Projeto Político Pedagógico - Biomedicina UFPI

Projeto Político Pedagógico - Biomedicina UFPI

(Parte 12 de 13)

BIRNEY, M.H. Fisiopatologia. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan, 2006. CARIE A.B; CINDY M.A. Fisiopatologia. Porto Alegre. Art Med. 2009. PORTH, C.M. Fisiopatologia. 6ª ed. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan, 2004.

SPRINGHOUSE CORPORATION. Anatomical Chart Company: Atlas de Fisiopatologia. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan, 2004.

SPRINGHOUSE CORPORATION. Fisiopatologia – Incrivelmente Fácil. 2ª ed. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan, 2004.

SAÚDE PÚBLICA CH: 60 h CRÉDITOS: 2.2.0. PRÉ-REQUISITO(S): SEM PRÉ-REQUISITO

EMENTA: O Sistema Único de Saúde, lei orgânica de saúde e demais instrumentos jurídicos; modelo assistencial, regionalização e municipalização de saúde, níveis de assistência. Acompanhar as atividades de planejamento, organização e programação de Unidades Básicas de Saúde. Desenvolver práticas de educação em saúde possibilitando conhecer a realidade local (indicadores,sistemas de saúde referência e contrareferência, importância dos Conselhos de Saúde. referência e contra-referência, importância dos Conselhos de Saúde.

SUS - O Que Você Precisa Saber Sobre o Sistema Único de Saúde ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE MEDICINA Editora Atheneu

Saúde Pública – Bases Conceituais ARISTIDES ALMEIDA ROCHA & CHESTER LUIZ GALVÃO CESAR Editora Atheneu, 368 págs.

Guia de Vigilância Epidemiológica Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS/MS), 2005

Doenças Infecciosas e Parasitárias - GUIA DE BOLSO 7ª Edição Ministério da Saúde BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

BERTOLLI FILHO, Cláudio. Historia da saúde publica no Brasil. 4. ed. Sao Paulo: Atica, 2006. 70p. 4 ed

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância a Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde. Brasília, 2006.

1. METODOLOGIA

As atividades teóricas e práticas presentes desde o início do curso deverão garantir um ensino crítico, reflexivo e criativo, capaz de formar um profissional apto a uma atuação crítica e criativa na identificação e resolução de problemas. Assim, a metodologia do curso deverá contemplar: - Atividades pedagógicas que articulem o saber, o saber fazer e o saber conviver, visando desenvolver o aprender a aprender, o aprender a ser, aprender a fazer, aprender a viver juntos e o aprender a conhecer que constituem condições indispensáveis à formação do profissional em Biomedicina.

- Estímulo às dinâmicas de trabalho em grupo por favorecer a discussão coletiva; - Seminário, valorizando temáticas clássicas e/ou atuais relacionadas à Biomedicina, estimulando a pesquisa e a socialização dos resultados nessa área do conhecimento.

12. PROCESSO DE AVALIAÇÃO DO CURSO

12.1. Acompanhamento

O estudante, ao ingressar no Curso de Biomedicina, receberá informações sobre a estrutura da UFPI e especialmente do Campus Ministro Reis Veloso do município de Parnaíba-PI, onde será instalada toda estrutura do curso. Assim, serão fornecidas informações sobre a sistemática de funcionamento dos serviços acadêmicos, estes sob a responsabilidade da Coordenação do Curso de Biomedicina e participação colegiada do Centro Acadêmico de Biomedicina.

O acompanhamento será fundamentado obedecendo à seqüência curricular apresentado por um encadeamento de conhecimentos com a finalidade de garantir a integração curricular de conteúdos afins.

No início de cada período serão realizadas reuniões com os professores com vistas à elaboração dos planos de cursos, integração das disciplinas afins e cumprimento das ementas. Cópias dos planos de cursos elaborados serão distribuídas aos alunos na primeira semana de aula e funcionarão como instrumentos de discussão e acompanhamento do processo ensino-aprendizagem no decorrer daquele período letivo;

No final de cada período letivo será avaliado o trabalho didático dos professores pelos estudantes. Os dados obtidos identificarão as dificuldades e serão utilizados para corrigir as falhas detectadas;

O acompanhamento do processo de integralização curricular de cada estudante será feito pelo professor, através de trabalho de orientação acadêmica. Neste sistema, cada docente se responsabilizará por um grupo de, no máximo, 15 estudantes, desde o início do curso até a sua conclusão, orientando-os no processo de matrícula e organização curricular.

O conjunto de informações obtidas através dos mecanismos acima descritos e outros aqui não especificados, mas que poderão ser adotados, servirão como instrumentos de avaliação do Currículo Pleno do Curso de Biomedicina.

12.2. Critérios de Avaliação

O Currículo do curso de Biomedicina será avaliado considerando-se duas dimensões: PROCESSOS e PRODUTOS.

PROCESSOS – durante a aplicação deste currículo, será observado se a aprendizagem dos alunos nas diversas disciplinas em termos de resultados parciais está se processando satisfatoriamente ou se necessitam de reformulação. Este trabalho realizar-se-á através da comparação das atividades realizadas com as planejadas, tendo em vista promover a melhoria curricular.

PRODUTO – após a conclusão de 02 (duas) turmas em períodos consecutivos realizar-se-á uma avaliação, objetivando-se a visualização do conjunto de resultados previstos e realizados, permitindo um julgamento eficaz de todas as atividades desenvolvidas.

Com relação ao egresso, o objetivo é verificar se, a sua atuação é compatível com as necessidades do mercado de trabalho e as aspirações da comunidade, bem como se os conhecimentos adquiridos durante o curso ofereceram condições para um desempenho profissional satisfatório. Serão utilizados como mecanismos de avaliação os seguintes procedimentos:

• Reunir periodicamente todos os professores, agrupados por disciplinas afins, com a finalidade de proporcionarem a integração curricular;

• Aplicar questionário de avaliação aos alunos que concluírem o trabalho de conclusão do curso;

• Monitorar a elaboração dos planos de curso sem esquecer os elementos que compõem este plano;

• Aplicar, a cada final de período letivo, questionário de avaliação do desempenho do professor;

• Reunir periodicamente os professores que trabalham com o programa de orientação acadêmica, para colher subsídios;

• Realizar pesquisas periódicas para detectar o grau de satisfação dos egressos e mercado de trabalho com relação à otimização do currículo.

12.3. Sistema de Avaliação da Aprendizagem

O processo de avaliação da aprendizagem obedecerá à Resolução nº 043/95 do

Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade Federal do Piauí a qual estabelece que a avaliação do rendimento escolar é feita por período letivo, em cada disciplina, através da verificação do aproveitamento e da assiduidade às atividades didáticas. A assiduidade é aferida através da freqüência às atividades didáticas programadas.

13. SUPORTE PARA O FUNCIONAMENTO DO CURSO

As atividades desenvolvidas pelo curso de Biomedicina serão assentadas no Campus Ministro Reis Veloso, localizado no município de Parnaíba.

Atualmente o Campus já possui estrutura física com prédio da Sede Administrativa, onde funciona diretoria, coordenações de curso e salas de professores. Também possui prédio da biblioteca e auditório, e infra-estrutura de banheiros e cantinas.

Para o funcionamento do Curso de Biomedicina se torna necessário à implantação da seguinte infra-estrutura, conforme o desenvolvimento do currículo.

13.1 Infra-estrutura física

Além da infra-estrutura existente, serão construídas salas de aulas e laboratórios para o pleno funcionamento do curso.

13.2 Acervo bibliográfico

Aquisição por compra e permuta com bibliotecas e instituições afins; aquisição semestral conforme indicação bibliográfica de professores e coordenador do curso. A política de expansão e atualização do acervo será executada durante os primeiros cinco anos de funcionamento do curso, englobando a assinatura de periódicos, aquisição de vídeos, cd-rooms, etc. Ao final do quinto ano, o curso de Biomedicina disporá de mais de 15000 volumes de livros específicos. O acervo será ampliado e atualizado por indicação dos professores, alunos e dirigentes dos órgãos acadêmicos da Faculdade, além dos títulos selecionados pela direção da Biblioteca, tendo presente a implantação das disciplinas e atividades da graduação, dos programas de pós-graduação e dos projetos de pesquisa e extensão.

Procedimentos gerais para expansão e atualização da biblioteca:

Para cada curso em implantação, será adquirido todo o acervo básico de livros, fitas e periódicos, recomendados ou estabelecidos pelos Padrões de Qualidade da Comissão de Especialistas referentes ao curso em pauta ou complementando o quadro de acervo atual, para atingir este mesmo nível.

Os livros texto indicados pelos docentes, em qualquer semestre, terão pelo menos cinco exemplares para empréstimo além do de consulta.

• Semestralmente serão adquiridos todos os livros, periódicos e outros recomendados pelos docentes como necessários ao ensino das suas disciplinas.

13.3 Laboratórios

Laboratórios de apoio ao ensino de conteúdos básicos • Laboratório de Botânica

(Parte 12 de 13)

Comentários