(Parte 1 de 3)

S.E.S.M.T.

SERVIÇO ESPECIALIZADO EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO.

P.C.M.A.T.

PROGRAMA DE CONDIÇÕES

E MEIO AMBIENTE

DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA

CONSTRUÇÃO.

ÍNDICE.

1. - DESCRIÇÃO DA OBRA.

2. - MEMORIAL DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO.

2.1. - Riscos de Acidentes

2.1.1. - Identificação dos riscos de acidentes no canteiro de obra.

2.1.2. - Fontes Geradoras de possíveis acidentes de trabalho.

2.2. - Riscos de Doenças do Trabalho

3. - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA).

3.1.- Risco Físico

3.1.1.- Temperaturas extremas

3.1.2.- Ruídos

3.1.3.- Vibrações

3.2.- Risco Químico

3.2.1.Poeiras

3.3.- Risco Biológico

3.4.- Limites de tolerância dos riscos ambientais

3.4.1.- Ruídos

3.4.2.- Calor

3.4.3.- Poeiras

3.5.- Mapa de Risco

3.5.1.- Divulgação dos dados

3.6.- Medição dos Riscos Ambientais

4.- PROTEÇÕES COLETIVAS

4.1.- Implantação das proteções coletivas (cronograma)

4.2.- Especificação técnica das proteções coletivas

4.2.1. Proteção contra quedas

4.2.2. Rampas e passarelas

4.2.3. Coifa de proteção

4.2.4. Extintores de incêndio

4.2.5. Sinalização de segurança

4.2.6. Proteção contra poeiras

4.2.7. Proteção de máquinas e equipamentos

4.2.8.Escadas de uso coletivo.

4.3.- Especificação dos Equipamentos de Proteção Individual

4.4.- Plano de limpeza e remoção de entulho.

4.4.1.- Proteção do Meio Ambiente do trabalho

5.- PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA.

5.1.- Operação de máquinas e equipamentos

5.1.1. Ferramentas;

5.1.2. Compressores de ar;

5.1.3. Serra circular de bancada;

5.1.4. Vibradores de concreto;

5.1.5. Retro escavadeiras e caminhões;

5.1.6. Escadas e andaimes;

5.1.7 Betoneira.

5.2. Escavações e Fundações

5.3. Estruturas para Concretagens

5.3.1 Formas

5.3.2. Escoramento

5.3.3. Armação de aço

5.3.4. Concretagem

5.3.5. Desmontagem de formas

6.- CANTEIRO DE OBRA

6.1.- Lay-out do canteiro da obra

6.1.1.- Administração e Segurança do canteiro

6.1.2.- Almoxarifado

6.2.- Área de Vivência

6.2.1.- Instalações sanitárias

6.2.1.1.- Lavatórios

6.2.1.2.- Vasos sanitários

6.2.1.3.- Mictórios

6.2.1.4.- Chuveiros

6.2.1.5.- Vestiários

6.2.1.6.- Área de lazer

7.- EDUCAÇÃO PREVENTIVA

7.1 Treinamento admissional

7.2 Treinamentos periódicos

7.3 Treinamentos específicos por função

8.- CONSIDERAÇÕES FINAIS

8.1.- Segurança do trabalho

8.2.- Medicina do trabalho

9 ANEXOS

9.1. Planejamento anual

9.2. Modelo da APR - Analise Preliminar de Risco

9.3. Proteção coletiva

9.4. Lay out - canteiro.

1. - DESCRIÇÃO DA OBRA.

A obra consiste na construção de um Shopping, com os seguintes serviços: concretagens, armações, fundações, alvenarias, revestimentos e etc.

2.- MEMORIAL DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO.

O conteúdo deste memorial, visa estabelecer procedimentos de segurança, medicina e meio ambiente nos locais de trabalho, para serem cumpridos durante toda a execução das obras de construção, ou seja, dar condições ambientais e individuais de trabalho, visando eliminar os riscos de acidentes e doenças ocupacionais, assim como estimular o espírito prevencionista dos trabalhadores.

2.1.- Riscos de acidentes.

2.1.1.- Identificação dos riscos de acidentes no canteiro de obra:

Máquinas e equipamentos

Ferramentas portáteis

Escavações e fundações

Estruturas de concreto

Armações de aço.

2.1.2. - Fontes geradoras de possíveis acidentes de trabalho:

Ferramentas

Compressores

Serra circular de bancada

Policorte

Eletricidade

Vibradores

Retro escavadeiras

Escadas e Andaimes

Veículos

2.2. - Risco de Doenças do Trabalho:

Surdez ocupacional

Dermatoses por contato com cimento

3. - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (PPRA).

Após inspeção realizada no canteiro de obra, o Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho, caracterizou os seguintes riscos ambientais:

3.1. - Risco Físico:

3.1.1. - Temperaturas extremas.

Trabalhadores expostos aos intempéries externos, SOL e CHUVA.

3.1.2. - Ruídos.

Trabalhadores expostos a ruídos provenientes da serra circular.

Trabalhadores expostos a ruídos da retro escavadeira e outras máquinas (operadores).

3.1.3. - Vibrações.

Trabalhadores expostos a vibrações provenientes do vibrador de concreto.

3.2. - Riscos Químicos.

3.2.1- Poeiras

Os níveis de poeiras de sílica, relativas as escavações estão dentro dos padrões, não sendo necessário adotar medidas de proteção individual para eliminá-las.

3.3. - Risco Biológico.

Inexistentes.

3.4. - Limites de Tolerância dos Riscos Ambientais.

3.4.1. - Ruído.

O SESMT, informa que o limite de tolerância para os equipamentos abaixo é 85 dB(decibeis) e acima deste limite é obrigatório o uso de proteção auditiva:

- serra circular de bancada

- policorte

- vibrador de concreto

- lixadeira e esmerilhadeira

- retro escavadeira

- compressor

- betoneira

- martelo pneumático

3.4.2. - Calor.

Para atender o dispositivo da NR.15, quadro 1, será adotado o regime de atividade moderada.

Adequação e controle:

1 - Será fornecida água potável e fresca a disposição dos trabalhadores próxima ao local de trabalho.

2 - Durante o decorrer da obra, faremos medições ambientais e acompanhamento médico, visando o controle efetivo dos trabalhadores.

3.4.3. - Poeiras.

Os níveis de poeiras de sílica livre, serão controlados através de medidas de proteções individuais a serem adotadas no decorrer da construção.

3.5. - Mapa de Risco.

Visando atender a Norma Regulamentadora n.º 9 (NR-9), o mapa de risco será elaborado pelo SESMT em conjunto com os membros da CIPA. Sendo o mesmo aprovado em reunião da CIPA pelos membros participantes, para posterior colocação em quadro de aviso localizado o mais próximo do canteiro de obras.

3.5.1. - Divulgação dos dados.

Os resultados das medições ambientais serão colocados no quadro de aviso, visando informar a todos os trabalhadores as condições do local de trabalho.

3.6. - Medição dos Riscos Ambientais.

Regularmente o Serviço Especializado em Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT), fará medições de RUÍDO e CALOR, com vistas a adequar o ambiente e o indivíduo aos níveis mínimos de tolerância, recomendado pela Norma Regulamentadora n.º 15 (NR-15), referente a portaria 3214/78.

4.- PROTEÇÕES COLETIVAS:

4.1. - Implantação de proteções coletivas.

As proteções coletivas deverão ser instaladas de acordo com a execução dos trabalhos e conforme as características do serviço a ser executado. Abaixo as principais proteções coletivas da obra:

Extintores de Incêndio - Instalar conforme o andamento da obra, devendo ser instalado de imediato nas áreas relacionadas no PCMAT.

Sinalização de Segurança - Instalar no decorrer da obra, localizando as principais áreas de risco (Serra-circular, central de armação, central de formas ,etc.)

Fitas zebradas - Utilizar conforme risco, e no decorrer da construção.

Guarda corpo com rodapé - Após a montagem completa dos andaimes.

Fechamento dos vãos - Instalar guarda-corpo nos vãos, antes da entrada da alvenaria.

Abertura de pisos - Instalar guarda-corpo nos vãos ou fechar as aberturas do piso..

4.2. - Especificação técnica das proteções coletivas.

Relação das proteções coletivas a serem adotadas no canteiro de obra:

4.2.1 - Proteção contra quedas (guarda-corpo).

- Serem construídos com altura de 1.20 m (um metro e vinte centímetros) para o travessão superior e 0.70 m (setenta centímetros) para o travessão intermediário, utilizando sempre madeira resistente.

- Ter rodapé com altura de 0.20 m (vinte centímetros)

- Ter vãos entre travessas preenchidas com tela ou outro dispositivo que garanta o fechamento seguro da abertura.

- Estaiamento e fixação dos andaimes.

4.2.2. - Rampas e passarelas.

- As rampas e passarelas provisórias, com inclinação superior a 18o , devem ser fixadas peças transversais, espaçadas em 0.40 m (quarenta centímetros) no máximo, para apoio dos pés.

- Não devem existir ressaltos entre o piso da passarela e o piso do terreno.

- Os apoios das extremidades das passarelas devem ser dimensionados em função do comprimento total das mesmas e das cargas a que estarão submetidas.

- Ver esquema de montagem em anexo a este plano, das rampas e passarelas.

4.2.3 - Coifas de proteção (serra circular)

- Todas as serras circulares de bancada devem, ter mesa estável, com fechamento de suas faces inferiores, anteriores e posteriores, construídas em MADEIRA RESISTENTE e de primeira qualidade, material metálico ou similar de resistência equivalente, sem irregularidades, com dimensionamento suficiente para a execução das tarefas.

- Coletor de serragem.

- Proteção das partes móveis

4.2.4 - Extintores de incêndio.

O canteiro de obras deve possuir obrigatoriamente proteção contra incêndio, através de extintores de incêndio conforme especificação abaixo:

4.2.4.1 - Escritórios de administração.

- Extintor tipo AP (água - Pressurizada) ou AG (água-gás) de 10 litros.

4.2.4.2 - Almoxarifado.

- Extintor tipo CO2 (gás Carbônico) de 6 kg ou PQS (Pó químico seco) de 4 kg.

4.2.4.3 - Serra Circular.

- Extintor tipo CO2 de 6 kg ou Água-gás - AG - com 10 litros.

4.2.4.4 - Máquinas e equipamentos.

- Extintor tipo CO2 de 6 kg ou PQS de 4 kg a uma distância máxima de 20 metros.

- Os extintores serão inspecionados periodicamente, verificando-se o aspecto geral e as condições de funcionamento.

- Os extintores devem ser instalados a uma altura de 1.60 m (um metro e sessenta centímetros) de sua parte superior do piso.

- É obrigatório manter no escritório da obra a relação dos extintores, com controle do prazo de validade da carga, localização, número e responsável pela conservação conforme modelo em anexo a este plano.

- Os locais destinados aos extintores de incêndio devem ser assinalados por um círculo vermelho ou por uma seta, com bordas amarelas.

4.2.5. - Sinalização de segurança.

- Deverão ser adotadas cores para segurança em locais de trabalho, a fim de indicar e advertir para os riscos existentes.

- A utilização de cores não dispensa o emprego de outras formas de prevenção de acidentes.

- Para fechamentos temporários nas área de circulação de trabalhadores e pedestres,

isolamento de áreas, escavações, andaimes, demolições, serviços em telhados e etc., serão utilizados fitas zebradas, tapumes e cavaletes.

4.2.6 - Proteção contra poeiras.

Para este tipo de contaminante é necessário pulverizar água periodicamente nos ambientes da construção, visando reduzir sistematicamente os níveis de poeira. É obrigatório o uso de máscaras descartáveis para pó, quando o nível de poeiras estiver concentrado no ambiente.

Devem ser colocados, em lugar visível para os trabalhadores, cartazes alusivos à prevenção de acidentes do trabalho.

4.2.7. - Proteção para máquinas e equipamentos.

Todas as partes móveis de máquinas e equipamentos deverão possuir proteções visando impedir o contato acidental de pessoas ou objetos. Estas proteções não devem ser retiradas ou modificadas.

4.2.8. - Escadas de uso coletivo.

Deverá ser instalada escada provisória de uso coletivo sempre onde houver necessidade de circulação de trabalhadores para transposição de pisos.

4.3. - Especificação dos equipamentos de proteção individual.

Para a obra a ser executada serão adotados os seguintes EPI’s:

- Capacete de segurança;

- Uniforme completo de brim;

- Botinas de couro sem biqueira de aço;

- Luvas de raspa de couro;

- Luva de vaqueta ½ falange ( carpinteiro );

- Máscara de solda;

- Máscara de poeiras;

- Óculos de amplavisão;

- Óculos de proteção contra impacto;

(Parte 1 de 3)

Comentários