(Parte 3 de 7)

- sépia; b) heliográfica, transparente: - ozalide;

- poliéster;

NBR 6492/19945

5.1.1.1 Documentos escritos

Texto descritivo, ilustrado com organogramas, fluxogramas, esquemas, etc.

5.1.1.2 Elementos a serem representados

Relação dos setores que compõem o empreendimento, suas ligações, necessidades de área, características especiais, posturas municipais (código de obras), códigos e normas pertinentes.

5.1.2 Estudo preliminar

Estudo da viabilidade de um programa e do partido arquitetônico a ser adotado para sua apreciação e aprovação pelo cliente. Pode servir à consulta prévia para aprovação em órgãos governamentais.

5.1.2.1 Documentos típicos

Os documentos típicos são os seguintes: a) situação; b) plantas, cortes e fachadas;

Os documentos eventuais são os seguintes: a) perspectiva; b)maquete (estudo de volume); c)desenvolvimento através de texto ou desenhos sumários de elementos isolados que sejam de interesse em casos especiais; d) análise preliminar de custo. 5.1.2.3 Escala

A escala deve ser de acordo com o porte do programa. 5.1.2.4 Elementos a serem representados

Devem estar representados os elementos construtivos, ainda que de forma esquemática, de modo a permitir a perfeita compreensão do funcionamento do programa e partido adotados, incluindo níveis e medidas principais, áreas, acessos, denominação dos espaços, topografia, orientação.

5.1.3 Anteprojeto

Definição do partido arquitetônico e dos elementos construtivos, considerando os projetos complementares (estrutura, instalações, etc.). Nesta etapa, o projeto deve receber aprovação final do cliente e dos órgãos oficiais envolvidos e possibilitar a contratação da obra.

5.1.3.1 Documentos típicos

Os documentos típicos são os seguintes: a) situação; c)memorial justificativo, abrangendo aspectos construtivos; d) discriminação técnica; e)quadro geral de acabamento (facultativo); f)documentos para aprovação em órgãos públicos;

Os documentos são os seguintes:

a)desenvolvimento de elementos de interesse, em casos especiais; b) maquete; c)estimativa de custo. 5.1.3.3 Escala

Igual ou superior a 1/100 na representação da edificação. De acordo com o porte do programa, podem ser utilizadas escalas menores, com ampliações setoriais.

5.1.3.4 Elementos a serem representados

Devem estar bem caracterizados os elementos construtivos, com indicação de medidas, níveis, áreas, denominação de compartimentos, topografia e orientação, eixos e coordenadas. A descrição dos materiais adotados deve atender às necessidades da etapa.

5.1.4 Projeto executivo

Apresenta, de forma clara e organizada, todas as informações necessárias à execução da obra e todos os serviços inerentes.

5.1.4.1 Documentos típicos

Os documentos típicos são os seguintes: a) locação; b) plantas, cortes e fachadas; c) detalhamento; d) discriminação técnica; e) quadro geral de acabamentos (facultativo); f) especificações; g) lista de materiais; h) quadro geral de áreas (facultativo).

6NBR 6492/1994

Os documentos eventuais são os seguintes:

a)maquete de elementos (detalhes) de interesse, em casos especiais; b)orçamento de projeto. 5.1.4.3 Escala

Igual ou superior a 1/100 na representação da edificação. Em programas de grande porte, podem ser utilizadas escalas menores, com ampliações setoriais.

5.1.4.4 Elementos a serem representados

Devem estar corretamente indicados todos os materiais usados e suas quantidades, os detalhes construtivos, além das recomendações necessárias para sua correta execução.

5.1.5 Projeto como construído

Constitui-se na revisão final, pós-obra, de todos os documentos do projeto executivo.

5.2 Elementos básicos do projeto

Os elementos básicos do projeto constituem-se em: a) peças gráficas; b) peças escritas.

5.2.1 As peças gráficas do projeto são as indicadas a seguir:

a) plantas: - planta de situação;

- planta de locação (ou implantação);

- planta de edificação; b) corte; c) fachada; d) elevações; e) detalhes ou ampliações; f) escala.

5.2.2 As peças escritas do projeto (ver definições no Capítulo 3) são as indicadas a seguir:

a) programa de necessidades; b) memorial justificativo; c) discriminação técnica; d) especificação; f) orçamento. 5.3 Fases do projeto

5.3.1 Estudo preliminar 5.3.1.1 Planta de situação

A planta de situação deve conter:

a)simbologias de representação gráfica, conforme as prescritas no Anexo; b)curvas de nível existentes e projetadas, além de eventual sistema de coordenadas referenciais; c)indicação do norte; d)vias de acesso ao conjunto, arruamento e logradouros adjacentes com os respectivos equipamentos urbanos; e)indicação das áreas a serem edificadas, com o contorno esquemático da cobertura das edificações; f)denominação dos diversos edifícios ou blocos; g)construções existentes, demolições ou remoções futuras, áreas non aedificandi e restrições governamentais; i)notas gerais, desenhos de referência e carimbo. 5.3.1.2 Plantas, cortes e fachadas

5.3.1.2.1 As plantas, cortes e fachadas devem conter:

a)simbologias de representação gráfica conforme as prescritas nesta Norma; b)indicação do norte; c)caracterização dos elementos do projeto: fechamentos externos e internos, acessos, circulações verticais e horizontais, áreas de serviço e demais elementos significativos; d)indicação dos nomes dos compartimentos; e)cotas gerais; f)cotas de níveis principais; g) escalas; h)notas gerais, desenhos de referência e carimbo.

5.3.1.2.2 De acordo com as características do programa podem ser apresentados os itens a seguir:

NBR 6492/19947 b) eixos do projeto; c) cotas complementares. 5.3.2 Anteprojeto 5.3.2.1 Planta de situação

(Parte 3 de 7)

Comentários