Parâmetros de qualidade da água

Parâmetros de qualidade da água

(Parte 1 de 3)

PARÂMETROS DE QUALIDADE DE ÁGUA

CARACTERÍSTICAS FÍSICAS E FÍSICO-QUÍMICAS DAS ÁGUAS

1 - TURBIDEZ

Definição – A turbidez da água é a medida de sua capacidade em dispersar a radiação, ou seja, é a dificuldade de uma água para transmitir luz.

  • Na natureza a água tende a dissolver substâncias bem como pode apresentar materiais que se mantêm em suspensão.

  • Os materiais dissolvidos podem causar o aparecimento da cor e a parte suspensa fará com que a água se apresente turva.

  • Assim, uma água colorida pode ser translúcida e uma água turva pode não ter cor.

  • Uma água que possua turbidez apresentará a ocorrência do efeito “Tyndal”, que nada mais é que as partículas suspensas têm de refletir a luz, fazendo com que, de certa forma, a amostra apresente certo “brilho”, que será tanto maior quanto maior for à quantidade de material em suspensão.

1.1 – ORIGEM NATURAL

Não traz inconvenientes sanitários diretos. Porém, é esteticamente desagradável na água potável, e os sólidos em suspensão podem servir de abrigo para microorganismos patogênicos (diminuindo a eficiência da desinfecção).

  • A turbidez é atribuída principalmente por plânctons, algas, detritos orgânicos e outras substâncias como: zinco, ferro, compostos de manganês e areia, resultantes de processos naturais de erosão

1.2 – ORIGEM ANTROPOGÊNICA

Pode estar associada a compostos tóxicos e organismos patogênicos e em corpos d´água pode reduzir a penetração da luz, prejudicando a fotossíntese.

  • adição de despejos domésticos ou industriais

  • Microorganismo

  • Erosão

1.3 – QUESTÕES AMBIENTAIS

  • A vista humana não tem sensibilidade para evidenciar a presença da turbidez, se esta for pequena (em geral abaixo de cinco unidades). Isto fez com que durante muito tempo os padrões de qualidade fossem brandos quanto a este parâmetro, cuidando apenas do aspecto estético da água. Porém, sabe-se que alguns vírus e bactérias podem se alojar nas partículas em suspensão, se protegendo da ação desinfetante, passando a turbidez a ser considerada também sob o ponto de vista sanitário.

1.4 – UTILIZAÇÕES MAIS FREQUENTE DO PARÂMETRO

  • Caracterização de águas de abastecimento brutas e tratadas

  • Controle da operação das estações de tratamento de água

1.5 – UNIDADES

A turbidez produzida por 1 mg SiO2/L é igual a unidade de turbidez, como referência, usam-se hoje, outras substâncias como o caulim e a formazina aliados a diversos métodos de medida, que procuram reproduzir o da antiga lâmpada de Jackson. Neste sentido as unidades são equivalentes, isto é, UNT, UFT, UJT.

  • UNT ( Unidade Nefelométrica de Turbidez)

  • ppm de SiO2

  • UFT (Unidade de Formazina de Turbidez)

  • Unidades de Turbidez de Jackson.

1.6 - INSTURMENTO

Turbidímetro de Jackson ou Hellige, entre outros.

1.7 – PROPRIEDADES

  • Mede o teor em materiais coloidais e a matéria em suspensão muito fina e difícil de sedimentar e filtrar. A luz se difunde pelo efeito “TYNDAL”.

Água transparente < 1,42 ppm SiO2 e permite visibilidade até 4 metros;

Água opaca – até 2,85 ppm de SiO2

Água algo turbida – até 9,00 ppm de SiO2

Água turbida – até 9,00 ppm de SiO2

Água muito turbida - > 9,00 ppm SiO2

1.8 – COLETA

  • Coletar em frascos de vidro neutro, tipo pyrex ou plástico;

  • Até 24 horas ao abrigo da luz

2 – COR

  • Definição: Responsável pela coloração na água

  • A cor é uma variável, que resulta, também, da presença dos sólidos totais nas suas várias frações;

2.1 – ORIGEM NATURAL

Não representa riscos a saúde, mas consumidores podem questionar a sua confiabilidade, e buscar águas de maior risco. Além disso, a cloração da água contendo matéria orgânica dissolvida responsável pela cor pode gerar produtos potencialmente cancerígenos (trihalometanos – ex: clorofórmio).

  • Nas águas naturais encontram-se substâncias dissolvidas que, por suas características, podem produzir cor;

  • Estes materiais dissolvidos podem ser de origem orgânica ou inorgânica, como por exemplo, vegetais que se decompõem dando origem ao que se convencionou chamar de “humus” e também alguns metais como ferro e manganês;

  • A água pode apresentar cor “aparente”, causado pelo reflexo em sua superfície, de cores do ambientes, do céu, etc. ou, por transparência, a cor do leito, ou ainda pela presença de partículas coloridas (minerais e orgânicas) em suspensão (sólidos suspensos). Algas podem imprimir uma coloração esverdeada e sulfobactérias, uma coloração amarelada.

2.2 – ORIGEM ANTROPOGÊNICA

Pode ou não apresentar toxicidade.

  • Resíduos industriais (ex: tinturarias, tecelagem, produção de papel)

  • Esgotos domésticos

2.3 – UTILIZAÇÃO MAIS FREQUENTE DO PARÂMETRO

  • Caracterização de águas de abastecimento brutas e tratadas

2.4 – UNIDADE

uC (unidade de cor) – é conferida por 1 mg de platina, na forma de cloroplatinado dissolvidos em 1000 mL de água destilada na presença de cobalto.

2.5 – DETERMINAÇÃO

  • Colorimetricamente utilizando como padrão Cl3Co + Cl6PtK2 “escala de platina-cobalto”

2.6 – IMPORTÂNCIA

  • É desagradável na água potável e indica as vezes contaminação orgânica;

  • Podem interferir na etapa de floculação do tratamento;

  • Limitar a capacidade de troca de resinas trocadoras de íons (utilizadas para o tratamento de águas residuais)

  • Quando se tem a presença de corantes em solução, a remoção se torna bem mais difícil.

2.7 – INSTURMENTO

Aqua Tester Hellige; praticamente utilizam-se discos coloridos.

2.8 – COLETA

  • Fazer determinação o mais rápido possível, pois a cor pode variar com o tempo.

  • Evitar (24 horas)

3 - TRANSPARÊNCIA

  • Do ponto de vista óptico, a transparência da água pode ser considerada o oposto da turbidez, revela a profundidade de penetração da luz na água e é dependente da cor e da turbidez.

3.1 – UNIDADES

  • Metros, cm.

3.2 – DETERMINAÇÃO

  • É medida em campo através de um disco padrão suspenso por um fio calibrado (disco de Secchi). Imerso na água, mede-se a profundidade em que o disco deixa de ser visto.

  • O disco de Secchi é utilizado para medir a transparência de um corpo d´água e consite em um disco de 20 cm de diâmetro, dividido em 4 partes com cores preto e branco.

4 - TEMPERATURA

  • A temperatura da água pode ser considerada a característica mais importante do meio aquático.

  • As propriedades físicas, químicas e biológicas da água são funções da temperatura.

  • A dinâmica e a economia do tratamento de água e certos usos industriais e agrícolas da mesma são influenciados pela temperatura.

  • Nos lagos e reservatórios os fenômenos cíclicos da estratificação térmica exercem papel decisivo na circulação periódica das substâncias dissolvidas.

  • O aumento da temperatura, que é uma forma de poluição, intensificando a decomposição da matéria orgânica, acelera o metabolismo microbiano.

  • É, portanto, um fator de desoxigenação da água. Este, associado ao fator de diminuição da solubilidade do oxigênio, pode tornar o meio impróprio para a sobrevivência dos peixes.

  • A atividade humana pode mudar a temperatura da água, através da construção de represas, do desvio da água para irrigação, da alteração do meio ambiente, do curso da água por desmatamento etc..

4.1 – EFEITOS SOBRE AS CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DA ÁGUA

  • As características mais significativas em termos desses efeitos são densidade, viscosidade, pressão de vapor e solubilidade dos gases dissolvidos.

  • Uma pequena diferença na densidade é suficiente para causar estratificação térmica em águas tranqüilas, e a sua estabilidade depende do movimento da água e da profundidade.

  • Essa estratificação impede a misturação vertical e a transferência do oxigênio para as camadas mais profundas, exercendo papel decisivo na circulação das substâncias dissolvidas.

  • A maioria dos organismos vivos depende do oxigênio para a manutenção de suas vidas e dos processos reprodutivos, portanto, a presença de uma quantidade adequada do oxigênio é importante no meio aquático. A solubilidade do oxigênio na água é muita baixa e diminui com o aumento da temperatura. Daí a preocupação com a poluição térmica.

4.2 - EFEITOS SOBRE AS CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS DA ÁGUA

  • A temperatura é um dos muitos fatores que afetam as reações químicas ao lado da natureza e da concentração de substâncias em reações, na presença de catalisadores etc.

  • De um modo geral, a velocidade de uma reação química duplica aproximadamente para cada 100C do aumento da temperatura.

  • Na maioria dos casos, a temperatura afeta reações químicas que se relacionam com a atividade microbiana, ou seja, reações bioquímicas. Estas reações, geralmente, são catalisadas por enzimas e, por isso, ocorrem a temperaturas inferiores às que seriam necessárias na ausência dessas enzimas. Aumentando-se a velocidade das reações, o aumento da temperatura pode causar problemas de sabor e odor na água.

  • Quando a matéria orgânica biodegradável chega a um corpo de água, ocorre um aumento na demanda bioquímica de oxigênio e esta é maior exatamente quando a solubilidade do oxigênio na água é menor. Portanto, em temperaturas elevadas, a concentração do oxigênio na água fica mais comprometida.

4.3 - EFEITOS SOBRE AS CARACTERÍSTICAS BIOLÓGICAS DA ÁGUA

A temperatura da água tem papel importante na capacidade de um sistema ecológico aquático de manter suas características ótimas em todos os estágios biológicos.

  • Todos os organismos do sistema são afetados devido à interdependência de espécies.

  • A temperatura constitui um dos mais importantes fatores que governam a ocorrência e o comportamento dos peixes, afetando a localização geral e a própria composição de comunidades de peixes.

  • O aumento da temperatura aumenta a toxidez de certas substâncias tóxicas e ambos os fatores, em conjunto, têm efeito total maior do que a soma de seus efeitos individuais. Esta ação simultânea de dois fatores chama-se sinergismo. Por exemplo: um aumento de 100C duplica o efeito de tóxico do cianeto de potássio.

  • Quanto às algas e outras plantas aquáticas, sucessivas rnodificações de temperatura podem resultar na eliminação de espécies desejáveis e estabelecimento de organismos indesejáveis, que causam mau aspecto, odor etc..

  • As mudanças de temperatura podem ser rápidas ou lentas e gradativas. Os organismos podem se adaptar as mudanças gradativas, embora essa adaptação chegue a demorar muitas gerações. No caso de bactérias, ocorrem muitas gerações em tempo relativamente curto. O efeito da temperatura no crescimento e na sobrevivência de microrganismos é complexo e não deve ser considerado isoladamente de outros fatores ambientais.

4.4 - UNIDADE

0C (graus Celsius)

0F (graus Farenheit)

(Parte 1 de 3)

Comentários