Patologias do sistema nervoso

Patologias do sistema nervoso

(Parte 1 de 5)

Fisiopatologia- 2008

DISTÚRBIOS SENSORIAIS O doente pode apresentar :

A)Perda de sensações –Hipostesiaou anestesia (ex: adormecimento)

Hipoalgesiaou analgesia(Sensação dolorosa)

B) Sensações anormais –Parestesias Disestesias e Hiperpatias

Parestesias–Sensações espontâneas anormais (ex: formigueiro, queimadura, picadas)

Disestesias–Sensações dolorosas ou desagradáveis provocadas por um estímulo que normalmente não o faz

Hiperpatia–Não existe resposta sensitiva com um estímulo de pequena intensidade mas quando este aumenta a sensação é dolorosa

•Quando estáenvolvida a metade do metade do corpo corpo(hemicorpo) a lesão éao nível do

Sistema Nervoso Central

•O envolvimento distalde todasas extremidades ésugestivo de polineuropatia polineuropatia, ,resultante da lesão da medula espinalou de uma alteração metabólica

•Queixas sensoriais de curta duração indicam: epilepsia; epilepsia; isqu isquéé mia mia cerebral ou cerebral ou altera alteraçç ões metab ões metabóó licas licas

NEUROPATIA PERIFÉRICA–Perda das funções sensoriais e motoras de vários nervos periféricos

POLINEUROPATIA PERIFÉRICA:quando háum envolvimento alietóriode vários nervos. Ex: Síndrome de Guillain-Barrete Diabetes

NEUROPATIA: Quando háenvolvimento de um sónervo. ex: Síndrome do túnel do carpo

Nevralgia: Nevralgia:Dor acentuada e periódica de uma extremidade nervosa

O trigémioéo V par craniano tem função motora, propioceptivae sensorial e tem três ramificações:

Nervo oftálmico; Nervo maxilar ; Nervo mandibular A nevralgia do trigémiopode envolver um ou mais ramos do nervo

Caracteriza-se por:

Dor súbita com sensação de queimadura num dos lados da face. O ataque pode ser desencadeado pela mastigação ou toque na face.

De etiologia desconhecida émais comum nas mulheres.

As dores podem resistir aos analgésicos, sendo necessário usar opiácios.

E por vezes seccionar parcialmente o nervo

I-Cefaleia neurovascular(Enchaqueca):

Crise dolorosanormalmente hemicraneanae pulsátil. Acompanhada de intolerância aos estímulos luminosos e acústicos, náuseas e vómitos. Pode durar de horas, a um ou dois dias.

Afecta sobretudo as mulheres. As formas mais complicadas são acompanhadas de sintomas neurológicos transitórios.

Causa:

Dilatação dos vasos meníngeosdevido a neurotransmissores que se libertam quando o sistema trigémio-vascular éactivado como consequência da disfunção dos centros tronco -encefálicos que o modula m

As Cefaleias desencadeadas pelo esforço físico, febre, álcool; nitritos, etc. resultam também da vasodilatação de artérias intracranenas ou extracraneanas

CEFALEIAS I-Contracção muscular (Cefaleia tensional) –

Dor em todo o crânio, leve ou moderada

Ocorre em situações de ansiedade ou depressão

Ou por alterações degenerativas das primeiras vértebras cervicais que provocam a contracção muscular

I-Inflamação ou compressão de estruturas sensíveis àdor

Inflamação meníngea

Inflamação da artéria temporal (importante no idoso)

Hipertensão intracraniana e intraocular(glauco ma) e dos seios perinasais

Doenças em que o principal problema reside na fraqueza muscular e na perda de massa muscular

Podem ocorrer a quatro níveis:

1. Neurónios motores (1ºNeurónio)

2. 2ºneurónio +Fibras nervosas (motoneurónios)

3. Transmissão neuromuscular 4. Músculos

Tónusmuscular –grau de contracção do músculo no repouso Espasticidade:Aumento do tónusmuscular basal (acontece nas zonas com parelisia)

Síndrome Piramidal–Disfunção motora mais grave, quando se interrompem os impulsos motores conduzidos pela via corticoespinal

Com parelesiaou parésia(perda de força muscular) de uma ou mais extremidades Monoplegia:Parelesiade uma extremidade

Hemiplegia:Parelesiada extremidade superior e inferior do mesmo lado do corpo Paraplegia:Parelesiade ambas as extremidades inferiores

Tetraplegia: Parelesiadas quatro extremidades

A área afectada ésempre a da extremidade contralateralàzona do hemisfério cerebral que sofreu a lesão

PATOLOGIAS MOTORAS Síndrome Piramidal –Lesão do 1ºneurónio motor

Podem observar-se nos músculos afectados, além da parésia

(Parte 1 de 5)

Comentários