Revista CRTR-SP

Revista CRTR-SP

(Parte 1 de 4)

37º Edição - Março 2008

Câncer de Mama:

Diagnóstico Precoce Auxilia no Combate à Doença página 9

A Mamografi a nos dias atuais página 6

Politrauma de Bacia página 10

CRTR Rev Ed37.indd 1CRTR Rev Ed37.indd 12/2/2008 13:07:112/2/2008 13:07:1

Estamos inaugurando nossa terceira De

2 legacia Regional em Bauru. Com seriedade na administração dessa Autarquia vamos cumprir nossas propostas de campanha. Queremos fazer ainda uma Delegacia para atender os profi ssionais do Vale do Paraíba, Litoral Norte e Serra da Mantiqueira e outras mais que forem necessárias e dentro das possibilidades dos nossos recursos. O Conselho exerce um importante papel na defesa da sociedade, fi scaliza e impõe anuidades aos profi ssionais.

Nada mais justo que ofereça serviços de qualidade para esses profi ssionais. Nas regiões onde temos Delegacias existem também os Sindicatos da categoria, que são importantes também, pois eles devem lutar por melhorias nas condições de trabalho e salário. Nós sempre defendemos a atuação conjunta das entidades representativas dos profi ssionais das Técnicas Radiológicas pelo simples fato de que duas cabeças pensam melhor que uma, que unidos somos mais fortes. E as eventuais divergências que existirem, devem ser superadas através do debate democrático. Idéias brigam, pessoas não. Essas entidades são sustentadas pelo nosso suor, portanto elas devem espelhar os anseios dos profi ssionais, senão perdem sua razão de existir. O Conselho é um serviço público federal, portanto está submetido aos controles da Administração Pública. Já um sindicato é uma organização civil e a sua administração e o uso correto do patrimônio deve ser fi scalizado pela categoria que ele diz representar. Um dos grandes males da sociedade brasileira, senão o maior, é o fato de não fi scalizarmos aqueles que elegemos para nos representar. Quando votamos em qualquer pessoa para qualquer cargo, outorgamos um mandato para sermos representados. Mas se não acompanharmos essa representação, corremos o risco maior de sermos vítimas de corruptos que trazem vários prejuízos, dilapidando nosso patrimônio, fechando acordos contrários aos nossos interesses. E o que é pior, fi cando impunes, pois sabem que não são fi scalizados. Portanto, temos que aproveitar essas oportunidades. Nós, profi ssionais das Técnicas Radiológicas, temos hoje a melhor estrutura para fazer valer nossos direitos e lutar por melhorias. Vamos tomar conta de nossas Delegacias e Sindicatos e exigir de nossos representantes seriedade na administração de nossas entidades e defesa intransigível de nossos interesses.

Um abraço e boa leitura. José Paixão de Novaes

Palavra do PresidenteEXPEDIENTE Diretoria Executiva:

Presidente José Paixão de Novaes

Diretora Secretária Vânia Regina da Silva Lopes

Diretor Tesoureiro Gabriel Gonçalo Copque Daltro

Conselheiros Efetivos Antônio Facin Cássio Valendorf Xavier Monteiro Erik da Silva Lima Jerre Carlos de Oliveira João Lucas de França Filho Rubens Santana

Conselheiros Suplentes Arnaldo Honorato de Amorim Júlio César dos Santos Lázaro Domingos Sobrinho Lúcio José Feitosa Marcelino Silvestre dos Santos Mary Bernardes de Oliveira Nélio Tadeu Alves Tereza Travagin Vilmar Lopo da Silva

Delegado Regional de Campinas Lázaro Domingos Sobrinho

Delegado Regional de Ribeirão Preto Marcelino Silvestre dos Santos

Jornalista Responsável Adriana Teodoro MTB: 31237 - SP imprensa@crtrsp.org.br

Publicidade Marcelo Alves e-mail: diretoria@crtrsp.org.br Tel.: (1) 2189-5412

Impressão Ativa/M Editorial Gráfi ca Tel.: (1) 6602-34

Projeto Gráfi co e Diagramação Moai Comunicação w.moaicomunicacao.com.br

CRTR-SP Conselho Regional de Técnicos em Radiologia de São Paulo R. Herculano, 169 - Sumaré - São Paulo - CEP: 01257-030 Tel.: (1) 2189-5400 - w.crtrsp.org.br - crtrsp@terra.com.br

Revista CRTR/SP, dos profi ssionais das técnicas radiológicas. É uma publicação do Conselho Regional dos Técnicos em Radiologia de São Paulo, distribuída gratuitamente aos profi ssionais com registro no Conselho. O CRTR/SP não se responsabiliza por opiniões emitidas pelos entrevistados e por artigos assinados. Revista CRTR/SP - 37ª edição - Março 2008 - Tiragem: 23.0 exemplares - 200 cds em áudio

CRTR Rev Ed37.indd 2CRTR Rev Ed37.indd 212/2/2008 13:07:4512/2/2008 13:07:45

por Edith A. Macedo Caro (a) Leitor (a)

FICOU MAIS SIMPLES SOLICITAR A INSCRIÇÃO PROFISSIONAL DE TÉCNICO EM RADIOLOGIA NO CRTR-SP Com a fi nalidade de agilizar o atendimento e a análise dos pedidos de registro profi ssional dos alunos egressos dos Cursos de Técnico em Radiologia, o Regional informa que fez mudanças na lista de documentos que são exigidos para requerer o registro de Técnico em Radiologia – habilitação provisória com validade 12 meses.

CONFIRA: Documentos Pessoais: RG, CPF, Título de

Eleitor, Carteira de Reservista (homens), Certidão de Casamento (mulheres), comprovante de residência com CEP; e uma foto 3 x 4 colorida e recente;

Documentos de Escolaridade: Diploma e/ou Histórico Escolar do Ensino Médio (2º Grau), devendo constar no corpo do documento à data completa (dia, mês e ano) de conclusão;

Documentos da Formação Profi ssional:

Certifi cado ou Atestado de Conclusão do Curso de Técnico em Radiologia, Histórico do Curso de Técnico em Radiologia (onde deve constar a data completa (dia, mês e ano) de matrícula no curso, Declaração de Conclusão de Estágio (assinada pelo Diretor da Escola e pelo Supervisor do Estágio); Portaria de Autorização e funcionamento do Curso, publicada no DOE;

Fica dispensada a apresentação do Termo de Compromisso de Estágio - TCE e das folhas de estágio.

Formulários do CRTR/SP: Ficha de

Inscrição, Requerimento e Termo de Responsabilidade (serão preenchidos e assinados no Conselho);

Taxa de Inscrição: R$ 49, 0, o pagamento deve ser efetuado através de boleto bancário.

O (a) profi ssional deve, previamente, reunir todos os documentos originais e cópias simples, (exceto a Portaria publicada no DOE que deve ser xerox fornecida pela escola) e só depois disso se dirigir à sede do Conselho. Os residentes no interior ou litoral do Estado de São Paulo precisam seguir orientação prévia, mediante contato com a central de informações ou consultar o site. IMPORTANTE: Os alunos egressos de Escola de Ensino Médio ou de Curso Técnico de Radiologia, cuja portaria de autorização de funcionamento tenha sido cassada por parte da Diretoria de Ensino em decorrência de irregularidade ou sindicância, deverão procurar a Delegacia de Ensino da região e solicitar uma Declaração da Comissão de Verifi cação de Vida Escolar. Tal documento possibilitará a análise do pedido de registro provisório, desde que venha acompanhado de todos os outros documentos necessários. Igualmente, o portador de Cédula de Identidade Profi ssional de Técnico em Radiologia Provisória vencida ou a vencer, que estiver em situação similar deverá proceder da mesma forma e requerer junto ao Regional a renovação da sua Cédula de Identidade Profi ssional provisória por mais 12 meses. Entretanto, somente com a expedição do respectivo Diploma validado pela Diretoria de Ensino + GDAE será expedida a Cédula de Identidade de Técnico em Radiologia defi nitiva e se não houver a validação dos documentos escolares o registro provisório junto ao Conselho estará sujeito ao cancelamento por não atender aos requisitos da Lei 7.394/85.

ANUIDADES DE 2008 Entre os meses de setembro e outubro de cada ano o Corpo de Conselheiros do CONTER votam em Reunião Plenária os valores das anuidades de pessoas físicas e jurídicas, das taxas de serviços e das multas para o exercício seguinte. Tais valores são estudados e determinados levando-se em conta os índices de correção da economia e a necessidade de os Conselhos – Nacional e Regionais – de Técnicos em Radiologia dispor de recursos que permitam manter sua autonomia administrativa e fi nanceira para o cumprimento de suas fi nalidades de relevante interesse público e proteção à sociedade na fi scalização do exercício profi ssional. As anuidades foram reajustadas em 2005 e se mantiveram inalteradas em 2006 e 2007, razão pela quais as anuidades de 2008, conforme Resolução CONTER nº 06, de 05/10/07, foram reajustadas em: 9,5% para os Auxiliares, em 9,45% para os Técnicos e Tecnólogos e em 19,98% para as empresas. A anuidade secundária passou de 50% para 80% do valor da anuidade principal. As taxas de serviços foram reajustadas em média 9,75%. Já os valores das multas de pessoas físicas sofreram reduções que variam de 40 a 60% e as de pessoas jurídicas foram fi xadas em 05 e 10 vezes o valor da anuidade de PJ, dependendo da alínea prevista no art. 14 da Resolução do CONTER (confi ra a Tabela nos avisos de secretaria). O (a) profi ssional que possui registro no Sistema CONTER/CRTR’S, tem até 10/03/2008 para efetuar o pagamento da anuidade de 2008, caso já não tenha efetuado o pagamento com desconto de 20% ou 10% previstos no carnê. Após a data limite de 10/03/2008 o carnê da anuidade de 2008, emitido pelo CONTER perderá a validade e o banco não poderá mais receber o valor ali previsto, havendo a necessidade de o (a) profi ssional entrar em contato com o Conselho para solicitar a emissão de um novo boleto, que sofrerá o acréscimo de 2% de multa e juros de mora de 1% ao mês. Como alternativa, o (a) profi ssional, poderá aguardar a re-emissão coletiva que o Regional deve realizar no mês de abril/2008. Na ocasião serão re-emitidos os boletos das anuidades de pessoas físicas e jurídicas que estiverem com a anuidade de 2008 em aberto, mantendo-se o parcelamento em 3 vezes, cujos valores serão devidamente corrigidos. O mesmo se aplica às pessoas jurídicas (empresas). É importante destacar a necessidade de o (a) profi ssional efetuar a atualização de endereço para que seja possível o reenvio do carnê de 2008, além da Revista CRTR e outras correspondências.

ou sugestões):site: w.crtrsp.org.br,

Faça contato com a Ouvidoria do CRTR/ SP (questões ou dúvidas não resolvidas adequadamente nos prazos estabelecidos, reclamações sobre a qualidade dos serviços prestados pelo órgão, elogios e-mail: ouvidoria@crtrsp.org.br Tel.: (1) 2189-5413.

CRTR Rev Ed37.indd 3CRTR Rev Ed37.indd 312/2/2008 13:07:4812/2/2008 13:07:48

“ PORTAL DO SUPRA

Figura 1 - Radiografi aFigura 2 - Esquema para posicionamentoReferência: C.A.ROCKWOOD,JR – FRATURAS IN ADULTS

Walter Luiz Caetano

Técnico em Radiologia formado pelo curso Rafael de

Barros (FMUSP- HC) desde 1991

Graduando no curso de Radiologia pela Universidade

Paulista SP (UNIP)

Docência pelo SENAC-SP nos cursos de Radiologia e Ressonância Magnética Experiência nas áreas de Ultrassonografi a, Tomogra fi a Computadorizada, Ressonância Magnética e Raios-x Convencional e Contrastados.

Paciente preferencialmente em posição ortostática (em pé). Face anterior do ombro a ser radiografado coincidindo com a linha central da estativa. Ombro a ser radiografado coincidindo com a linha central da estativa. O plano coronal faz um ângulo de aproximadamente 40° com a estativa. Dicas: Cotovelo ligeiramente afastado do centro da estativa garante que o úmero não seja projetado sobre a escápula, quando o estudo for dirigido para escápula. A espinha da escápula deve fi car perpendicular à estativa. Apnéia no momento da exposição evita repetições por movimento respiratório. Raio central incidindo no terço médio da espinha escapular com angulação caudal de aproximadamente 15°, passando pela cabeça umeral e emergindo no centro do fi lme. Distância foco fi lme: um metro. INDICAÇÕES: Síndrome do impacto Trauma Luxações

Paciente em decúbito dorsal . Membro superior, do lado a ser radiografado, em abdução, fazendo um ângulo de 90° com o plano mediano sagital (mão em rotação externa) Raio central incidindo na prega axilar e passando no centro da articulação glenoumeral e emergindo no centro do fi lme. Dica: colocar um apoio entre a mesa e a escápula facilita a centralização da imagem no fi lme Esta posição facilita estudo de luxações e pesquisa de lesões da face anterior e posterior da cabeça umeral Quando bem posicionado visibilizamos a articulação acromioclavicular projetada na cabeça umeral e o processo coracóide sobre ao terço distal da clavícula.

CRTR Rev Ed37.indd Sec1:4CRTR Rev Ed37.indd Sec1:412/2/2008 13:07:5312/2/2008 13:07:53

Figura 1 Esquema para posicionamento e radiografi a posição ínfero-supeior . Usualmente fazemos uma variante deste posicionamento, que é o AXIAL SÚPEROINFERIOR, onde o posicionamento é menos complexo, como veremos a seguir: Paciente sentado, cotovelo (cúbito) apoian- do na mesa.

(Parte 1 de 4)

Comentários