hipoglicemia

hipoglicemia

Durante a vida intra- uterina o suprimento de glicose que o feto necessita lhe é oferecido através da placenta.

  • Durante a vida intra- uterina o suprimento de glicose que o feto necessita lhe é oferecido através da placenta.

  • Próximo ao termo o feto começa armazenar glicogênio no fígado.

  • Após o nascimento o neonato utiliza o glicogênio armazenado no fígado para manter a temperatura corporal, a respiração, a atividade muscular e a regulação da glicose plasmática.

  • Níveis de glicose plasmáticas menores que 40mg/dl.

  • RN prematuro

  • RN nascido pequeno para a idade gestacional

  • RN de mãe diabética

  • RN submetido à exsanguíneotransfusão

  • RN nascido com infecção

  • RN nascido com hipotermia

  • RN nascido asfixiado

Tremores

  • Tremores

  • Choro fraco ou intenso

  • Recusa alimentar

  • Letargia/ hipotonia

  • Apatia

  • Sudorese

  • Convulsão

  • Apnéia

  • Cianose

  • Glicose Capilar

  • Glicemia sanguínea plasmática

Infusão intravenosa de glicose

  • Infusão intravenosa de glicose

  • Inicio precoce do aleitamento materno

  • RN com risco:

  • Dosagem da glicemia com 3, 6, 12 e 24 hs de vida

  • Alimentação via oral ou por gavagem

  • SG 10% de 2 em 2 horas

  • Controlar níveis de glicemia nos 2 primeiros dias de vida

  • RN asfixiado:

  • Glicose parenteral como parte das medidas de reanimação aplicadas na sala de parto

Observar quaisquer sinais que possam identificar a hipoglicemia

  • Observar quaisquer sinais que possam identificar a hipoglicemia

  • Vigiar constantemente os bebês de risco para hipoglicemia

  • Estimular o aleitamento materno e estar atento à técnica adequada do aleitamento

  • Reduzir os fatores ambientais que predispõem a hipoglicemia

  • Fazer o controle rigoroso do gotejamento parenteral da glicose e do tempo de infusão. Se ocorrer perda da punção venosa, fazer nova punção imediatamente

  • Evitar estímulos constantes ao recém- nascido para não se provocarem tremores e abalos

  • Infundir as soluções glicosadas em bomba de infusão

  • Orientar os pais acerca do distúrbio, mantê-los informados acerca do estado de saúde do bebê e encorajá-los a manterem o contato com o filho e a prestar-lhe cuidados

  • Em caso de crise convulsiva, ficar ao lado do bebê, aspirar vias aéreas, lateralizar a cabeça e oferecer oxigênio se necessário. Registrar a duração, as partes afetadas e a aparência do bebê, antes e depois da crise

É um aumento anormal de glicose sangüínea acima da 120mg/dl em recém- nascidos.

  • É um aumento anormal de glicose sangüínea acima da 120mg/dl em recém- nascidos.

  • A hiperglicemia do RN leva ao aumento da osmolaridade, com tendência a diurese osmótica ou desidratação, bem como hemorragia intraventricular. Nos prematuros extremos a hiperglicemia está associada ainda, ao aumento da mortalidade e retardo no desenvolvimento.

  • O DM transitório neonatal é um diagnóstico raro que ocorre em neonatos pequenos para a idade gestacional (PIG); resolve- se espontaneamente, em poucas semanas.

Administração excessiva de glicose

  • Administração excessiva de glicose

  • Intolerância a glicose: Pode ocorrer em prematuros ou secundariamente à septicemia ou ao estresse. Frequentemente, um prematuro que recebe nutrição parenteral total (NPT) se torna hiperglicêmico porque não consegue tolerar o aumento da glicose

  • Medicações

Glicose na urina

  • Glicose na urina

  • Sinais de desidratação

  • Depressão do sensório

  • Fraqueza

  • Polidipsia

  • Poliúria

  • Náuseas e vômitos

  • Dor abdominal

  • Hálito cetônico

  • Respiração rápida e profunda

  • Teste de glicose sanguínea e urinária.

  • Diminuir a concentração de glicose e/ou a velocidade de infusão venosa

  • Infusão de insulina se níveis de glicose estiverem superiores a 180 mg/dl

  •  

Reconhecer sinais sugestivos de hiperglicemia

  • Reconhecer sinais sugestivos de hiperglicemia

  • Repor as perdas hídricas e de eletrólitos: controlar a infusão venosa, avaliar hidratação, realizar BH

  • Controlar glicemia periférica e glicosúria

  • Controlar sinais vitais e monitorização cardíaca

  • Incentivar a presença dos pais junto à criança

  •  

Gaíva, Maria Aparecida Monhoz; Gomes, Maria Magda Ferreira. O recém- nascido com problemas metabólicos. Cuidando do Neonato: Uma abordagem de enfermagem. AB Editora, 2003.

  • Gaíva, Maria Aparecida Monhoz; Gomes, Maria Magda Ferreira. O recém- nascido com problemas metabólicos. Cuidando do Neonato: Uma abordagem de enfermagem. AB Editora, 2003.

  • Perim, Terezinha. Cadernos Universitários- 475 Prática supervisionada na saúde do neonato. Ulbra editora, 2008.

  • Cloherty, John P.; Stark, Ann R.. Distúrbios Metabólicos. Manual de Assistência ao Recém- Nascido. Ed. Manole Ltda, 1982.

  • Manual Merck: Problemas Metabólicos do Recém- Nascido.

  • WWW.tudoresidenciamedica.hpg.ig.com.br

  • Gomella, Tricia Lacy. Neonatologia: Manejo, procedimentos, problemas no plantão, doenças e farmacologia neonatal. Ed. Artmed 5ª edição, 2007.

Comentários