(Parte 2 de 7)

a) papel transparente: - manteiga;

- vegetal;

- albanene;

- poliéster;

- cronaflex. b) papel opaco: - canson;

- schoeller;

- sulfite grosso. 4.2 Formatos

Devem ser utilizados os formatos de papel da série A, conforme NBR 10068, formato A0 como máximo e A4 como mínimo, para evitar problemas de manuseio e arquivamento.

4.3 Carimbo (ou quadro)

O carimbo inferior direito das folhas de desenho deve ser reservado ao carimbo destinado à legenda de titulação e numeração dos desenhos.

4.3.1 Devem constar da legenda, no mínimo, as seguintes informações:

a)identificação da empresa e do profissional responsável pelo projeto; b)identificação do cliente, nome do projeto ou do empreendimento; c)título do desenho; d)indicação seqüencial do projeto (números ou letras); e) escalas; f) data; g)autoria do desenho e do projeto; h)indicação de revisão.

NBR 6492/19943

4.3.2 Outras informações devem localizar-se próximo do carimbo:

a) planta-chave; b) escalas gráficas; c) descrição da revisão; d) convenções gráficas; e) notas gerais; f) desenhos de referência.

4.3.3 Indicação do norte, regime de ventos, etc. podem também constar próximo do carimbo.

4.4 Dobramento de cópias de desenho

4.4.1 Sendo necessário o dobramento de folhas das cópias de desenho, o formato final deve ser o A4.

4.4.2 As folhas devem ser dobradas levando em conta a fixação através da aba em pastas e de modo a deixar visível o carimbo destinado à legenda (ver Figura 1).

Figura 1

4.4.3 O dobramento das folhas de formatos A0, A1, A2 e A3, para fixação em pasta ou classificadores A4 deve ser efetuado de acordo com as indicações das Figuras 2, 3, 4 e 5, respectivamente.

Figura 2 Figura 3

4NBR 6492/1994

Figura 4 c) xerográfica, opaca; d) xerográfica, transparente.

4.5.2 Reprodução proporcional do desenho original, em tamanho reduzido ou ampliado, obtida por vários processos, conforme os exemplos a seguir:

a) xerográfica, opaca; b) xerográfica, transparente; c) microfilmagem, opaca; d) microfilmagem, transparente; e) sistema fotográfico.

Nota:As cópias transparentes permitem complementação do projeto.

4.6 Técnicas

4.6.1 Desenho a mão livre

De maneira geral é a representação do projeto nas fases de:

a) croquis; e b) estudo preliminar. 4.6.2 Desenho por instrumento

Recomendado como representação do projeto nas fases de:

a) anteprojeto; e b) projeto executivo.

Nota:Em ambos os casos indicados em 4.6.1 e 4.6.2, podem ser usados tanto lápis como tinta, com as seguintes recomendações, de acordo com o tipo de papel:

a)lápis ou mina de grafite, papéis: manteiga, vegetal, albanene, canson, schoeller, sulfite grosso; b)mina plástica, papéis:cronaflex, poliéster; c)hidrográfica, papel: manteiga; d)nanquin, papéis: manteiga, vegetal, poliéster, cronaflex e schoeller.

5 Condições específicas

5.1 Caracterização das fases do projeto

Na organização do espaço com finalidades específicas, podem ser definidas as fases indicadas em 5.1.1 a 5.1.4.

5.1.1 Fase/objetivo

Programa de necessidades: caracterização do empreendimento cujo(s) edifício(s) será(ão) projetado(s).

Figura 5

4.4.3.1 Efetua-se o dobramento a partir do lado <<d>> (direito) em dobras verticais de 185 m; a parte final <<a>> é dobrada ao meio. Para o formato A2, por ser a parte final de apenas 14 m, é permitido um dobramento simplificado, com dobras verticais de 192 m.

4.4.3.2 Uma vez efetuado o dobramento no sentido da largura, a folha deve ser dobrada segundo a altura, em dobras horizontais de 297 m.

4.4.3.3 A fim de facilitar o dobramento, recomenda-se assinalar, nas margens, as posições das dobras.

4.4.3.4 Quando as folhas de formatos A0, A1 e A2 tiverem de ser perfuradas, para arquivamento, deve-se dobrar para trás o canto superior esquerdo, de acordo com as indicações das Figuras 2, 3 e 4, respectivamente.

4.5 Sistema de reprodução

4.5.1 Reprodução do original, nas mesmas dimensões obtidas, por contato direto ou outro processo exato, conforme os exemplos a seguir:

a) heliográfica, opaca: - vermelha;

- azul;

- preta;

(Parte 2 de 7)

Comentários