ELEMENTOS DE MÁQUINAS - Lubrificação (parte 2)

ELEMENTOS DE MÁQUINAS - Lubrificação (parte 2)

(Parte 1 de 2)

46AULA46 A U L A

IntroduçªoO supervisor de uma Ærea da indœstria constatou que algumas mÆquinas apresentavam ruídos e superaquecimento.

O mecânico de manutençªo desmontou as mÆquinas e constatou que, devido ao entupimento dos bicos das engraxadeiras, a graxa nªo penetrava nos mancais e, por isso, nªo os lubrificava. Trocaram as engraxadeiras e o problema foi sanado.

Veja como os dispositivos usados para lubrificaçªo sªo importantes. Nas duas próximas aulas, vocŒ vai conhecer os sistemas de lubrificaçªo com perda total do lubrificante, juntamente com os dispositivos usados nesse sistema.

Conceito de sistema de perda total

Nesse sistema, o lubrificante nªo pode ser utilizado novamente. Por isso, usa-se a expressªo perda totalperda totalperda totalperda totalperda total, ao contrÆrio do que ocorre no sistema selado, em que o lubrificante pode ser reaproveitado vÆrias vezes.

No sistema de perda total sªo empregados os seguintes dispositivos: almotolia, copo graxeiro, pistola graxeira, pistola de óleo, pincel, espÆtula, copo conta-gotas, copo com vareta, copo com mecha (tipo sifªo), copo com mecha (tipo tampªo), lubrificador mecânico.

Vamos estudar cada um desses dispositivos.

Almotolia

Pode ser do tipo comum ou do tipo bomba. Ambas devem ser mantidas limpas e com os bicos desobstruídos.

Na lubrificaçªo por almotolia, Ø importante que os pontos de lubrificaçªo sejam mantidos limpos e protegidos sempre que possível.

Lubrificaçªo I

46 AULA

Copo graxeiro

O copo graxeiro pode ser manual ou automÆtico. O copo manual faz a graxa chegar ao ponto de aplicaçªo por meio do rosqueamento da tampa ou do Œmbolo. O copo automÆtico usa a pressªo de uma mola para a aplicaçªo, evitando a atençªo freqüente do operador.

AlØm do reenchimento e da limpeza, pouca atençªo Ø requerida por esses copos. PorØm, podem ocorrer problemas por falta de lubrificaçªo, se o mancal aquecer a ponto de provocar o escorrimento livre da graxa. Dessa maneira, ela vaza pelas extremidades do mancal e o copo se esvazia rapidamente.

almotolia comumalmotolia tipo bomba

AULA Pistola graxeira

A aplicaçªo de graxa com pistola graxeira Ø simples quando se usam pistolas com acionamento manual. Entretanto, a aplicaçªo torna-se complexa quando se usa ar comprimido ou bombas elØtricas para forçar a entrada de graxa nos mancais.

Os pontos de aplicaçªo constituídos pelos bicos graxeiros (engraxadeiras) devem ser limpos antes de se aplicar o conector da pistola, a fim de evitar impurezas nos mancais.

As engraxadeiras possuem uma mola que atua numa esfera. Dessa forma, fica vedado o escape de graxa e a entrada de sujeiras. A graxa entra sob pressªo e força a esfera para trÆs. Assim, vence a força da mola. Ao cessar a entrada de graxa, a vedaçªo Ø restabelecida.

engraxadeira direitaengraxadeira em esquadro de 45 grau

AULAPistola de óleo

É semelhante à pistola graxeira. Dispıe de pinos para óleo, encontrados em mÆquinas-ferramenta, roletes de esteiras etc.

Pincel

A aplicaçªo de lubrificante com pincel Ø feita em engrenagens, cabos de aço, correntes etc., quando sªo usados produtos especiais como composiçıes betuminosas e compostos antiferrugem.

Em alguns casos, o pincel Ø fixo no corpo da mÆquina e o óleo goteja sobre ele. Desse modo, o pincel faz uma distribuiçªo contínua.

EspÆtula

Destina-se à aplicaçªo de graxa, composiçıes betuminosas, composiçıes para estampagem e outros produtos muito viscosos.

Copo conta-gotas

É um dispositivo que permite aplicar lubrificante na quantidade e em períodos desejados.

Exige atençªo constante na verificaçªo do nível de óleo, do reenchimento e regulagem do nœmero de gotas por minuto.

lubrificação com pincel

46 AULA

O inconveniente principal do copo conta-gotas Ø o fato de ele exigir regulagem após o aquecimento da mÆquina. Isso porque, com o calor, a viscosidade do lubrificante diminui e faz aumentar o seu fornecimento.

Copo com vareta

É automÆtico do início ao fim do fornecimento de óleo. Esse dispositivo Ø aplicado em mancais com cargas leves.

O copo com vareta Ø um reservatório que possui uma haste em seu interior.

Sua extremidade toca no eixo. Com o movimento do eixo, ocorre a vibraçªo da haste que permite a passagem do óleo atravØs de uma folga. Essa folga localizase entre a haste e a luva da extremidade do reservatório.

O funcionamento Ø automÆ- tico e o fornecimento do óleo Ø mais contínuo do que no contagotas.

Esse dispositivo requer verificaçªo de tempo em tempo, a fim de se certificar de que a haste estÆ se movimentando livremente.

copo conta-gotas copo com vareta

AULACopo com mecha tipo sifªo

Esse tipo de dispositivo Ø constituído de um tanque metÆlico ao qual Ø ligado um tubo. O tanque fica cheio de óleo, atØ um nível ligeiramente inferior ao do tubo. Nesse tubo Ø introduzido um estopim que fica imerso no tanque. O estopim envia o óleo sob a forma de gotas que caem do tubo no eixo em movimento. Para regular a queda de lubrificante pode-se colocar um registro no oleador. TambØm pode-se comprimir, mais ou menos, o estopim com um parafuso. O objetivo Ø evitar o consumo de lubrificante com a mÆquina parada.

O copo com mecha tipo sifªo Ø usado em locomotivas, motores estacionÆrios, mancais e mÆquinas de tamanho mØdio.

Copo com mecha tipo tampªo

Nesse dispositivo, a mecha Ø feita com fios de lª ou arame fino, e se ajusta no tubo de descarga.

O tubo e a mecha nªo estªo ligados ao reservatório de óleo. Em serviço, devido aos movimentos bruscos do mancal, o óleo Ø arremessado para cima e alimenta o tubo.

Esse dispositivo Ø usado em partes de mÆquinas com movimentos bruscos, como bielas de grandes bombas e de prensas.

AULA Lubrificador mecânico

(Parte 1 de 2)

Comentários