Comunicação e Expressão

Comunicação e Expressão

(Parte 4 de 16)

Eles são como as seguintes palavras: Casa rosa bonita casa branca

Todos os elos podem formar uma corrente, porém precisam estar ligados entre si por meio de outros elos. Isso formará uma corrente coesa, e, no caso das palavras, isso também dará coesão ao texto. Veja o resultado:

Ar quivo

A casa rosa é mais bonita que a branca.

Observemos o exemplo 1 depois de ler o texto a seguir.

O marceneiro Osvaldo notou que o filho estava caminhando com os pés tortos. O marceneiro resolveu investigar. O marceneiro concluiu que o filho estava com os pés apertados. Era hora de substituir aquele velho tênis. Levou o filho à lojinha do Manoel. A lojinha ficava perto da casa do marceneiro. Chegando à lojinha, o marceneiro escolheu um tênis novo para o filho e separou o velho para jogar fora. O filho experimentou o tênis e começou a chorar. O marceneiro não entendeu o porquê daquele choro, pensou que alguma coisa estava machucando o filho e tirou imediatamente o tênis novo dos pés do filho. O filho continuou a chorar e disse que amava demais o tênis velho para trocar

O que notamos nesse texto é a falta de coesão. Resumindo, nele encontramos:

a) muitas repetições; b) muitas frases estanques, isto é, as idéias não estão ligadas umas às outras.

Agora que identificamos os problemas no texto, fica fácil reformulá-lo, corrigindo as repetições e estabelecendo relação entre as idéias. Tente fazer as modificações necessárias e compare-as com as sugeridas no texto abaixo.

Exemplo 1

O marceneiro Osvaldo notou que o filho estava caminhando com os pés tortos E resolveu investigar. Concluiu que o garoto estava com os pés apertados, ALÉM DISSO que já era hora de substituir aquele tênis surrado. Levou-o, então, à lojinha do Manoel, que ficava perto de sua casa. QUANDO lá chegou, escolheu um novo calçado para seu piá E, TAMBÉM, separou o velho para jogar fora. MAL experimentara o presente, começou a chorar. Sem entender o porquê daquele choro, o homem NÃO SÓ pensou que alguma coisa o estava machucando, COMO TAMBÉM tirou imediatamente o sapato do baixinho, que continuou a choramingar, dizendo que amava demais o companheiro para trocá-lo por outro. ASSIM, o pai pôs o antigo amigo no moleque A FIM DE voltarem para casa da mesma maneira como haviam saído.

Fonte 5 - SXC por outro tênis. O marceneiro calçou os tênis velhos no filho e ele e o filho voltaram para casa da mesma maneira como tinham quando saído.

Coesão do texto escrito Comunicação e Expressão

13 w.ulbra.br/ead

O texto sublinhado indica as substituições feitas para evitar a repetição de palavras, enquanto o texto em letras maiúsculas corrige a ligação entre as idéias por meio de uma possível relação de sentido.

Vejamos primeiramente as substituições.

Observemos que todas possuem um referente anterior, ou seja, só procuramos substituir aquelas palavras que já foram escritas anteriormente e não devem ser repetidas.

Concluiuo marceneiro Osvaldo

SUBSTITUIÇÕES REFERENTES o garotoo filho Levouo marceneiro Osvaldo -ogaroto / filho que lojinha do Manuel Suagaroto / filho Lálojinha do Manuel Chegouo marceneiro Osvaldo Calçado tênis Seuo marceneiro Osvaldo Piágaroto / filho o velhocalçado / tênis Experimentarao piá / garoto / filho o presentenovo calçado o homemo marceneiro Osvaldo Oo piá / garoto / filho o sapatoo presente / novo calçado Baixinhoo piá / garoto / filho o companheirotênis surrado -lotênis surrado Outrocompanheiro / tênis / calçado /sapato o paio marceneiro Osvaldo o antigo amigotênis surrado Molequeo piá / garoto / filho Voltaremo filho e o pai Que maneira

Coesão do texto escrito Comunicação e Expressão w.ulbra.br/ead 14

No estudo da coesão, nomeiam-se as substituições como anafóricos, os quais possuem um referente anterior. O primeiro passo para obter coesão textual é utilizar esse recurso, pois, dessa forma, o texto não ficará repetitivo.

Ainda em relação ao texto sobre o marceneiro, precisamos também observar as palavras que ligaram idéias, estabelecendo uma relação de sentido entre elas. Verifique o quadro abaixo, observando a relação de sentido surgida entre as idéias, no momento em que foram conectadas.

O nome anafórico é esquisito, mas

a sua função é muito simples: substituir palavras ou idéias para que não se repitam no texto

não sómas tambémadição

E adição além dissoadição Então conclusão Quando temporalidade e tambémadição a fim definalidade Mal temporalidade Assim conclusão

Exemplo 2

A idéia da mãe substituta é mais antiga do que parece. Na Bíblia, lemos que Sara, não podendo engravidar, entregou sua serva Hagar ao marido Abraão, a fim de que ele se tornasse pai. Com isso, evitava o opróbrio que pesava sobre os casais sem filhos. Depois disso, a própria Sara engravidou, uma sugestão de que Deus recompensou seu desprendimento.

Agora, vejamos mais um exemplo.

O que são anafóricos?

Fonte 6 : Jornal Zero Hora

Coesão do texto escrito Comunicação e Expressão

15 w.ulbra.br/ead

para queweste se tornasse pai

Observemos que, com as referências/retomadas que estão sublinhadas, o texto fica muito mais claro e melhor redigido: ele – Abraão com isso – entregar a serva ao marido para que este se tornasse pai disso – entregar a serva ao marido seu – de Sara

A idéia da mãe substituta é mais antiga do que parece. Na Bíblia, lemos que Sara, não podendo engravidar, entregou sua serva Hagar ao marido Abraão, a fim de que Abraão se tornasse pai. Entregando sua serva Hagar ao marido Abraão, a fim de que Abraão se tornasse pai, evitava o opróbrio que pesava sobre os casais sem filhos. Depois de entregar sua serva Hagar ao marido Abraão, a fim de que Abraão se tornasse pai, a própria Sara engravidou, uma sugestão de que Deus recompensou o desprendimento de Sara.

Exemplo 3 Vamos analisar mais um exemplo.

Por que as gravações de depoimentos à CPI do Tráfico de Armas foram feitas por um funcionário terceirizado em vez de um servidor do quadro? Este último estaria submetido ao sigilo profissional que um cargo público implica. O primeiro, que entregou aos advogados de Marcos Camacho, o Marcola, por R$ 200, a fita com informações privilegiadas, não tem qualquer compromisso ético juramentado. Mesmo assim, há três anos, tem sido pela mão – pelo ouvido e confessadamente pelo bolso – dele que passam todas as informações sigilosas das CPIs. Informações essas que envolvem desde os nomes velados de testemunhas que arriscaram suas vidas depondo até a extensão do acesso das autoridades aos números das organizações criminosas e, mais, o planejamento estratégico para o seu combate.

Referências: este último – um servidor do quadro o primeiro – um funcionário terceirizado dele – um funcionário terceirizado essas – informações sigilosas das CPIs suas – das testemunhas

do autor

Ficou terrível, não? Cansativo, extenso, prolixo, repetitivo e seria uma prova irrefutável da falta de vocabulário e revisão

Comparemos como seria desenvolvido o texto se o autor não tivesse tido esse cuidado:

Arquivo Fonte 7 : Jornal Zero Hora

Coesão do texto escrito Comunicação e Expressão

w.ulbra.br/ead 16

Outro recurso para estabelecermos a retomada de um termo que seria repetido é a elipse. Com ela, a palavra fica oculta, por ser facilmente depreendida do contexto.

Exemplo 4

Itamar Franco era um homem feliz ao passar a faixa presidencial para Fernando Henrique Cardoso, mas estava tristonho ao acordar no dia seguinte. Já não era presidente da República desde 1º de janeiro e precisava deixar o Palácio do Jaburu (...) Calado, foi ao banheiro e embalou alguns objetos.

O sujeito do primeiro verbo é explicitamente mencionado, Itamar Franco. Os outros verbos do texto têm o mesmo sujeito, então não é necessário repeti-lo a cada nova frase. É melhor manter o sujeito elíptico, isto é, oculto.

No estudo da coesão, nomeiam-se as palavras que ligam idéias de articuladores. Também conhecidos como conjunções, nexos ou conectivos, os articuladores possibilitam estabelecer uma relação de sentido entre as idéias.

Vamos ler os exemplos:

1. Paulo não foi bem na prova. Ele não estudou

o,suficiente. 2. Joana estudou muito. Ela não passou no teste. 3. Chuva amanhã. Piquenique cancelado.

Veja se você consegue ligar as idéias por meio de um articulador.

Certamente, a escolha se deu a partir da relação de sentido que já existia entre as idéias mesmo sem estarem conectadas. Assim, é possível que as respostas encontradas tenham sido as seguintes:

Paulo não foi bem na prova porque não 1. estudou o suficiente. (relação de explicação/causalidade)

(Parte 4 de 16)

Comentários