plano de marketing

plano de marketing

(Parte 5 de 10)

- LEI CONTRA SACOLA PLÁSTICA -

Sacolinhas podem ser proibidas em São Paulo

Câmara Municipal deve apreciar projeto; haverá prazo para comércio se adaptar

A Câmara Municipal de São Paulo deve votar nesta quarta-feira (10), em segunda discussão, um projeto de lei para proibir a distribuição de sacolas plásticas no comércio. A proposta do vereador Carlos Bezerra Jr. (PSDB) cria um cronograma para os estabelecimentos comerciais se adequarem.

As lojas terão pelo menos seis meses para passarem a respeitar a lei – caso dos shoppings e das redes com mais de 20 lojas. As redes com 10 a 19 lojas terão prazo de um ano para adaptação, enquanto as redes com menos de dez lojas terão dois anos. As feiras-livres ganharam prazo maior, de quatro anos, para começar a obedecer a legislação.

Se for aprovado, o projeto precisa ser encaminhado ao prefeito Gilberto Kassab (DEM) para ser sancionado. “Não estamos numa cruzada contra o plástico. Sabemos dos benefícios de sua boa utilização. Mas queremos sensibilizar a população para o uso indiscriminado das sacolas”, afirma o vereador. Ele ressalta que, por envolver uma mudança de cultura da sociedade, é preciso que o processo seja gradual e não “do dia para a noite”.

Os sacos plásticos podem entupir bueiros e provocar enchentes, além de contribuir para o esgotamento dos aterros sanitários. Por serem derivados do petróleo, sua produção também provoca emissões de gases de efeito estufa, que causam o aquecimento global.

A Secretaria do Verde e do Meio Ambiente acha a iniciativa ótima, equilibrada e urgente”, diz o secretário Eduardo Jorge. A Associação Paulista de Supermercados (Apas) também avalia que a lei é viável e benéfica.

Nós defendemos o uso responsável das embalagens. Entendemos que o plástico é nocivo ao ambiente, não temos como defender o indefensável”, afirma Orlando Morando, vice-presidente da Apas e deputado estadual pelo PSDB. Ele ressalta que “é preciso conscientizar o consumidor de que ele paga pela sacolinha. Seu valor está embutido no preço dos produtos”.

O projeto de lei estabelece que, no período de transição, os estabelecimentos terão de especificar quanto têm cobrado do consumidor pelas sacolinhas plásticas. “Hoje, o preço das sacolas é diluído, fica oculto entre as mercadorias. Com o projeto, esse custo praticado se tornaria transparente ao consumidor, que, a partir de então, sabendo quanto paga, poderia optar por deixar de usar as sacolinhas”, diz Bezerra Jr.

Para quem não cumprir a lei, estão previstas as sanções da lei federal de proteção ambiental 9.605, que é de 1998: suspensão de licença, perda de benefícios fiscais e multa.

Temos grande interesse em avançar nessa questão e estamos atentos à lei. Vale destacar a criação de um comitê interno para a discussão dos seus impactos e respectivas medidas de adequação, considerando os benefícios para a cidade, para o meio ambiente e para o consumidor”, afirmou o Grupo Pão de Açúcar, por meio de nota. A empresa ressalta que oferece alternativas a seus clientes para a redução do uso das embalagens plásticas – como sacolas retornáveis e de papel, além de caixas de papelão – e treina os funcionários para que colaborem e incentivem os consumidores a reduzir o consumo desse material.

Aprovada. Em Birigui, no interior do Estado, as sacolinhas plásticas comuns serão proibidas a partir de janeiro. A lei foi aprovada em março. “Como a lei só deverá ser executada e fiscalizada em 1.º de janeiro de 2011, tenho certeza de que o Poder Público terá tempo suficiente para divulgar e orientar. E as empresas, por sua vez, de se adequarem às exigências da lei”, diz a justificativa do projeto.

Porém, continua sendo permitida no município a oferta de sacolas biodegradáveis (feitas com amido de milho, por exemplo) e oxibiodegradáveis (que contêm um aditivo químico para se degradar mais rapidamente). A vantagem desses sacos é que eles não levam mais de um século para desaparecer na natureza. Entretanto, elas mantêm em sua composição o uso de plástico – a questão das emissões de gases-estufa, portanto, não está solucionada. E há indícios de que as sacolas “oxibio” se degradam em pequenos pedaços, mas não somem por completo.

A lei ameniza o problema, mas não resolve”, admite o vereador Aladim José Martins (PTB), autor da legislação aprovada em Birigui. Em sua opinião, é um passo importante e uma maneira de minimizar o problema.

Para ele, proibir todas as sacolas plásticas no município seria difícil. “As pessoas ainda não estão preparadas.”

Para não confundir. A lei de São Paulo deverá proibir que se coloque nas sacolas plásticas a informação de que elas são biodegradáveis ou oxibiodegradáveis. A intenção é evitar que o consumidor entenda que o uso desse tipo de material não é prejudicial ao ambiente.

O mercado sustentável tem muito a crescer, usando produtos ecológicos, não só estamos contribuindo para um mundo melhor como aquecendo a economia. Como veremos a seguir.

    1. Fatores econômicos

Referem-se às forças financeiras atuais, como o produto tem o seu mercado-alvo. Atualmente estamos em uma onda ecológica sustentável, que leva a uma tendência de alta desse mercado cada vez maior.

Um exemplo que ilustra esse movimento é a comercialização dos produtos no Grupo Pão de Açúcar. De acordo com a companhia, em cinco anos foram vendidas 2,5 milhões de unidades em todo o País. O ano passado registrou 54% desse volume. Como o mercado está demandando por materiais que privilegiem formas que agridam menos o meio ambiente, os empresários apostam em tamanhos, formas, cores e produtos cada vez mais diferenciados

As fabricantes registraram crescimento de mais de 25% no último ano nos pedidos de sacolas, mochilas e bolsas que são apresentadas como linha ecológica. A maior conscientização dos consumidores, que iniciaram um movimento para diminuir o uso dos recipientes plásticos, deu força para que as sacolas em algodão, de garrafa pet reciclada e rafia desfilem com mais frequência nos corredores e caixas de lojas e supermercados. 

Analisando esses dados, garantimos que o mercado está em uma fase extraordinária e a Itape Brindes como pioneira em Itapetininga deve ficar atenta ao mercado, sempre buscando a atualização de produtos para atender aos mais variados públicos.

    1. Fatores sociais

Estes referem, a mudanças nas tendências sociais, como os modismos causados por esse tipo de produto, e a tendência de cada vez mais novos grupos demográficos, que tendem a adquirir esse produto sustentável. Isto levando em consideração que não irá acontecer uma mudança nos hábitos de compra desse mercado – alvo, por exemplo. Também pode considerar que os problemas ambientais cada vez maiores o envelhecimento das pessoas que fazem parte desse mercado-alvo não influenciará na diminuição das vendas.

O modo de vida pós-capitalista levou não apenas o homem, mas também o próprio espaço urbano a degradações. A desigualdade social, o uso excessivo dos recursos naturais por uma parte da população enquanto a outra cresce desmedidamente são fatores que são extremamente combatidos no âmbito da sustentabilidade social. Pode-se afirmar que a sociedade obedece a relações intrínsecas com os outros setores de base da sociedade (acesso a educação, desenvolvimento das técnicas industriais, econômicas e financeiras, além dos fatores de ordem político e ambiental) então um primeiro passo que deve ser tomado para a resolução dos agravantes sociais é justamente a responsabilidade social e a agregação a sustentabilidade desses setores.

No tocante a aplicação sustentabilidade social pelas empresas, é possível ressaltar que há crescente investimento das grandes marcas do mercado, principalmente os órgãos mais ligados as relações financeiras. Além disso, as indústrias e empresas que vem se envolvendo na sustentabilidade social (ou responsabilidade social), as indústrias sustentáveis, tendem a exercer um imprescindível papel para toda a comunidade. Quando se tomam medidas como investimentos em promoção de trabalhos e de renda, investimento em projetos de ordens sociais, com saúdes, etc. são medidas que visam a igualdade entre os cidadãos e os exercícios da cidadania entre outros ganhos. Muitas empresas tem se empenhado ultimamente para esses tipos de projeto, uma vez que eles promovem uma excelente imagem da própria empresa.

sustentabilidade social visa o bem-estar da sociedade de hoje e a de amanhã em iguais medidas. Para que ela de fato se concretize é necessária grande campanha de divulgação, instalada tanto pelas macroestruturas (setores políticos e básicos) quanto por empresas que visem os projetos e a aplicação da mesma. A mobilização social para esse fim também é um fator determinante para a melhora da qualidade de vida.

Resumindo, temos por obrigação social, cuidar do nosso planeta e para isto contamos com várias formas de preservação, a Itape Brindes deve focar nessa ideia. “Vender futuro” , use o emocional para isto.

    1. Fatores tecnológicos

Incluem todas as mudanças tecnológicas que afetam seu produto, novas máquinas mais evoluídas para a fabricação dos produtos, seu mercado ou seus esforços de coleta de informações sempre sobre esse mercado. Isto inclui a visibilidade na internet, e outros meios de comunicação que vão surgindo com as evoluções tecnológicas crescentes nesse mundo cada vez mais evoluídos, ou seja, tudo ligado à tecnologia que afeta o seu produto ou serviço.

Neste tipo de comércio a atualização de maquinário é primordial para o bom funcionamento e agilidade na produção.

Exemplo de máquina que poderá ser adquirida. Conversamos com o fabricante http://www.rrequipamentos.com.br/ e pode ser parcelado em 10 parcelas de R$ 1.079,99

Compacta Bag Semi-automáticaComprimento: 214 cm, Largura: 98 cm, Altura 107 cm.

 

Preço: R$ 10.799,00

 

Com este maquinário, a fabricação é de 2400 peças por hora, a que o Jilson possui em sua empresa é de 800 por hora, um modelo ultrapassado neste ramo.

Vimos o maquinário da empresa e percebemos que está um pouco desatualizado, este como todas as outras propostas de ações para a empresa são investimentos.

 

  1. SWOT

SWOT é a sigla em inglês para Pontos fortes, Pontos fracos, Oportunidades e Riscos e é muito importante para o seu plano de marketing. Após concluir a análise do negócio e do mercado, você terá as informações necessárias para identificar seus SWOTs e PESTs.

Os pontos fortes e fracos são determinados por elementos internos, enquanto as oportunidades e riscos (OT) são ditados por forças externas. Às vezes, recomenda-se identificar suas oportunidades e riscos primeiro, para saber mais rapidamente quais pontos fortes e fracos do produto devem ser considerados antes. Por exemplo, caso descubra que seu concorrente está para perder um contrato exclusivo de distribuição nos próximos dois meses, pode usar esta informação para preencher rapidamente um espaço no mercado. Entretanto, muitos de seus riscos estarão baseados nos pontos fracos que você descobriu.

11.1 Pontos fortes, pontos fracos, oportunidades, riscos.

O ponto forte da empresa é o pioneirismo com a fabricação de sacolas ecológicas, tendo uma grande oportunidade de se tornar cada vez mais líder isolada desse segmento em seu município, mas deve tomar seus cuidados e acabar com seu principal ponto fraco, não ter um veiculo de entrega própria da empresa, tendo assim que ter gastos com fretes e despachos de materiais via correio.

Vamos fazer uma tabela para melhor exemplificar o SWOT

Forças

Fraquezas

Ambiente Interno

- Baixo custo com matéria prima

- Baixo custo com funcionários

- Inúmeros tipos de produtos

- Funcionários disposto a fazer da empresa, uma líder em todo o segmento de brindes e produtos ecológicos.

- Ser pioneira no ramo, na cidade

- Ambiente físico pequeno

- Pouco funcionário

- Muitos produtos dão um retorno monetário baixo

- Serviço de entrega ruim

- Não divulgação de seus produtos

- Não ter experiência o suficiente.

Oportunidades

Ameaças

Ambiente Externo

- Aumento de consciência ambiental

- Feiras, eventos, palestras, todo o tipo de reunião.

-Parcerias com hipermercados ,supermercados e outros comércio de alimentos

-A indústria de sacolas plásticas.

- Concorrência que pode vir a ter

    1. Filosofia da empresa.

A Itape Brindes fabrica e revende brindes e embalagens de TNT tecido não tecido, bolsas, canetas, chaveiros, lápis, borracha escolar, réguas, temos mais 400 itens e temos uma equipe para desenvolver bolsas e embalagens em TNT . Trabalhamos com agendas bolsas, bolsas térmicas, borrachas escolares, bottons, calendários de mesa e muito mais. Nessa nova linha adotada pela Itape Brindes a filosofia e produtos ecologicamente corretos, versando sempre em fornecedores que adotem essa tendência, logicamente que a empresa tem a missão de transmitir essa ideia a seus clientes mais também tem a missão de realizar vendas, porque um produto bom com uma nova concepção não é nada se for colocado no mercado através das sua vendas.

    1. Características, benefícios ou qualidades do produto.

A característica principal dessa nova linha é a sustentabilidade a preocupação com a ecologia, os benefícios são a qualidade de vida buscada para nossos filhos em um planeta melhor sem grandes desastres reaproveitando a matéria prima já existente, reciclando-a e as qualidades principais são a resistência, beleza estática, durabilidade além de estar em evidencia no mercado.

    1. Vantagem competitiva do produto.

A maior vantagem competitiva para a empresa é que não tem nenhum concorrente nessa linha de produtos, se tornando única em sua cidade, é um produto que a procura tem aumentado em crescente constante, pois todos que tem essa consciência adquirem esse produto e os consumidores que não tem, compram para fazer parte de modismo consumista por produtos ecologicamente corretos.

    1. Estrutura de preço.

Os preços de fornecedores de matéria prima é

O tecido para sacola simples custa R$ 0,50/unidade, quando é efetuada uma compra de maior quantidade (tecido para 1000 unidades), o preço cai para R$ 0,30/unidade. O silk para sacola simples custa R$ 0,15/unidade.

A costureira para a costura da sacola simples cobra R$ 1,00/unidade. A sacola mais simples custa para a empresa, em torno de R$ 1,45 e é vendida a R$ 2,00. A sacola/bolsa top de linha custa de tecido R$ 4,10/unidade, quando é efetuada uma compra de maior quantidade (tecido para 1000 unidades),o preço cai para R$ 3,50/unidade. O silk para a fabricação da sacola/bolsa top de linha custa R$ 3,00/unidade. A costureira cobra R$ 5,00 para sacola/bolsa top de linha. A sacola/bolsa top de linha custa para a empresa R$ 11,50 e é vendida por R$ 25,00.

Nesta venda que o lucro é significante...

A estrutura do preço do produto principal que é a sacola ecológica é a seguinte: dos custos de matéria – prima, mão – de – obra e pintura com o Logo do cliente:

Aqui neste gráfico, é mostrado o custo em reais da matéria prima de cada tipo de tecido e ainda o custo da costureira.

Entre o modelo mais simples e o mais sofisticado pode se criar vários outros tipos de modelos em parceria com o cliente suprindo a sua necessidade em questão.

11.6 Consciência do mercado-alvo em relação ao seu produto.

O mercado para o produto principal da linha têm essa preocupação com relação ao consumo excessivo de sacolas plásticas que é o mercado – alvo para as sacolas ecológicas que são os supermercados, hipermercados pois essas empresas tem essa consciência de obter um produto que supra essa necessidade de diminuição do uso de “sacolinhas”. A Itape Brindes pode oferecer essa solução para esse tipo de problema.

11.7 Ciclo de uso do produto

Quais as etapas pelas quais o comprador passa para comprar, usar e descartar o produto? Este método pode gerar novas ideias de produto (ou apenas melhorias ou ideias de embalagem), serviço ou outras opções de valores. Visando a melhora dos produtos vendidos, foi feita a estratégia do cliente oculto! O membro da nossa equipe, Danilo José Armando, vulgo Xexa, foi à empresa e fez uma compra, ficou exatamente 15 dias testando o produto. Danilo disse que no primeiro momento em que chegou na loja, pôde observar que os funcionários que se encontravam lá estavam bem apresentáveis, com uniformes da empresa, com crachás e, em um segundo momento Danilo nos contou que no momento da abordagem foram educados e de prontidão atenderam sua necessidade. Efetuada a compra Danilo disse que o produto foi usado com certa frequência e não causou nenhum stress por um eventual problema, o produto testado foi a Bolsa com Botão.

11.8 Atitudes do mercado-alvo em relação ao produto.

Os supermercados e hipermercados podem oferecer o produto a seus clientes através de uma promoção do tipo “compras acima de R$ 50,00 o cliente ganha uma sacola ecológica” , pode também colocar o produto a venda em stands. Fizemos um trabalho em relação à isto e foi muito bem aceito pelo mercado Cofesa. Segue o plano de ação para implementação das sacolas para os clientes do Cofesa.

Neste Natal, use sacolas ecológicas. Seja inteligente!

Fizemos um desconto para o Cofesa adquirir 1500 unidades de sacolas pelo preço de custo ( R$ 2,00 ), neste primeiro momento a empresa não teria um grande lucro, mas teria visibilidade, pois é o que vimos que precisa.

O Cofesa ficou de estudar a ideia e até o dia 05 de dezembro daria uma resposta.

11.9 Atividades contra a concorrência.

A empresa no momento atual não possui um grande concorrente, mas deve tomar alguns cuidados, precisa desenvolver novos produtos, pesquisar novos mercados – alvos que podem surgir em Itapetininga, investir em publicidade dos produtos que dispõe etc.

12. O plano de marketing

(Parte 5 de 10)

Comentários