Coleção Cadernos EJA - 10 Segurança e Saúde no Trabalho

Coleção Cadernos EJA - 10 Segurança e Saúde no Trabalho

(Parte 8 de 10)

•Se a bota furar ou rasgar, deve ser trocada rapidamente. Não trabalhe com bota furada ou rasgada

•Pó ou cavaco de madeira dentro dos sapatos ou das botas pode irritar os pés. O melhor é usar meias de futebol.

•Se entrar massa ou calda de cimento pelos furos ou rasgos da bota, pode provocar dermatoses graves nos pés.

•Se cair massa de cimento ou calda de concreto dentro da bota, o trabalhador deve retirar a bota e a meia imediatamente e lavar os locais atingidos.

•Não deixe a calça úmida de calda do cimento em contato com a pele.

•Nunca use o agitador sem proteção e sempre use óculos de segurança, luvas, botas e capacete.

•Se cair concreto dentro da luva ou bota, deve-se lavá-los imediatamente, assim como as mãos e os pés. Isto evitará ferimentos e queimaduras pelo cimento.

•Ao final do trabalho diário, os pés e as mãos devem ser muito bem lavados, para retirar restos de cimento que ficaram na pele e nas unhas.

Extraído da cartilha Dermatose profissional na Construção civil causada pelo cimento, publicação da FUNDACENTRO – MTE

40•Saúde e Segurança no Trabalho

Texto 19/ Riscos do ambiente de trabalho 19•CA08T19P3.qxd 15.12.06 01:3 Page 40

A luta pelo trabalho decente TEXTO 20

Segurança e Saúde no Trabalho•41

Adireção da Mercedes Benz e o Comitê Mundial dos Trabalhadores assinaram protocolo estabelecendo princípios de saúde e segurança a serem seguidos em todas as fábricas da multinacional.

A empresa se compromete a desenvolver processos integrados de saúde e segurança, garantindo todos os investimentos necessários. A prevenção das doenças ocupacionais e de acidentes de trabalho passa a fazer parte das metas da empresa.

“É um avanço, pois a Mercedes colocou no papel as conquistas acumuladas pelos trabalhadores na área de saúde e segurança”, disse Valter Sanches, secretário geral da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT. Outro avanço é que tais princípios valem também para os trabalhadores nas empresas fornecedoras. Princípios que devem, a partir de agora, constar do contrato entre a Mercedes e as terceiras. “É mais uma bala na agulha para melhorar a qualidade dos empregos nas fornecedoras e terceiras, exigindo investimentos”, comentou Sanches.

A Mercedes tem fábricas em 21 países e emprega 372 mil trabalhadores.

Extraído de http://www.smabc.org.br/mostra_materia.asp?id=6888

F o to: Robson F ernandes /

20•CA08T20P3.qxd 14.12.06 18:20 Page 41

REGIME DE ESCRAVIDÃO Trabalho decente e trabalho escravo não se resolvem da noite para o dia

Trabalhador mantido em regime escravo em fazenda no interior do

Rio Grande do Sul: mais de 30 pessoas foram libertadas depois que a situação foi denunciada.

A luta pelo trabalho decente TEXTO 21

•Segurança e Saúde no Trabalho42 Foto:Ricardo Wolffenbuttel

21•CA08T21P3.qxd 14.12.06 18:23 Page 42

Na Conferência Internacional Empresas e Responsabilidade Social 2006, realizada pelo Instituto Ethos, foram analisados os desafios de disseminar melhores práticas de promoção do Trabalho Decente e de avançar na aplicação do Pacto de Combate ao Trabalho Escravo.

Utopia ou Possibilidade?

A socióloga Laís Abramo, diretora da Organização Internacional do Trabalho (OIT) no Brasil, apresentou conceitos criados pela OIT que estão incluídos na Agenda Nacional do Trabalho Decente. Segundo ela, “entende-se por trabalho decente um trabalho adequadamente remunerado, exercido em condições de liberdade, eqüidade e segurança, capaz de garantir uma vida digna”. A socióloga reconheceu que o pensamento pode ser chamado de utópico, mas acredita que cada sociedade deve definir quais as possibilidades e necessidades a ser abordadas e persegui-las com afinco: “O trabalho decente é uma condição fundamental para a superação da pobreza, a redução das desigualdades sociais, a garantia da governabilidade democrática e o desenvolvimento sustentável”, declarou Laís Abramo. Apesar de a Agenda propor diversos planos para o combate ao trabalho escravo e ao trabalho infantil, entre outros, ainda não é um programa. Para a socióloga, esses são problemas possíveis de eliminar num horizonte razoável.

Empenho na Busca

O presidente do Instituto Observatório Social, Kjeld Jakobsen, apresentou algumas metas e objetivos ligados ao trabalho decente, dizendo que o principal é verificar e medir os problemas trabalhistas. E afirmou que não é de responsabilidade do Instituto resolver esses problemas, mas apresentá-los de forma que as empresas e organizações ligadas ao trabalho, por exemplo, os sindicatos, se empenhem na busca pelo trabalho decente.

Agenda para Diálogo

A Agenda Nacional do Trabalho Decente procura demonstrar quais os aspectos a ser abordados para chegar ao respeito às normas internacionais do trabalho, à promoção do emprego de qualidade, à extensão da proteção social e, principalmente, ao diálogo social, ponto em que o Brasil tem avançado imensamente nos últimos anos.“Nenhum desses problemas se resolve da noite para o dia, por isso, estamos lutando para acabar com eles de forma organizada e multidimensional”, finalizou Laís Abramo.

Saúde e Segurança no Trabalho•43

Extraído de http://www.gestaosindical.com.br/atualidades/materia.asp? idmateria=256

21•CA08T21P3.qxd 14.12.06 18:23 Page 43

21.1 Nos trabalhos realizados a céu aberto, é obrigatória a existência de abrigos, ainda que rústicos, capazes de proteger os trabalhadores contra intempéries. (121.001-7 / I1)

21.2Serão exigidas medidas especiais que protejam os trabalhadores contra a insolação excessiva, o calor, o frio, a umidade e os ventos inconvenientes. (121.002-5 / I1)

21.3Aos trabalhadores que residirem no local do trabalho, deverão ser oferecidos alojamentos que apresentem adequadas condições sanitárias. (121.003-3 / I1)

21.4Para os trabalhos realizados em regiões pantanosas ou alagadiças, serão imperativas as medidas de profilaxia de endemias, de acordo com as normas de saúde pública. (121.004-1 / I2)

21.5Os locais de trabalho deverão ser mantidos em condições sanitárias compatíveis com o gênero de atividade. (121.005-0 / I1)

21.6Quando o empregador fornecer ao empregado moradia para si e sua família, esta deverá possuir condições sanitárias adequadas. (121.006-8 / I1)

LEISNÓS TEMOS No que diz respeito às atividades ao ar livre, elas são incrivelmente detalhadas

Direito ao trabalho decente TEXTO 2

•Segurança e Saúde no Trabalho44

2•CA08T2P3.qxd 14.12.06 18:30 Page 4

21.7A moradia deverá ter: a)capacidade dimensionada de acordo com o número de moradores; (121.008-4 / I1) b) ventilação e luz direta suficiente;(121.009-2 / I1) c) as paredes caiadas e os pisos construídos de material impermeável. (121.010-6 /I1)

21.8As casas de moradia serão construídas em locais arejados, livres de vegetação e afastadas no mínimo 50 m (cinqüenta me-tros) dos depósitos de feno ou estercos, currais, estábulos, pocilgas e quaisquer viveiros de criação. (121.011-4 / I1)

21.9As portas, janelas e frestas deverão ter dispositivos capazes de mantê-las fechadas, quando necessário. (121.012-2 / I1)

21.13As fossas negras deverão estar, no mínimo, 15 m (quinze metros) do poço; 10 m (dez metros) da casa, em lugar livre de enchentes e à jusante do poço. (121.016-5 / I2)

(Parte 8 de 10)

Comentários