Revista BrOffice

Revista BrOffice

(Parte 1 de 5)

Dezembro | 20101| Revista BrOffice.org | w.broffice.org/revista Revista BrOffice.org | w.broffice.org/revistaDiagramado no BrOffice.org Draw

Revista

Artigos | Dicas | Tutoriais | e muito mais...

Objeto de Aprendizagem - OA:

Calc auxilia professores a desenvolver suas próprias ferramentas

Petros:

500 funcionários treinados e migração para BrOffice bem sucedida

UFRJ: Institui processo de migração para BrOffice

Ano 4 | N° 17 | Dezembro 2010

Universidade Livre:

BrOffice.org apoia evento que promove o uso e desenvolvimento de software livre nas universidades

CoGrOO Comunidade: Ferramenta colaborativa para usuários do Corretor Gramatical CoGrOO Desenvolvedores lançam nova versão do corretor

Dezembro | 20102| Revista BrOffice.org | w.broffice.org/revista índice |

| entrevista BrOffice.org apoia Universidade Livre07

| artigo

UFRJ inicia processo de migração para BrOffice

| novas tecnologias CoGrOO Comunidade09

| dicas rápidas Dicas rápidas18

| reportagem

Petros treina 500 funcionários em BrOffice

| cultura

Redblade - Episódio 07: Chartres22 Dica de filme: Game over - Ameaça Virtual24

| escritório aberto Educação / Universidade25

| escritório aberto Resumo do mês41

| tutorial

Convertendo documentos OpenXml para ODF 32

| dicas

Cortar figuras no BrOffice Writer26 Editando imagens gráficas no BrOffice28

Buscas mais inteligentes com a extensão AltSearch

Utilizando o BrOffice Calc como objeto de aprendizagem na educação 36

Dezembro | 20103| Revista BrOffice.org | w.broffice.org/revista

| editorial padrões estabelecidos, um movimento contrário à resignação. Isso não significa que não haja planejamentos, mas um modo de produção independente, livre, cuja base está na comunidade de usuários que responde prontamente todo chamado à colaboração.

Poderíamos dizer com tranquilidade que, após as edições desse ano, a percepção que fica é a de que a nossa suíte de escritórios BrOffice é onipresente. Interessante notar que esse trabalho feito na Revista acaba descobrindo mais funcionalidades, mais iniciativas e uma adesão crescente por parte das empresas públicas e privadas às tecnologias livres. Nem a Microsoft resistiu a onda, alterando o seu produto principal para que ele seja capaz de abrir arquivos em Open Documento Format – ODF. Mas quem precisaria disso, uma vez que pode ter o BrOffice instalado em quantas máquinas quiser com investimento zero em licenças? Alguém poderia perguntar: “E os custos com suporte técnico e treinamento?” Como demonstramos na matéria sobre o treinamento dos funcionários da Petros, a economia feita com a adoção do BrOffice é mais do que suficiente para cobrir custos com treinamentos e também com suporte especializado.

A adesão ao BrOffice se dá de várias formas. A Universidade Federal do Rio de Janeiro, por exemplo, adotou o BrOffice, mas antes estabeleceu o formato ODF como padrão para arquivos anexados em mensagens eletrônicas entre os órgãos da administração central e o uso de formulários PDF.

Na entrevista, Fernando Mercês nos revela como surgiu a ideia da Universidade Livre, um evento que tem dado muito certo e que neste ano teve o apoio da OSCIP BrOffice.org.

A matéria de capa está na seção Novas Tecnologias. O pessoal que desenvolve o CoGrOO não está de brincadeira. Lançou o CoGrOO Comunidade e aproveitou para lançar a nova versão do corretor gramatical. O objetivo do portal é atenuar a barreira tecnológica permitindo que usuários que não saibam programar possam, assim mesmo, contribuir no desenvolvimento dos dicionários e das regras. A nova versão do software permite também a interação direta do BrOffice com o CoGrOO Comunidade.

Boa leitura!! Luiz Oliveira

Colaboradores desta edição

Redação: Cárlisson Galdino Dennis Freitas Diogo Moreira Luiz Oliveira Michel Oleynik Pedro Ciríaco Wesley Seidel William Colen

Dicas | Dicas Rápidas | Tutorial: Cláudia Ferreira Pinheiro Clóvis Tristão Laércio J. Oiel Tardochi Filho Oswaldo Kussama Paulo S. Lima Rubens Queiroz

Diagramação: Duilio Dias Eliane Domingos Renata Marques

Revisão: Clóvis Tristão Maria Aparecida Coltro Fátima Conti Luiz Oliveira Vera Cavalcante

Capa: Duilio Neto

Edição: Luiz Oliveira luizoliveira@revistabroffice.org

Revisora responsável: Vera Lúcia Cavalcante Pereira veracape@revistabroffice.org

Jornalista responsável: Luiz Oliveira – Mtb.31064

Coordenador Geral BrOffice.org: Cláudio Ferreira Filho | filhocf@broffice.org

Coordenadora Revista BrOffice.org: Eliane Domingos de Sousa elianedomingos@revistabroffice.org

Escreva para a Revista BrOffice.org: contato@revistabroffice.org

Edições anteriores: w.broffice.org/revista

O conteúdo assinado e as imagens que o integram são de inteira responsabilidade de seus respectivos autores, não representando necessariamente a opinião da revista BrOffice.org e de seus responsáveis. Todos os direitos sobre as imagens são reservados a seus respectivos proprietários

O que é o BrOffice É o produto, ferramenta de escritório multiplataforma, livre, em bom português, desenvolvido sob os termos da licença LGPL, composto por editor de texto, planilha de cálculo, apresentação, matemático e banco de dados, mantido pela comunidade e OSCIP, que trabalha para a difusão do SL/CA no País.

Desenvolvimento Esta revista foi elaborada no BrOffice, editor de texto, planilha eletrônica, apresentação e, diagramação. A reprodução do material contido nesta revista é permitida desde que se incluam os créditos aos autores e a frase: “Reproduzido da Revista BrOffice.org – w.broffice.org/revista em local visível.

O BrOffice.org declara não ter interesse de propriedade nas imagens. Os direitos sobre as mesmas pertencem a seus respectivos autores/proprietários.

O conteúdo da Revista Broffice.org está protegido sob a licença Creative Commons BY-NC-SA, disponível no w.creativecommons.org.br. Esta licença não se aplica a nenhuma imagem exibida na revista, e para utilização delas obtenha autorização junto ao respectivo autor.

omos agraciados, nessa edição com várias notícias sobre a comunidade BrOffice.org na Universidade. Isso não foi intencional, afinal fazer uma revista colaborativa requer um posicionamento de vanguarda, uma fuga dos

Dezembro | 20104| Revista BrOffice.org | w.broffice.org/revista Arquivo pessoal

Conhecendo os colaboradores |

Conhecendo os colaboradores

Dezembro | 20105| Revista BrOffice.org | w.broffice.org/revista Arquivo pessoal n a t h a n c o l q u h o u n artigo |

Por Dennis Freitas e Diogo Moreira superintendência de TIC, órgão da UFRJ responsável por coordenar a execução das diretrizes gerais aprovadas por meio do Conselho Gestor de TIC - CG-TIC, instituiu um processo de migração de tecnologias voltadas para o uso de software livre no âmbito administrativo da UFRJ, inspirada na recomendação do MPOG – Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão e pelo Protocolo Brasília.

Esta política de migração inclui a adoção do formato ODF como padrão para arquivos anexados em mensagens eletrônicas entre os órgãos da administração central e a disponibilização gradativa de formulários PDF para preenchimento, disponíveis para download nos portais institucionais das pró-reitorias, bem como a recomendação de programas para as mais diversas áreas de desenvolvimento no portal da TIC. (vide: http://www.tic.ufrj.br/softwarelivre/ )

Com base na orientação da superintendente, Claudia Werner, iniciou-se no dia 04/10/2010 o processo de migração com a seguinte estratégia:

Foco inicial da migração: Prédio da Reitoria

Sequência: Pró-reitoria de Pessoal (PR4), Pró-reitoria de Planejamento e Desenvolvimento (PR3), Pró-reitoria de Pós-graduação e Pesquisa (PR2), Pró-reitoria de Graduação (PR1), Superintendência Geral de Administração e Finanças (SG6) e Gabinete do Reitor, exatamente nesta ordem.

1ª fase: Instalação de suíte de escritório BrOffice em todos os equipamentos da administração central;

2ª fase: Recolhimento de todos os documentos legados e formulários administrativos (Formato DOC) para reformulação como modelos BrOffice (Formato OTT ou OTS) e formulários PDF gerados a partir do BrOffice;

Walter K a u s s

UFRJ inicia processo de UFRJ inicia processo de migração para BrOfficemigração para BrOffice

Dezembro | 20106| Revista BrOffice.org | w.broffice.org/revista

Arquivo pessoal Arquivo pessoal artigo | UFRJ inicia processo de migração para BrOffice | Por Dennis Freitas e Diogo Moreira

3ª fase: Instalação dos modelos e formulários com treinamento básico do usuário para uso da suíte de escritório BrOffice;

4ª fase: Parceria com setores de ensino da UFRJ para prover cursos de qualificação para uso e operação adequada dos recursos do BrOffice;

5ª fase: Suporte operacional para eventuais falhas verificadas no processo de migração.

Atualmente estamos na PR4, prosseguindo com a fase 2 da estratégia de migração. A maior dificuldade nesse momento inicial é a resistência por parte dos servidores da administração pública em conhecer a nova plataforma. Exatamente por este motivo, optamos por instituir um processo de migração menos traumático, permitindo que, nesta fase, o usuário tenha em mãos as duas plataformas (MSOffice e BrOffice) funcionando em paralelo, até porque na maioria dos casos os documentos gerados em uma plataforma não são exibidos com exatidão na outra.

Nossa estratégia baseia-se no suporte a plataforma BrOffice, a qual fornecemos auxílio na conversão de documentos, apoio técnico para uso e operação e, suporte telefônico para eventuais dúvidas, o que não fazemos para a outra plataforma (MSOffice). Com isso, esperamos fomentar o uso constante do BrOffice e num breve espaço de tempo tornar a plataforma MSOffice obsoleta por falta de apoio institucional.

O percentual de máquinas atendidas no momento é muito pequeno, dado o início do processo de migração. Algo que chega a apenas 3% do total da administração central.

Lembramos que nosso alvo não é TODA a universidade, até porque muitos equipamentos aqui existentes, possuem licença MSOffice acadêmica para uso dos alunos da universidade e estes não fazem parte do processo de migração. Nosso foco é apenas o corpo administrativo da universidade, ao qual a licença supracitada não se aplica O levantamento da quantidade de equipamentos existentes em cada setor não é relevante para o processo de migração, uma vez que tal processo é negociado com cada órgão aqui existente e o fluxo de migração depende da indicação de cada administração..

O processo é executado e, somente após o término da 1ª fase, é feito o levantamento da quantidade de máquinas na qual ocorreu a migração, tendo como objetivo apenas por uma questão estatística.

Quanto a questão do treinamento, estamos negociando com o NCE (Núcleo de Computação Eletrônica), através do recém-criado LAPTEL (Laboratório de Pesquisas e Desenvolvimento de Tecnologias Livres) a formação de parceria para instituir um curso de qualificação para usuários interessados em aprimorar o conhecimento da plataforma BrOffice.

Essa é uma visão geral do nosso plano de migração.

Da esquerda para a direita os componentes da Equipe de TI – Adriano Neves, Reginaldo Verli, Erick Alves, Felipe Silva, Fabrício Caseiro, Rafael Raposo, Dennis Freitas e Diogo Moreira.

Trazendo dicas e informação, todos os dias e na dose certa w.dicas-l.com.br

Crédito: Eduardo

N o v a e s

Dezembro | 20107| Revista BrOffice.org | w.broffice.org/revista

Por Luiz Oliveira

Arquivo pessoal n a t h a n c o l q u h o u n entrevista |

Aos poucos a comunidade BrOffice.org começa a exercer um importante papel de fomentadora de outras comunidades e iniciativas, não esquecendo dos projetos que já fazem parte do “complexo” BrOffice.org. Não é a primeira vez que a BrOffice.org apoia financeiramente um evento. Em 2009, foi patrocinadora Ouro da Conferência Internacional OpenOffice.org que aconteceu em Orvieto[1]. Como membro da The Document Foundation vem tendo um papel decisivo fornecendo servidores para a comunidade internacional que desenvolve o LibreOffice[2]. Agora, oferece apoio a um evento importante que atinge estudantes universitários. A seguir, vamos saber um pouco mais sobre o Universidade Livre, um evento idealizado por Fernando Mercês.

BrOffice.org BrOffice.org apoiaapoia

Fernando Mercês é consultor na 4Linux, bacharelando em Ciência da Computação na UniverCidade, trabalha com tecnologias livres há cinco anos, certificado LPIC-1 e A+ com experiência em segurança e infraestrutura de sistemas, assuntos sobre os quais já ministrou palestras em diversos eventos como FISL e LinuxCon. Membro de diversas comunidades de software livre, criou e mantém os sites Mente Binária (w.mentebinaria.com.br ) e Linux Reversing (linuxreversing.org ) além de colaborar com projetos de código aberto e iniciativas livres.

RB: Pelo que pude perceber o Universidade Livre é uma iniciativa do SL-RJ, certo?

Eu tive a ideia e levei para a comunidade SL-RJ, da qual sou membro há algum tempo. A comunidade a recebeu bem e ofereceu apoio de todas as formas, até com abrigo no blog para centralizar e publicar as atividades do evento.

RB: Qual o objetivo e como foram organizadas as primeiras edições do evento e em quais Faculdades?

O objetivo do evento é promover o uso e suporte ao software livre nas universidades. A ideia central é levar para os alunos de TI a oportunidade de ter o contato mais profundo com software livre, falar sobre a carência de profissionais no mercado e divulgar recursos técnicos, que, dificilmente, seriam citados dentro de uma universidade com o programa do curso dominado pelo software proprietário.

Dezembro | 20108| Revista BrOffice.org | w.broffice.org/revista

Arquivo pessoal

Além disso, o Universidade Livre tem um diferencial que é a proposta "faça você mesmo", ou seja, damos todo o apoio e suporte para que estudantes de todo o Brasil rodem edições do evento em suas universidades. Estas informações estão na página do evento no blog do SL-RJ em http://softwarelivre-rj.org/eventos/universidade-livre

O evento teve a sua primeira edição na UniverCidade, unidade Gonçalves Dias, no Rio de Janeiro e foi organizado com muita ajuda da comunidade. Só para se ter uma ideia, enquanto um desenhava o logo, outro fazia a arte do cartaz, outro contatava palestrantes e apoiadores. No final deu tudo certo. Já fomos contactados por alunos da Universidade Veiga de Almeida que querem realizar uma edição no primeiro semestre de 2011 e temos pretensão de rodar outra edição na UniverCidade, agora com mais alcance e mais palestras.

RB: Há como quantificar o retorno dessa iniciativa?

(Parte 1 de 5)

Comentários