Apostila Informatica Cap 18 Conexões Mecânicas

Apostila Informatica Cap 18 Conexões Mecânicas

(Parte 1 de 2)

Capítulo 18

Conexões mecânicas

Montar um computador não consiste apenas em encaixar e aparafusar peças. Mesmo assim, saber executar essas etapas mecânicas corretamente é muito importante. Este capítulo é portanto de grande importância para aqueles que querem montar comptuadores.

Acessórios do gabinete

Todos os gabinetes para PC são acompanhados de uma pequena caixa onde existem dezenas de pequenas peças usadas para a montagem do computador. Podemos vê-la na figura 1. São vários parafusos, além de diversos outros acessórios usados principalmente na fixação das placas.

Caixa de acessórios que acompanha os gabinetes.

18-2Hardware Total

As dezenas de parafusos que acompanham o gabinete são de tipos diferentes. Infelizmente a indústria padronizou parafusos diferentes para os diversos módulos que formam um PC. Por exemplo, o parafuso usado para fixar o disco rígido é diferente do usado para fixar o drive de 3½”. Para não perder tempo durante a montagem do PC, é recomendável identificar antes qual é a função de cada parafuso. Todos eles são parafusos do tipo PHILIPS, ou seja, possuem em sua cabeça, uma fenda em forma de “x”. Para apertálos, devemos usar uma chave PHILIPS tamanho médio. Aliás, uma boa idéia é adquirir um estojo de ferramentas para micros. Podemos encontrá-lo em praticamente todas as revendas de material para informática, e lá estarão algumas ferramentas muito úteis (figura 2).

Algumas ferramentas usadas na montagem de PCs.

Algumas ferramentas deste estojo são indispensáveis. Outras são tão úteis que por si só justificam a compra do jogo completo. Por exemplo, existe uma pinça com três pequenas garras, muito boa para segurar parafusos. É uma boa forma de colocar com facilidade um parafuso em seu lugar antes de apertá-lo. Existem também chaves próprias para prender parafusos hexagonais, como os que fixam os conectores das interfaces seriais em gabinetes padrão AT (3/16”).

Figura 18.3 Chaves de fenda.

Capítulo 18 – Conexões mecânicas18-3

Em certos casos, os parafusos fornecidos com o gabinete possuem uma cabeça PHILIPS hexagonal. Isto significa que podem ser manuseados, tanto com uma chave PHILIPS, como com uma chave hexagonal. Normalmente os estojos de ferramentas possuem chaves hexagonais de 3/16” e de ¼”, próprias para os parafusos envolvidos na montagem de um PC. Existe ainda uma pinça ideal para retirar e colocar jumpers nas placas. Podemos ver essas ferramentas em detalhes nas figuras 2, 3 e 4.

Figura 18.4 Pinças.

Parafusos

Separe todos os parafusos que você recebeu junto com o gabinete. Você poderá observar que são divididos em duas categorias (veja a figura 5)

Parafusos de classes 1 e 2. Observe que o de classe 2 é mais “gordinho” e tem menor número de voltas.

Classe 1: Esses parafusos são usados para os seguintes dispositivos:

Drive de CD-ROM

Placas de expansão (*)

Classe 2: Usados para os seguintes dispositivos:

18-4Hardware Total

Disco rígido Tampa traseira do gabinete (*)

OBS(*): As furações para parafusos existentes nos gabinetes nem sempre são padronizadas. Você deve, a princípio, tentar usar os parafusos de classe 1. Se forem muito finos para a furação existente, use parafusos classe 2.

Placas de expansão são fixas ao gabinete, a princípio com parafusos classe 1; se forem inadequados, use os de classe 2..

Drives de CD-ROM são fixados ao gabinete através de parafusos classe 1.

Drives de disquete de 3½” são fixados ao gabinete através de parafusos classe 1.

Capítulo 18 – Conexões mecânicas18-5

Para fixar o disco rígido ao gabinete, usamos parafusos classe 2.

As figuras 6, 7, 8, e 9 mostram alguns pontos onde são utilizados os parafusos de classes 1 e 2 apresentados aqui.

A figura 10 mostra a parte interna de um gabinete, no qual estão presentes um drive de CD-ROM, um drive de disquetes de 3½” e um disco rígido. Todos são fixados ao gabinete através de parafusos laterais. É suficiente utilizar dois parafusos de cada lado.

Figura 18.10 Fixação dos drives.

Existem ainda parafusos bem diferentes, mostrados na figura 1. São usados para fixar a placa de CPU ao gabinete. Um deles, mostrado na parte direita da figura, é um parafuso metálico hexagonal. Deve ser aparafusado em locais apropriados na chapa do gabinete, e sua rosca poderá ser de Classe 1 ou Classe 2. Esta despadronização não causa problema, pois sempre serão fornecidos parafusos compatíveis com os furos existentes no gabinete. Em alguns casos, esses furos existentes no gabinete já possuem a rosca necessária para a fixação desses parafusos. Em alguns casos, esses furos não possuem

18-6Hardware Total rosca, e são fornecidas porcas próprias para esta fixação. Após ser colocada a placa de CPU, é introduzido um outro parafuso (parte esquerda da figura 12), juntamente com uma arruela isolante. Este outro parafuso também poderá ser de Classe 1 ou 2. Convém checar qual é o tipo de parafuso utilizado antes de dar início à montagem.

Parafusos para fixar a placa de CPU ao gabinete.

Na figura 12 vemos como fixar a placa de CPU ao gabinete, utilizando os parafusos mostrados na figura 1. Primeiro fixamos ao gabinete, os parafusos hexagonais (figura 1, parte direita). Devemos utilizar os furos da chapa do gabinete que possuem correspondência com os furos da placa de CPU. Depois colocamos a placa de CPU no gabinete e fazemos a sua fixação, usando os parafusos apropriados (figura 1, parte esquerda).

Fixação da placa de CPU no gabinete através de parafusos hexagonais.

Tampa plástica frontal

Os gabinetes são acompanhados de tampas plásticas para serem usadas nos locais vagos reservados para a instalação de drives. Por exemplo, um gabinete pode ter local para a instalação de dois drives de 3½”, mas normalmente instalamos apenas um. Neste caso, o outro local deve ser tampado. Da mesma forma, existem locais para a instalação de dois drives de CD-ROM. Caso não usemos os dois locais, devemos fechar os que ficaram sem uso com essas tampas plásticas. A figura 13 mostra esses dois tipos de tampas. Devem ser introduzidas por pressão, pela parte frontal do gabinete.

Capítulo 18 – Conexões mecânicas18-7

Figura 18.13 Tampas plásticas frontais.

Tampas traseiras

Os gabinetes possuem, na sua parte traseira, fendas onde se alojam os conectores traseiros das placas de expansão. Como nem sempre utilizamos todas as fendas, é conveniente tampar as que não estiverem em uso. Para isto são usadas tampas metálicas apropriadas, como as mostradas na figura 14. Devemos prender essas tampas usando a princípio parafusos de classe 1. Se não servirem, usamos parafusos de classe 2.

Tampas traseiras.

Chaves para trancar o teclado

Muitos gabinetes são acompanhados de um par de chaves para trancar o teclado (Keylock). Este recurso é útil para o usuário que quer evitar, ou pelo menos dificultar, que outros usem o computador na sua ausência. Neste caso, o usuário deve ser cuidadoso para não perder as chaves. Caso as chaves sejam perdidas, será preciso desligar a conexão “Keylock” na placa de CPU. Os gabinetes modernos não possuem mais este recurso, pois a sua eficácia ficou bastante reduzida depois da popularização do Windows, já que a maioria dos seus comandos não exige o uso do teclado.

18-8Hardware Total

Chaves para trancar o teclado (Keylock).

Espaçadores plásticos

A placa de CPU é presa ao gabinete por dois processos: Parafusos metálicos hexagonais (já apresentados na figura 1) e espaçadores plásticos (figura 16). Esses espaçadores plásticos devem ter inicialmente a sua parte superior encaixada em furos apropriados na placa de CPU. Sua parte inferior deve ser encaixada em fendas existentes no gabinete. Podemos observar esses furos na figura 17.

Espaçadores plásticos.

Furos e fendas na chapa do gabinete, para fixação da placa de CPU.

Capítulo 18 – Conexões mecânicas18-9

O encaixe dos espaçadores é um pouco difícil de fazer. Inicialmente devemos checar quais são as fendas existentes no gabinete que estão alinhadas com furos na placa de CPU. Encaixamos espaçadores plásticos nos furos da placa de CPU que possuem fendas correspondentes na chapa do gabinete. A seguir colocamos a placa no seu lugar, de forma que todos os espaçadores plásticos encaixem simultaneamente nas respectivas fendas. A figura 18 mostra o detalhe do encaixe de um espaçador na sua fenda.

Detalhe do encaixe de um espaçador plástico em uma fenda do gabinete.

Após acoplar a placa de CPU, devemos olhar no verso da chapa onde a placa foi alojada, para verificar se todos os espaçadores encaixaram-se perfeitamente nas suas fendas. Cada espaçador plástico deve estar alinhado com a fenda, como indicado em “A” na figura 18. Estando todos alinhados, movemos a placa de forma que todos os espaçadores fiquem encaixados nas fendas metálicas como indicado em “B” na figura 18.

Furos de fixação da placa de CPU

Como vimos, a fixação da placa de CPU é feita por espaçadores plásticos e por parafusos metálicos hexagonais. Devemos contudo, tomar muito cuidado com o uso desses parafusos. Inicialmente devemos identificar quais são os furos existentes na chapa do gabinete, próprios para a recepção desses parafusos. A seguir, devemos checar quais são os furos da placa de CPU que têm correspondência com esses furos da chapa do gabinete. Observando atentamente os furos existentes na placa de CPU, podemos verificar que existem dois tipos, ambos mostrados na figura 19:

Furo normal Furo metalizado

18-10Hardware Total

Figura 18.19 Furo normal e furo metalizado.

O furo metalizado pode ser usado para fixação através de parafusos metálicos, ou de espaçadores plásticos. O furo normal deve ser usado apenas para fixação por espaçadores plásticos. Se usarmos um parafuso metálico em um furo sem metalização, este parafuso poderá arranhar a camada de verniz da placa, provocando o contato entre as trilhas de circuito impresso, resultando em um curto circuito que danificará a placa. Normalmente dois parafusos metálicos são suficientes para garantir uma boa fixação da placa, mas mesmo quando usamos apenas um parafuso metálico, os espaçadores plásticos ajudarão a garantir uma boa fixação.

Resta ainda ressaltar que em placas de CPU e gabinetes padrão ATX, a fixação é feita quase que exclusivamente por diversos parafusos hexagonais metálicos.

Painel traseiro do gabinete ATX

As placas de CPU padrão ATX possuem um painel traseiro, no qual ficam os conectores de várias das suas interfaces: seriais, paralela, teclado, etc. Os gabinetes ATX são acompanhados de uma pequena chapa metálica, na qual este painel se encaixará. A instalação desta chapa é mostrada nas figuras 20 e 21. Primeiramente devemos encaixar a chapa pela parte interna do gabinete (figura 20). Depois aparafusamos a chapa ao gabinete. Quando a placa de CPU for instalada no gabinete, os conectores existentes na sua parte traseira ficarão encaixados nesta chapa (figura 21).

Chapa metálica para painel das interfaces de uma placa de CPU ATX. Deve ser encaixada pela parte interna do gabinete.

Capítulo 18 – Conexões mecânicas18-1

A chapa deve ser aparafusada no gabinete, e nela se encaixarão os conectores da placa de CPU.

Fixação do Pentium 4

A montagem de computadores equipados com o Pentium 4 possui algumas diferenças básicas. A fonte de alimentação e o gabinete devem ser adequados. Gabinetes para Pentium 4 devem possuir 4 furos, nos quais se encaixam 4 parafusos hexagonais que ficam alinhados com o soquete do processador.

Fixação adicional em um gabinete ATX para Pentium 4.

As placas de CPU para Pentium 4 também são acompanhadas de duas peças plásticas (mecanismo de retenção) e dois clips metálicos (clips de retenção), mostrados na figura 23. As duas peças plásticas servem para fixar a placa de CPU ao gabinete, através dos 4 parafusos mostrados na figura 2. Os clips devem ser presos nessas peças plásticas e fazem a fixação do cooler sobre o processador.

18-12Hardware Total

Peças para fazer a fixação do Pentium 4 e do seu cooler.

Depois que os 4 parafusos hexagonais estão fixos na chapa do gabinete, instalamos e aparafusamos a placa de CPU, deixando livres apenas os 4 parafusos em torno do processador. A seguir instalamos os dois mecanismos de retenção, como mostra a figura 24. Ambos devem ser aparafusados.

O mecanismo de retenção (as duas peças plásticas mostradas na figura 94) deve ser aparafusado à placa e ao gabinete.

Podemos agora instalar o processador no seu soquete e fixar o cooler através dos dois clips metálicos, como mostra a figura 25. É imprescindível o uso de pasta térmica entre o processador e o cooler.

Capítulo 18 – Conexões mecânicas18-13

Fixando o cooler através dos clips de retenção.

As fontes de alimentação para o Pentium 4 também precisam ser adequadas. Elas devem seguir à nova especificação ATX, chamada ATX12V. A principal diferença é a presença de um conector de alimentação adicional com +12 volts e capaz de fornecer alta corrente. O uso deste conector é uma tendência nas placas de CPU modernas. Até agora, as tensões necessárias aos processadores modernos (em geral inferiores a 2 volts) eram geradas a partir das tensões de +3,3 volts e +5 volts, disponíveis no conector padrão ATX. Esta geração de voltagem é feita a partir de conversores DC/DC, que são circuitos que geram uma tensão contínua, a partir de uma outra tensão contínua de valor diferente. Ocorre que os conversores DC/DC com entrada de +12 volts são mais eficientes que aqueles que usam entradas de +3,3V e +5V. A partir de +12 volts é possível operar com maior rendimento e menor aquecimento. Fontes ATX12V possuem ainda um conector adicional com as voltagens de +3.3V e +5V, fornecendo assim maior corrente para essas voltagens. Todas as fontes ATX12V possuem este conector auxiliar, mas existem fontes ATX não “ATX12V” que também possuem este conector auxiliar. Os três conectores são mostrados na figura 26.

18-14Hardware Total

Figura 18.26 Conectores de uma fonte ATX12V.

As placas de CPU para Pentium 4 possuem os três tipos de conexões para fontes ATX12V, como mostra a figura 27.

Os três conectores de alimentação de uma placa de CPU para Pentium 4.

Interfaces seriais e paralelas

As placas de CPU modernas possuem duas interfaces seriais e uma paralela. As que seguem o padrão AT são fornecidas juntamente com conectores apropriados para sua ligação na parte traseira do gabinete. Esses conectores são fixos a lâminas metálicas que podem ser aparafusadas diretamente em duas das oito fendas existentes no painel traseiro do gabinete, como mostra a figura 28. Os seus conectores ficarão acessíveis pela parte traseira do gabinete, como mostra a figura 29.

Capítulo 18 – Conexões mecânicas18-15

As lâminas que contém os conectores das interfaces seriais e paralelas em placas de CPU padrão AT podem ser fixadas nas fendas verticais existentes na parte traseira do gabinete.

Figura 18.29 Conectores na parte traseira do PC.

Entretanto, esta forma de instalação tem uma desvantagem. As lâminas que contém esses conectores acabam por ocupar fendas que seriam destinadas ao alojamento de placas de expansão. Desta forma, dois slots deverão ficar obrigatoriamente sem uso, o que dificulta futuras expansões. Felizmente existe uma forma de instalar esses conectores sem recair neste problema. A maioria dos gabinetes possui, na sua parte traseira, fendas no formato de conectores DB-9 e DB-25. Essas fendas são tampadas, mas podemos abri-las com facilidade, com a ajuda de uma chave de fenda. Os conectores das interfaces seriais e paralela devem ter seus parafusos retirados, como vemos na figura 30.

(Parte 1 de 2)

Comentários