tais realidades.

- Formação profissional para a cidadania – a UFPI tem o compromisso de desenvolver o espírito crítico e a autonomia intelectual, para que o profissional por meio do questionamento permanente dos fatos possa contribuir para o atendimento das necessidades sociais.

- Interdisciplinaridade – este princípio demonstra que a integração disciplinar possibilita análise dos objetos de estudo sob diversos olhares, constituindo-se questionamentos permanentes que permitam a (re) criação do conhecimento.

- Relação orgânica entre teoria e prática – todo conteúdo curricular do curso de

Biomedicina deve fundamentar-se na articulação teórico-prática, que representa a etapa essencial do processo ensino-aprendizagem. Adotando este princípio, a prática estará presente em todas as disciplinas do curso, permitindo o desenvolvimento de habilidades para lidar com conhecimento de maneira crítica e criativa.

4. PERFIL DO EGRESSO

O profissional Biomédico egresso desta instituição deverá ter uma “formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, para atuar em todos os níveis de atenção à saúde, com base no rigor científico e intelectual. Capacitado ao exercício de atividades referentes às análises clínicas, citologia oncótica, análises hematológicas, análises moleculares, produção e análise de bioderivados, análises bromatológicas, análises ambientais, bioengenharia e análise por imagem, pautado em princípios éticos e na compreensão da realidade social, cultural e econômica do seu meio, dirigindo sua atuação para a transformação da realidade em benefício da sociedade”.

Para ser biomédico é necessário ter capacidade de assimilar grandes quantidades de informação e relacioná-las de forma coerente. É preciso também acompanhar e se adaptar às novas descobertas que provocam mudanças em teorias sobre a medicina que antes eram tidas como verdades absolutas. Curiosidade, perseverança e capacidade crítica são as habilidades que levarão o profissional da área a obter resultados e avaliá-los dentro do mais alto rigor científico, ético e moral. Com isso o profissional deve estar apto a:

• Reconhecer a saúde como direito e condições dignas de vida e atuar de forma a garantir a integralidade da assistência, entendida como conjunto articulado e contínuo das ações e serviços preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigidos para cada caso em todos os níveis de complexidade do sistema;

• Contribuir para a manutenção da saúde, bem estar e qualidade de vida das pessoas, famílias e comunidade, considerando suas circunstâncias éticas, políticas, sociais, econômicas, ambientais e biológicas;

• Assimilar as constantes mudanças conceituais e evolução tecnológica apresentadas no contexto mundial;

• Avaliar e responder com senso crítico as informações que estão sendo oferecidas durante a graduação e no exercício profissional;

• Formar um raciocínio dinâmico, rápido e preciso na solução de problemas dentro de cada uma de suas habilitações específicas;

(Parte 1 de 13)

Comentários