Galinheiro móvel

Galinheiro móvel

Empresa Brasileira de Pesquisa AgropecuÆria

Elaborado por:

Valdir Silveira de Avila Elder J. C. Lopes Vicente Sangoi

Maior segurança em relaçªo as aves soltas; Facilidade de deslocamento devido ao tamanho e peso; Descontaminaçªo natural pela radiaçªo solar do local utilizado; Permite a recuperaçªo da cobertura do solo ao ser trocado de local; Melhor aproveitamento da Ærea e das pastagens disponíveis; Baixo custo de construçªo em relaçªo à vida œtil.

Tabela 1- Materiais eferragens para construçªo do galinheiro móvel.

Revisªo TØcnica:

Élsio A. P. de Figueiredo Cícero J. Monticelli

S uí n os e A v es

MinistØrio da Agricultura, PecuÆria e Abastecimento

Data: Dezembro de 2002 Tiragem: 300 unidades

Uma alternativa na diversificaçªo da produçªo na pequena propriedade para subsistŒncia e/ou venda do excedente, pode ser a criaçªo de frango colonial utilizando instalaçıes e equipamentos simples e de baixo custo. Instalaçıes que serviram a outra utilidade e ficaram sem uso podem ser adaptadas na produçªo do frango colonial. É possível o aproveitamento de tÆbuas, telhas, taquara, bambu ou madeira roliça como eucalípto, pinus, e outras existentes na propriedade. No entanto, quando tais alternativas sªo ausentes uma opçªo Ø a construçªo do galinheiro móvel em estrutura metÆlica. O custo do material para este tipo de instalaçªo foi de R$ 220 em abril de 2002.

Galinheiro Móvel PERSPECTIV A FRONT O-LA TERAL.

O modelo Ø construído em ferro de construçªo civil, coberto com cortina de aviÆrio (lona leve, impermeÆvel e de cor externa clara) e fechamento em tela nas laterais e cabeceiras.

A capacidade de alojamento Ø de 100 frangos atØ aidade de abate (85 dias). As dimensıes sªo

, com altura, no topo da cumeeira, de 1,8 m.

É imprescindível observar os materiais contidos na Tabela 1, assim como as recomendaçıes de construçªo descritas a seguir erelacionÆ-las com as Figuras1 e 2.

de 3,0 x 3,50 x 0,50 m (largura, comprimento e altura), totalizando uma Ærea œtil de 10,5m

Estrutura da Base

Deve ser confeccionada em estrutura metÆlica com barras de ferro de construçªo civil de 1/2", soldados entre si. Uma das extremidades Ø dotada de estrutura para fixaçªo do portªo de acesso e a outra de um pontalete. As barras de ferro perpendiculares se projetam cerca de 15cm formando as patas. A projeçªo de 10cm nas barras inferiores das laterais da base servem para pressionar e cravar as patas ao solo.

Estrutura de Cobertura

Deve ser superior à estrutura da base efixado em ferro de construçªo de 1/2". A inclinaçªo da cobertura Ø dada pela junçªo das barras de ferro, desde a estrutura da base da cobertura atØ o Æpice do pontalete e do outro lado com o portªo (cumeeira). A projeçªo de 15cm nas laterais e de 25cm nos beirais frontal e posterior , sustentada com barra de ferro de 5/16" para fixaçªo da lona de cobertura, tem como funçªo amenizar aincidŒncia direta das chuvas. Entre os intervalos das barras com funçªo de caibros ou tesouras, hÆ uma barra de ferro de 1/4", para minimizar o embalsamento da lona de cobertura.

Fechamentos Laterais, Frontal e Posterior

Os fechamentos da estrutura da base, assim como nos oitıes e portªo de acesso ao galinheiro, deverªo ser efetuados com tela malha de 6 cm. Entretanto, no alojamento de pintos com um dia de idade Ø necessÆrio que a estrutura da base contenha tela em torno de 3cm de malha. Nesse caso o aviÆrio deve ter aquecimento e equipamentos adequados.

Cobertura

Sobre a estrutura da cobertura assenta-se uma lona leve impermeÆvel, tipo cortina de aviÆrio. Esta deverÆ ter dimensıes superiores à estrutura metÆlica, proporcionando um trespasse sob os ferros das extremidades frontais elaterais da cobertura e presa aos ferros superiores da estrutura da base, atravØs de borrachas tencionadas com aferragem.

Deve ser alocado na Ærea que ocorra a projeçªo de sombra das Ærvores no período da tarde e cercado com tela ou cerca elØtrica . É importante que o terreno tenha leve declividade, boa cobertura verde.

O período vazio das instalaçıes e piquete, alØm de indispensÆvel no aspecto sanitÆrio, deve ser suficiente para recuperaçªo das características do solo e da pastagem. O vazio sanitÆrio Ø mais eficiente quando se pratica o deslocamento do galinheiro e orodízio de piquetes.

Em qualquer sistema, com ou sem cerca de contençªo, o galinheiro móvel pode ser deslocado para Æreas distintas, evitando com isso o pisoteio demasiado na mesma Ærea.

Figura 2 -Perspectivas da estrutura do aviÆrio

Figura 1- Vistas da estrutura do aviÆrio.

Comentários